Redação Pragmatismo
Direitos Humanos 19/Mar/2018 às 20:49 COMENTÁRIOS

Delegado que teria celebrado morte de Marielle é afastado

Afastado, delegado se defende e diz que não é dele a autoria do post que celebra a morte da vereadora Marielle Franco. O policial sugere que seu perfil foi hackeado

Delegado afastado Marielle
Delegado afastado se defende e diz que não foi ele que publicou a mensagem

A Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco divulgou nota no final da manhã deste domingo (18), comunicando o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher.

A decisão foi tomada por conta de declarações postadas pelo policial em uma rede social sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol), assassinada no dia 14 deste mês.

De acordo com a nota, o conteúdo da postagem foi encaminhado à Corregedoria Geral da Secretaria, que iniciou uma investigação preliminar, na qual o servidor terá direito à ampla defesa e ao contraditório.

Ainda segundo a nota, o teor das afirmações é incompatível com o posicionamento do Governo, da Secretaria de Defesa Social e da Polícia Civil, “que prezam e focam todos os seus esforços na preservação da vida, proteção dos cidadãos, tolerância e paz social”.

O texto é assinado pelo Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e Polícia Civil de Pernambuco.

“Não fui eu”

Também foi por meio das redes sociais que o delegado Jorge Ferreira resolveu se defender sobre o assunto. Em um vídeo com cerca de dez minutos, o delegado disse não ter sido o autor da postagem.

“Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu saí da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu sai imediatamente de todos mas não sei como postaram isso”, enfatizou.

Ainda no vídeo, o delegado disse defender que antes das acusações sejam realizadas as investigações.

“Eu tenho posturas políticas muito claras, todo mundo sabe. Eu sou a favor da lei, da ordem, do trabalho bem executado. O que eu venho postando e replicado é para fomentar a discussão porque defendo a ideia de que antes de se acusar se apure. Mal aconteceu o homicídio e já se começou a acusar a Policia Militar. Eu defendo que não, que seria interessante antes ver todas as possibilidades”, diz.

Já a Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (ADEPPE) divulgou uma nota afirmando que o post não é de autoria do referido Delegado.

“Jorge Ferreira é um profissional responsável e extremamente dedicado à missão a que foi incumbido, na defesa dos direitos da mulher. Aqueles que o conhecem minimamente sabem que Jorge possui um temperamento completamente incompatível com o conteúdo chulo e grosseiro do texto publicado”, diz o texto.

A pré-candidata ao governo de Pernambuco pelo Psol, Dani Portela, por sua vez, divulgou nota de repúdio exigindo apuração imediata sobre supostas postagens de delegado Jorge Ferreira.

“Não bastasse o assassinato de Marielle Franco, uma mulher negra e militante, algumas pessoas começaram a replicar nas redes sociais conteúdo falso, as famosas Fake News, com o objetivo de assassinar, dessa vez, a reputação de Marielle. Não iremos retribuir com a mesma moeda ataques que nada contribuem para o bem-estar social, mas exigimos uma apuração rigorosa dos fatos”, destaca na nota.

Veja aqui o que já se sabe da morte de Marielle Franco.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários