Redação Pragmatismo
Meio Ambiente 21/Feb/2019 às 14:49 COMENTÁRIOS

Ursos polares famintos invadem cidade na Rússia

Mais de 50 ursos polares famintos invadem cidade russa, que declara estado de calamidade. Os animais, que vivem no gelo marinho, têm suas fontes de sustento cada vez mais prejudicadas por causa do aquecimento global

Ursos polares famintos invadem cidade na Rússia
(Imagem: Instagram/friend__of__your__friend)

Um clima tenso tomou conta de uma pacata cidade na Rússia, com direito a militares circulando em veículos especiais. O motivo? O município de Belushya Guba foi “invadido” por ursos polares. As informações são do jornal New York Times.

A cidade declarou estado de emergência no último sábado (16) depois que mais de 50 animais foram vistos circulando por ali. De acordo com o jornal dos EUA, há relatos sobre ursos que atacaram pessoas e entraram em prédios residenciais e comerciais.

A pequena cidade, um assentamento militar, tem cerca de 1.900 moradores e é o local mais importante do gelado arquipélago Novaya Zemlya. O clima tenso fez com que centenas de pessoas deixassem de sair de casa e as escolas precisaram ser protegidas por cercas.

Os animais, que vivem no gelo marinho, têm suas fontes de sustento cada vez mais prejudicadas por causa do aquecimento global, que causa o derretimento do manto de gelo. Assim são obrigados a se mover para outros lugares, o que aumenta o risco de darem de cara com os seres humanos.

Saiba mais: O aquecimento dos oceanos é maior do que se imaginava

Abate

Com animais e humanos disputando o mesmo espaço, as autoridades defenderam o abate como medida de segurança. No entanto, ursos polares são classificados como uma espécie vulnerável na Rússia, o que impede moradores de caçarem os animais.

A União Internacional para a Conservação da Natureza estima que existem atualmente entre 22.000 e 31.000 ursos polares em todo o mundo.

Ilya N. Mordvintsev, um dos principais especialistas russos em ursos polares, explicou ao NYT que a ausência de gelo marinho em torno da parte sul do arquipélago neste ano provavelmente forçou os ursos a irem para a costa.

Clima e lixões a céu aberto

Além das condições adversas no Ártico, que está aquecendo duas vezes mais rápido que o restante do planeta, segundo estudo de 2013 publicado na revista Nature, outro fator também pode influenciar o deslocamento dos animais, explicam os especialistas: é o caso dos lixões a céu aberto.

Imagens que circulam nas redes sociais na Rússia mostram os animais em volta dos resíduos depositados nos arredores da cidade.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Вот ещё вам немножко медвежат из реальной жизни😁

Uma publicação compartilhada por Анастасия Алексеева (@this_is_anastasya) em

Leia também:
Alexandre Garcia vira piada após dizer que aquecimento global é culpa do Sol

Yahoo Notícias

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários