Redação Pragmatismo
Eleições 2018 09/Oct/2018 às 23:57 COMENTÁRIOS

Candidato gay toma vaga de senador homofóbico no ES

Espírito Santo elege primeiro senador brasileiro assumidamente homossexual. Fabiano Contarato é casado, pai, e tirou a vaga de Magno Malta, líder de campanhas homofóbicas e considerado um dos mais reacionários parlamentares do Congresso

Candidato gay senador homofóbico ES Magno Malta

Carol Scorce, CartaCapital

No Espírito Santo, os 1.117.039 votos (31,15%) em Fabiano Contarato, da REDE, conseguiram eleger pela primeira vez um senador homossexual que não faz da sua vida particular um constrangimento. Ao contrário disso, Contarato, que é delegado da Polícia Civil e professor universitário, não tem medo de se expor ao debate público e misturou em sua campanha aspectos que dialogam tanto com ideias progressistas, quanto posições conservadoras.

Em sua primeira disputa a um cargo eletivo – filiou-se à Rede neste ano – Contarato conseguiu desbancar políticos tradicionais de estado: derrotou os atuais senadores Magno Malta (PR), que teve 17,04% dos votos, e Ricardo Ferraço (PSDB), com 13,39%. A segunda vaga para o Senado ficou Marcos do Val (PPS), que obteve 863.359 votos (24,08%).

Em seu discurso de vitória, o senador eleito disse que sua campanha foi a de “Davi contra dois Golias”, citou expressões bíblicas e usou a narrativa do amor contra o ódio. Contarato é homossexual, casado, tem um filho e defende o casamento LGBT.

Durante a disputa eleitoral – e também antes dela – deixou manifesta sua vida particular e aliou o discurso de defesa da família – em todas suas as formas – ao da inclusão. A tônica do candidato da Rede foi especialmente as questões ligadas à segurança pública. O Espírito Santo é o segundo estado mais violento do Brasil para crianças e jovens: 23,8% dos homicídios cometidos no estado em 2016 vitimaram menores de 19 anos de idade.

Formado em direito pela Universidade Vila Velha, Contarato é professor e delegado de polícia da Academia de Polícia Civil do Espírito Santo, e é especialista em Impactos da Violência na Escola pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em 2016, foi nomeado corregedor-geral do Estado.

Enquanto a campanha ao Palácio do Planalto tende a polarização, o mais bem votado senador do Espírito Santo harmonizou em sua campanha símbolos e discursos de todos as matizes: bandeira do Brasil, defesa do casamento LGBT, contra o aborto, defesa dos direitos humanos e da lei Maria da Penha, mensagens motivacionais e especialmente a defesa de se professar a fé religiosa de maneira não dogmática.

O discurso religioso não vem ao acaso. Pode tê-lo ajudado a diminuir o poder de seu principal adversário, o político de extrema-direita Magno Malta. Político de carreira, termina no fim do ano seu primeiro mandato de senador. Pastor evangélico, já foi cantor de músicas gospel.

Saiba mais:
O capítulo da biografia de Magno Malta que até evangélicos consideram escandaloso
Senador evangélico: ‘Temos votos para matar o projeto contra a homofobia’
A oratória de terror dos políticos evangélicos
Magno Malta defende a ‘entidade família’, mas a sua está atolada em corrupção

Em 2016, foi um dos parlamentares que mais defendeu o impeachment contra Dilma Rousseff. No discurso de votação, afirmou que “a arrogância precede a ruína“. Malta comparou o fim do mandato de Dilma a um “enterro de indigente” e finalizou seu discurso cantando “vai pra Porto Alegre e tchau“.

Malta tem também seu nome envolvido em casos de corrupção, nepotismo, perseguição e tortura, e é conhecido por discursos homofóbicos. O senador apoiou o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), primeiro colocado no primeiro turno. Ainda assim, o gesto não foi o suficiente para ser eleito pelo estado ao Congresso Nacional.

Leia também:
Evangélicos dizem que Malafaia, Bolsonaro e Edir Macedo formam “elo da mentira”
Cobrador acusado de pedofilia por Magno Malta é inocentado
Aborto: senador evangélico questiona STF e é contestado por ministra
Senador ameaça TV Senado após cometer barbaridade em plenário
Senador usa argumento científico mentiroso para defender PEC anti-aborto
Magno Malta está entre 10 senadores mais faltosos em 2015
Magno Malta e a farra dos caríssimos tratamentos dentários no Senado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários