Redação Pragmatismo
Política 06/Dec/2018 às 09:17 COMENTÁRIOS

Carlos Bolsonaro e Julian Lemos trocam farpas publicamente

Nas redes sociais, filho de Bolsonaro coloca deputado federal eleito Julian Lemos (PSL) contra a parede. Apontado como um dos homens fortes do presidente eleito, Julian tentou se defender, recebeu outra invertida e voltou a se manifestar

Julian Lemos e Carlos Bolsonaro
Julian Lemos e Carlos Bolsonaro

Uma publicação de Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) movimentou as redes sociais na noite desta quarta-feira (6) e continua repercutindo.

Na postagem, o filho do futuro presidente revela que o deputado federal eleito Julian Lemos (PSL-PB) não é e nunca foi coordenador de Jair Bolsonaro no Nordeste.

“Julian Lemos, a pessoa que tem se colocado como coordenador de Bolsonaro no Nordeste não é nunca foi! Detalhes creio que todos sabem”, escreveu Carlos em seu Twitter, que sugeriu ainda que Julian parasse de “tentar aparecer” à sombra do presidente eleito.

Julian Lemos decidiu usar o Instagram para se pronunciar após os ataques. “Na minha casa o que meu pai falava era respeitado, na minha casa eu aprendi honrar pai e mãe, só assim eu poderia ser feliz e ter paz, hoje percebo porque tenho filhos e uma esposa linda e vivo em paz”, escreveu Lemos, no Instagram.

O texto publicado por Lemos acompanhava um vídeo em que Jair Bolsonaro o chama de “nosso coordenador no Nordeste” e “nosso candidato pela Paraíba”.

Carlos foi até o setor de comentários do Instagram de Julian Lemos e escreveu a seguinte mensagem:

“Senhor Julian Lemos, não adianta postar vídeo antigo para se esconder atrás de meu pai, que apenas colaborou com sua campanha na Paraíba. Sua retórica sempre foi totalmente previsível. Quem elegeu Bolsonaro foram as pessoas de todos os segmentos e que nenhum momento pleiteiam algo a mais, a não ser um Brasil melhor! No vídeo você era candidato e Bolsoanaro quis somente lhe ajudar, como fez com várias pessoas. Não use isso para aparecer atrás dele por algum motivo como vem fazendo a todo momento”

Julian retrucou:

“Prezado Carlos, não irei expor seu pai, que é meu amigo, se você não o respeita, eu sim, um vídeo novo resolveria? Eu tenho! Mas não é esse o caso, não ataque gratuitamente os soldados do seu pai, sem motivos. Essa guerra é longa e cada soldado é importante, eu sou um deles quer você queira ou não. Por respeito a ele, unicamente a ele, irei parar a discussão, espero que encontre paz no seu coração. Você não é meu alvo nem meu inimigo. Quanto ao Nordeste pouco sabes, nunca pusestes os pés lá”

Ameaça de morte

Nas últimas semanas, Carlos Bolsonaro se afastou das atividades diretas da transição governamental. Segundo informações de bastidores, um desentendimento entre ele e Gustavo Bebianno, que deve assumir a Secretaria-Geral da Presidência, área à qual a comunicação é ligada, teria se acentuado e culminado no afastamento do filho do futuro presidente da República.

No Twitter, Carlos chegou a dizer que a morte de seu pai interessa “aos que estão muito perto”. “A morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados, mas também aos que estão muito perto. Principalmente após sua posse! É fácil mapear uma pessoa transparente e voluntariosa. Sempre fiz minha parte exaustivamente. Pensem e entendam todo o enredo diário”, escreveu.

Carlos Bolsonaro, 35 anos, é apontado como o filho mais próximo de Jair Bolsonaro, que tem outros dois filhos na política: o senador eleito pelo Rio Flavio Bolsonaro (PSL), 37 anos, e o deputado federal reeleito por São Paulo Eduardo Bolsonaro, de 34 anos.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Comentários