Redação Pragmatismo
Notícias 09/Jan/2019 às 18:12 COMENTÁRIOS

Delegado que mentiu sobre Marielle Franco é multado

Delegado que publicou fake news sobre Marielle Franco é multado e suspenso. Jorge Ferreira de Souza já havia sido afastado por celebrar a morte da vereadora

delegado jorge ferreira marielle franco
Delegado Jorge Ferreira (Reprodução/Redes Sociais)

O delegado Jorge Ferreira de Souza foi multado e suspenso de suas atribuições por publicar um post ofensivo à vereadora Marielle Franco e que continha informações falsas.

A punição ao delegado foi imposta pela Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco. No texto, o delegado afirmou que Marielle era “mulher de bandido” e a acusou de pertencer a uma “facção criminosa”.

“Se envolve com o narcotráfico, vira mulher de bandido, troca de facção criminosa, é assassinada pelos ‘mano’, aí vêm a esquerda patética por a culpa nas instituições policiais. Vá se fu, dona Marielle. Já foi tarde”, diz um post do delegado nas redes sociais.

A decisão veio após a conclusão de um processo administrativo da Corregedoria. Em março, Jorge Ferreira já havia sido afastado, como noticiou Pragmatismo Político.

Segundo a SDS, foi aplicada uma “reprimenda disciplinar de 10 dias de suspensão”, tendo sido convertida em multa “na base de 50% por dia de vencimento ou remuneração”.

O delegado será obrigado a permanecer no serviço, com desconto do valor correspondente aos dias de suspensão na folha de pagamento. Considerando o salário de aproximadamente R$ 24 mil, o valor a ser pago pelo delegado fica em cerca de R$ 4 mil.

Jorge Ferreira

Durante as investigações, o delegado Jorge Ferreira alegou que não era o autor dos posts ofensivos contra Marielle Franco.

“Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu saí da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu sai imediatamente de todos mas não sei como postaram isso”, justificou.

No entanto, o material colhido durante a investigação comprovou que Ferreira foi mesmo o autor das postagens. De acordo com a SDS, ficou “devidamente comprovado no decorrer do procedimento administrativo”, que Ferreira “publicou e compartilhou em seu Facebook posts em que participou de manifestações de desapreço a autoridades públicas e políticas”.

300 dias

O assassinato de Marielle Franco (PSOL-RJ) completou 300 dias nesta terça-feira (8) sem que ninguém tenha sido punido até agora. Ela foi executada no Rio de Janeiro.

“Três centenas de vezes que o sol se pôs sem nenhuma resposta a esse assassinato político e brutal”, tuitou o deputado federal Marcelo Freixo (Psol/RJ).

Em texto divulgado nesta semana, Relatores da ONU cobraram explicações do governo brasileiro sobre o crime e questionam os motivos do silêncio até agora sobre os resultados do inquérito.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários