Redação Pragmatismo
Eleições 2018 09/Oct/2018 às 20:56 COMENTÁRIOS

PSDB, PP, NOVO e Daciolo declaram neutralidade no 2º turno

Partido Novo, de João Amoêdo, decide não apoiar ninguém no 2º turno das eleições presidenciais. O PP, ex-partido de Bolsonaro e que elegeu a 3ª maior bancada da Câmara, também declarou neutralidade. A mesma posição foi manifestada por Cabo Daciolo e Geraldo Alckmin

neutralidade psdb novo daciolo
Alckmin, Daciolo e Amoêdo declaram neutralidade no 2º turno da eleição presidencial

João Amoêdo e o seu Partido Novo anunciaram que não vão apoiar Jair Bolsonaro (PSL) nem Fernando Haddad no segundo turno da eleição para presidente.

Em nota, o partido que conquistou 2,5% dos votos válidos na disputa presidencial diz que vai concentrar a atenção na atuação de sua bancada, mas ressalta que é “absolutamente contrário ao PT”.

“Manteremos nossa coerência e nossa contribuição à sociedade se dará através da atuação da nossa bancada eleita, alinhada com nossos princípios e valores”, diz nota do Novo.

Em sua estreia eleitoral, o Novo elegeu 8 deputados federais, 11 estaduais e 1 distrital. De maneira surpreendente, tirou o governador Fernando Pimentel (PT) do segundo turno, em Minas Gerais, e ficou na frente de Antonio Anastasia (PSDB), contra quem Romeu Zema vai disputar a rodada decisiva de votação.

A mesma posição de neutralidade neste 2º turno foi anunciada pelo PP, ex-partido de Jair Bolsonaro. A sigla foi responsável por eleger a terceira maior bancada federal nesta eleição, atrás apenas de PT e PSL.

“Tendo a clara compreensão dessas circunstâncias especiais que vivem a política e o país, o Progressistas adotará uma postura de absoluta isenção e neutralidade no segundo turno das eleições presidenciais”, afirmou o PP em documento.

PSDB

O PSDB também decidiu se manter neutro durante o segundo turno das eleição presidencial.

“O PSDB decidiu liberar seus militantes e seus líderes. Não apoiaremos nem o PT nem o candidato Bolsonaro”, anunciou nesta terça-feira (9) o presidente da sigla, Geraldo Alckmin, que ficou em quarto lugar na disputa atrás de Ciro Gomes (PDT).

A decisão foi tomada durante reunião da Executiva do partido em Brasília. Segundo Alckmin, os diretórios estaduais do partido estão livres para votar em quem quiserem, desde que seus membros o façam em “caráter pessoal”.

Cabo Daciolo

Cabo Daciolo (Patriota), candidato derrotado à Presidência, fez uma transmissão ao vivo pela internet nesta segunda-feira (8) para agradecer os votos que recebeu e dizer que neste 2º turno não apoiará nem Bolsonaro, nem Fernando Haddad.

“Quero agradecer primeiro a Deus. Obrigado, senhor. Glória a Deus. Agradecer a 1,3 milhão de eleitores”, disse.

“Quero deixar bem claro: Daciolo não apoia nenhum deles, nenhum deles. É tudo uma coisa só. Todos eles atuam para a Nova Ordem Mundial”, continuou.

Daciolo disse que ama os adversários e que ora por eles, mas que nenhum dos dois o representa. “Eu não apoio nenhum deles. Respeito eles, amo eles, mas não apoio ficar 4 anos nas mãos desses homens.”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários