Redação Pragmatismo
Eleições 2018 07/Sep/2018 às 10:54 COMENTÁRIOS

Algoz de Bolsonaro frequentou mesmo clube de tiros dos filhos do presidenciável

Homem que esfaqueou Jair Bolsonaro praticou tiros no mesmo clube onde os filhos do candidato são sócios. Visita aconteceu em julho deste ano

Eduardo Bolsonaro clube de tiro
Imagem: Eduardo Bolsonaro ao lado dos donos do clube de tiro

Adélio Bispo de Oliveira praticou tiros no mesmo clube em que os filhos de Jair Bolsonaro (PSL) são sócios.

O homem que esfaqueou o candidato à Presidência frequentou o “Clube e Escola de tiro .38” no dia 5 de julho deste ano. Ele chegou a fazer “check in” em seu Facebook durante a visita.

O clube de tiros, que funciona em São José, na região metropolitana de Florianópolis (SC), tem como sócios dois dos filhos de Jair: Eduardo e Carlos Bolsonaro.

“Ele foi só uma vez. Está no nosso sistema. Ele esteve lá para praticar tiros, o que consta no sistema. Quando chega no clube 38, você faz cadastro, compra um pacote com munições, armas e um instrutor acompanha”, afirmou Julia Zanata, assessora do clube.

Segundo a assessora, Eduardo e Carlos Bolsonaro são sócios do clube e frequentam o local há pelo menos três anos. O clube possui cerca de 600 associados e existe há 26 anos.

“A última vez que o Eduardo Bolsonaro esteve ali foi dia 18 de maio. O Carlos eu lembro que ele esteve depois disso. Eles são muito amigos do dono do clube”, disse Julia.

Vídeo

Em um vídeo gravado na Santa Casa de Juiz de Fora (MG) e divulgado nas redes sociais pelo senador Magno Malta (PR), o candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro aparece falando pela primeira vez após o ataque.

Bolsonaro diz que nunca fez mal a ninguém e que se preparava para os riscos da campanha eleitoral.

“Até o momento, Deus quis assim. Eu me preparava para um momento como esse porque você corre riscos. Mas, de vez em quando, a gente duvida, né! Será que o ser humano é tão mau assim? Nunca fiz mal a ninguém”.

Saúde

Bolsonaro foi atingido por uma facada na barriga durante um ato de campanha em Juiz de Fora na tarde desta quinta-feira (6).

O candidato não deverá receber alta hospitalar antes de “uma semana ou 10 dias”, disse em coletiva de imprensa na noite desta quinta-feira (6) o médico Luiz Henrique Borsato.

“O que houve foi um sangramento na veia abdominal, que logo foi estancado, e lesões nos intestinos grosso e delgado. Foi retirada a parte lesada do intestino grosso, e o intestino delgado foi costurado”, disse Borsato. A lesão no fígado, que chegou a ser uma hipótese, foi descartada.

Na manhã desta sexta-feira (7), Bolsonaro foi transferido de avião para o hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários