Redação Pragmatismo
Direita 08/Feb/2019 às 17:28 COMENTÁRIOS

Manuela D'Ávila é atacada por mulher no meio da rua

Apoiadora do presidente Jair Bolsonaro ataca Manuela D'Ávila no meio da rua, mas foge quando ex-deputada tenta pegar seus dados para processá-la

mulher agride manuela d'ávila

A ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB) divulgou nas redes sociais imagens que revelam as agressões de uma eleitora de Jair Bolsonaro (PSL) contra ela.

Manuela, que integrou a chapa de Fernando Haddad (PT) como candidata à vice-presidente da República, foi hostilizada no litoral do Rio Grande do Sul no último final de semana.

No vídeo, a agressora começa a gritar o nome do presidente e a dizer que ela (Manuela) deveria deixar o país. Manuela contou que estava indo à farmácia, na praia de Pinhal, quando foi abordada.

“O teu partido perdeu. Tu tem que estar fora do Brasil. Isso que você tem que fazer. Nós somos Bolsonaro”, disse a mulher. Poucos minutos depois, a senhora começa a discutir com outras pessoas ao redor, que acompanhavam Manuela. Na sequência, ela entra em um carro e fecha a porta.

Manuela escreveu uma mensagem repudiando a atitude da mulher. “Na democracia, quem perde faz oposição. O Brasil não tem pensamento único. Para ela, eu perdi e devo deixar o Brasil, tal qual os exilados.”

“Pedi os dados para processá-la e ela se escondeu no interior do carro. Por sorte, tenho a placa do carro e, como percebem pelos vídeos, dezenas de testemunhas. É isso que eles querem pro Brasil? Eu não. Eles tentam nos constranger, nessa espécie de surto autoritário. Nós seguimos lutando. Eu quero que essa senhora tenha ajuda, afeto, que aprenda a respeitar o pensamento divergente e que aprenda que calúnia e difamação são crimes”, continuou Manuela.

Antes de ser candidata a vice-presidente, Manuela D’Ávila foi vereadora da cidade de Porto Alegre e deputada federal e estadual.

VÍDEO:

Manuela e as fake news

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reconheceu que Manuela D’Ávila foi a figura que mais sofreu com as fake news nas eleições presidenciais de 2018.

Apenas no Facebook, o Tribunal determinou que 33 informações falsas contra a então candidata a vice-presidente fossem derrubadas.

Saiba mais sobre as fake news contra Manuela D’Ávila AQUI.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários