Redação Pragmatismo
Racismo não 27/Nov/2018 às 09:42 COMENTÁRIOS

Fui impedida por dois homens brancos de entrar na minha própria casa

Não importa o dinheiro que eu tenho, nem que eu estava mega bem arrumada. O que importou para eles foi a cor da minha pele: como uma neguinha vai morar no mesmo prédio que eu?

Isabella Barboza
Isabella Barboza

por Isabella Barboza, via Facebook

Meu prédio novo não tem portaria. São dois portões, um pra rua e um interno, e ambos abrem pela mesma chave. Ao voltar de uma ida ao bar para reabastecer os litrões da minha casa, dois homens – precisa falar que brancos? – estavam entrando também. Um senhor em torno dos 70, 80 anos e o outro de uns 40 anos.

Ao entrar no prédio junto com eles, onde fica minha casa e que pago um aluguel nada barato, fui questionada se morava no prédio, pelo senhor de mais idade – um homem grosso e que ainda tentou fechar o portão em cima de mim.

Respondi que sim. Mesmo assim ele se posicionou na minha frente, impedindo minha passagem. Detalhe eu estava mais arrumada que a própria Michelle Obama.

Desviei do racista e continuei meu caminho até o segundo portão. Ele então, não satisfeito, me pediu prova que eu morava ali e que mostrasse a chave. Perguntou meu apartamento. Pediu para eu abrir o segundo portão, para ver se eu tinha mesmo a chave. Deu carteirada quando meu amigo perguntou se ele morava ali, em tom de deboche.

“Sou proprietário aqui”. Tudo isso na maior postura grosseira, sempre me olhando de cima a baixo e fazendo cara de nojo para mim, principalmente.

E a cereja do bolo foi que essa dupla de racistas ainda ficaram putos ao ver que eu tinha a chave, ao falar o apartamento e ao subir e não ficar dando corda pros KKK me enforcar. Faltou bem pouco praquele velho me segurar pelo braço e chamar a polícia.

Quando nós negros falamos em rever seus privilégios, é exatamente isso. Nem na minha casa, que batalho tanto para manter e pagar, eu posso entrar sem ser mal tratada e questionada. Nem no conforto do meu lar eu sou poupada do racismo alheio. Nem mesmo na minha própria casa me respeitam.

Não importa o dinheiro que eu tenho, nem que eu estava mega bem arrumada. O que importou para eles foi a cor da minha pele, como uma neguinha vai morar no mesmo prédio que eu? Vou morar sim, querido. Vou morar, vou ocupar e vai ter preto em todo lugar.

Ps.: Nos EUA, há 2 meses, aconteceu um caso semelhante. Uma mulher branca tentou impedir um homem negro de entrar no seu próprio prédio. Ele filmou o episódio e as imagens viralizaram:

Comentários