Redação Pragmatismo
Humor 20/Feb/2019 às 17:45 COMENTÁRIOS

Piada macabra de humorista do SBT provoca indignação

Representantes das vítimas do acidente da Chapecoense repudiam piada macabra de humorista do SBT: "sádica e fria"

humorista Leo Lins chapecoense
Leo Lins (dir) é funcionário do SBT e trabalha no The Noite, atração comandada por Danilo Gentili (Imagem: Reprodução/Facebook)

Uma “piada” do humorista Léo Lins provocou a reação da Associação Chapecoense de Futebol e dos representantes das vítimas do trágico acidente aéreo que tirou a vida de dezenas de pessoas.

Léo Lins, que integra o programa The Noite (com Danilo Gentili), do SBT, relacionou o acidente aéreo do voo que levava o clube de futebol catarinense ao assassinato do jogador Daniel.

“Pelo menos ele morreu depois de comer coisa boa. Não foi como os jogadores da Chapecoense, que era comida de avião”, disse Lins em show publicado em seu Youtube em novembro de 2018.

Em outro vídeo, o humorista falou que pão que cai no chão é “pão na Chape”. Uma carta de repúdio às “piadas” foi enviada ao SBT.

O jogador Daniel foi assassinado pelo empresário Edison Brittes depois de supostamente ter abusado sexualmente da mulher dele, Cristiana Brittes.

Pedro Rocha, repórter da Globo que cobre a Chapecoense há dois anos, lamentou o comentário do humorista e lembrou que a cidade de Chapecó ainda está de luto pela tragédia.

“É muito louco como algumas pessoas têm a presunção de achar que algumas coisas são engraçadas só por serem absurdas. Não! Definitivamente, não é engraçado, cara! Chapecó é uma cidade que sofre até hoje com esse acidente. As 71 vítimas que se foram na maior tragédia aérea do esporte mundial não são piada. É história, é dor, é buraco no peito das famílias de uma cidade e de todo mundo que se comoveu com a tragédia”, criticou Pedro.

Leia a carta enviada pelos representantes das vítimas do acidente da Chapecoense ao SBT:

“Nos últimos dias, o Brasil tem vivido dias muito tristes, com a perda de vidas “ao vivo” e, novamente, assistindo a famílias sangrando aos olhos de todos.

Para nós, parentes e amigos das vítimas do acidente conhecido como “a tragédia da Chapecoense”, mais que o despertar de nossa solidariedade, os recentes desastres nos remetem a um triste filme de 2016, onde a negligência causou a queda do avião da LaMia e matou 71 pessoas.

Infelizmente, na contramão do sentimento de comoção e revolta que toma conta da sociedade brasileira diante de tanta tragédia e impunidade, é com muita tristeza que tomamos conhecimento do conteúdo de profundo mau gosto, divulgado recentemente pelo comediante Léo Lins em seus shows.

Utilizando o acidente da Chapecoense de forma sádica e fria, o comediante faz piadas que não motivam nenhum sorriso da platéia, mas atingem em cheio os parentes das vítimas e toda uma cidade – de maneira baixa e cruel. Não se pode dizer que “há um exagero” ou uma “má interpretação” por parte das famílias, quando uma pessoa afirma em um palco, em tom de deboche, que seu pai, seu marido ou seu filho “morreu comendo comida de avião”.

Desta forma, tendo o SBT como um aliado na busca por justiça, e este mostrado toda a sua solidariedade em matérias veiculadas desde o acidente, a Associação Chapecoense de Futebol, AFAV-C (Associação das Famílias e Amigos das Vítimas do Voo da Chapecoense), a Fundação Vidas e a Prefeitura de Chapecó, solicitam que a empresa interceda junto ao seu funcionário, integrante fixo do programa The Noite, aplicando as medidas que julgar necessário para que ele, além de se retratar, tenha consciência que uma brincadeira deselegante pode derramar muito mais lágrimas do que um dia Léo Lins imaginou receber em aplausos.

Desde a queda do avião, os meios de comunicação têm sido fundamentais para que o caso finalmente venha a ser esclarecido. Passados mais de dois anos, poucas informações vieram à tona e quase ninguém foi responsabilizado.

Não bastasse a dor da perda e a injustiça que decorreram do acidente aéreo, é desnecessário para essas pessoas que a dor reapareça justamente vinda daqueles que poderiam proporcionar um pouco de descontração e conforto para enfrentar o dia a dia”.

Atenciosamente,

Fernando K. Lottenberg
Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo da Chepecoense

Rudmar Roberto Bortolotto
Fundação Vidas

Plínio David De Nes Filho
Associação Chapecoense de Futebol

Luciano José Buligon
Prefeitura de Chapecó

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários