Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 07/Aug/2018 às 09:20 COMENTÁRIOS

Ex-namorado pede abraço de despedida e dá 13 facadas em estudante

Ex-namorado tentou reatar o namoro com estudante de 24 anos, que negou qualquer possibilidade dos dois voltarem. Em seguida, ele pediu um abraço de despedida e a golpeou com 13 facadas

Whailly Michele Mendes da Silva
Whailly Michele Mendes da Silva sofreu tentativa de feminicídio

A jovem Whailly Michele Mendes da Silva, de 24 anos, foi covardemente atacada pelo ex-namorado na noite do último sábado (4), em Ibitiúva, distrito de Pitangueiras, interior de São Paulo.

Maycon Felipe de Oliveira Francisco, de 19 anos, pediu um abraço de “despedida” e golpeou a jovem com 13 facadas. Segundos antes, ele havia tentado reatar o namoro com Michele, mas ela negou qualquer possibilidade dos dois voltarem.

O agressor passou dois dias foragido e só se apresentou à polícia na tarde de ontem. Whailly Michele foi socorrida, encaminhada ao hospital e, até a tarde desta segunda-feira (6), seu quadro de saúde era considerado ‘estável’.

Uma prima da estudante, Suelen Cristina da Silva, que presenciou todo o ato, contou em depoimento à Polícia Civil que a vítima e o rapaz tiveram um relacionamento de seis meses, que teria terminado após ela ter sido maltratada por ele.

Na noite do crime, Maycon foi à procura da estudante, insistindo para que voltassem. Ele ainda teria dito que havia sido posto para fora de casa pela mãe e que queria morar com Whailly, que, por sua vez, deu uma negativa como resposta.

Quando a jovem consentiu em dar o abraço de despedida no ex, ele a atacou com facadas no peito, braços, cabeça e costas. O acusado só parou quando Suelen interveio. Whailly foi levada para o hospital e passou por uma cirurgia.

Feminicídio

O Brasil deixou de julgar 10.786 casos de assassinos de mulheres em 2017 porque a quantidade de casos ultrapassa a capacidade da justiça brasileira em punir os responsáveis pelos crimes, segundo um estudo divulgado.

“O volume de processos é maior que a capacidade da Justiça de julgar responsáveis pelos crimes. O ano de 2017 terminou com 10,7 mil processos de feminicídio sem solução da Justiça”, lê-se no relatório “O Poder Judiciário na Aplicação da Lei Maria da Penha – 2018”, elaborado pelo Conselho Nacional (CNJ) de Justiça.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é responsável por 40% dos crimes de feminicídio na América Latina e ocupa o sétimo lugar no mundo entre as nações onde mais mulheres são mortas em casos relacionados com a violência de gênero.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. José Ruiz Postado em 06/Jul/2019 às 13:42

    eu sei que pode parecer estranho, mas está tudo conectado.. ou a gente faz algo para mudar de fato esse país, ou nos transformamos num ambiente mad max ou coisa do gênero.. Se confirmarem a chapa haddad/manu, a estorinha de Lula A a Z, Lula ou nada, era mentira.. então será o 3º golpe. Derrubaram a Dilma, prenderam o Lula, agora lançaram uma chapinha que perderá para Alckmin (ou Ciro).. Lula não sai da prisão nunca mais.. Lula se deixou levar numa prisão ilegal porque foi orientado nesse sentido.. talvez ele, com a força do povo, decidisse outro caminho, se soubesse que por ali ficaria anos preso e o golpe seria legitimado via eleições fajutas.. Abrimos mão do governo LEGÍTIMO da Dilma, da liberdade do Lula e agora nos propõem abrir mão da sua candidatura. Se aceitarmos a tutela, NÃO HAVERÁ MAIS NAÇÃO, quem tem filho hoje, não se faça de besta: não haverá um país para o seu filho. Não tem projeto para 200 milhões.

  2. Rodrigo Postado em 06/Jul/2019 às 13:42

    E ai é capaz do MBL fazer um vídeo dizendo que isso é Mi Mi Mi da mulherada... Que isso é vitimismo ou coisa do tipo.