Redação Pragmatismo
Barbárie 11/Mar/2019 às 16:46 COMENTÁRIOS
Barbárie

Estudantes estupram criança de 8 anos em banheiro de escola de elite

Publicado em 11 Mar, 2019 às 16h46

Quatro jovens de escola de elite estupram criança de 8 anos no banheiro da instituição de ensino em João Pessoa. Por se tratar de um crime que envolve filhos de famílias ricas, mídia local tem abordado o caso com cautela extraordinária e omitido informações

estupro colégio geo tambaú
Entrada e fardamento do Colégio Geo Tambaú (reprodução/redes sociais)

Três adolescentes foram apreendidos pela Polícia Civil de João Pessoa (PB) nesta segunda-feira (11) por estuprar uma criança de 8 anos de idade. Um quarto envolvido ainda está foragido.

Os abusos sexuais aconteciam no banheiro do Colégio Geo Tambaú — uma das mais famosas escolas da elite da capital paraibana.

Os autores do crime têm idades entre 14 e 17 anos e foram apreendidos em Manaíra e Tambauzinho, bairros nobres da cidade. Todos foram encaminhados para o Centro Educacional do Adolescente (CEA). O quarto adolescente que teria participação nos abusos e permanece foragido não teve a idade revelada.

As apreensões foram realizadas a partir de um mandado judicial. O caso aconteceu em maio de 2018 e, desde então, há um processo que tramita em segredo de Justiça e só agora foi revelado.

Por se tratar de um crime que envolve filhos de famílias ricas e uma instituição de ensino de renome, a mídia local tem abordado o caso com cautela extraordinária. Alguns portais de notícias omitiram, por exemplo, o nome da escola onde o estupro aconteceu.

“A família da criança, que tinha oito anos na época do caso [hoje está com 9], trouxe o caso até a polícia. O caso foi para o âmbito judiciário e foi determinada a apreensão dos quatro adolescentes envolvidos”, explicou Roberta Neiva, delegada responsável pelo caso.

A delegada informou ainda que os adolescentes devem responder pelo ato infracional semelhante ao crime de estupro. Roberta Neiva também disse que não pode revelar muitos detalhes devido à natureza do ato infracional, e nem a idade do jovem que ainda não foi localizado, em virtude da polícia ainda estar em diligências.

Repercussão

O caso repercute fortemente em João Pessoa e pais e mães têm se manifestado através das redes sociais. “Onde a gente menos espera que pode acontecer uma coisa dessas, por imaginarmos ser um lugar seguro, eis que a vida nos mostra como somos ingênuos”, escreveu uma internauta.

“Por que a maioria dos jornalistas paraibanos não divulgam o nome do colégio onde a criança foi estuprada? O colégio foi o GEO Tambaú. Bando de jornalistas fracos, sem compromisso com a sociedade. Tão com o rabo entre as pernas! Muitos jornalistas paraibanos só sabem arriar as calças para políticos que os compram”, protestou outro.

“Tudo filhinho de papai. Egoístas e mal educados que deveriam passar o resto da vida na cadeia. Mas como são endinheirados, logo mais estarão nas ruas”, desabafou mais uma usuária.

Entrada do colégio Geo Tambaú (reprodução)

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Elaine Cristina Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Discussões políticas à parte, o que está em questão é a Educação doméstica, religiosa, a aplicabilidade de questões éticas, humanitárias e solidárias. A escola foi OMISSA SIM! O zelador é criminoso SIM, cadê a fiscal de sala, a supervisora, a coordenadora, a psicóloga!!!!!! A escola é caríssima! Não merece jamais a confiança dos pais. Isso não é para passar batido, uma criança vítima de abuso, MUDA VISIVELMENTE O COMPORTAMENTO. FOI OMISSÃO SIM! Essa criança tem a idade do meu filho, sinto a mim um pouco da dor da mãe. Indescritível, Irreparável.

    • Fernando Vicente Postado em 06/Jul/2019 às 00:37

      Perfeito!

  2. Leandro Júnior Postado em 05/Jul/2019 às 16:37

    Com certeza esses tem como ídolo, a família Messias que sempre falou da Maria do Rosário, mas parece que tem uma queda em apoiar bandidos de farda..

    • Fernando Vicente Postado em 06/Jul/2019 às 00:37

      A familia rosário né? Pois ela que defende que menores estupradores não devem ser punidos como adultos. Por Bolsonaro, Champinha, e esses dois menores estariam pagando igual adultos. Se informe melhor, os defensores de menores delinquentes "vitimas da sociedade" são os politicos de esquerda.