Redação Pragmatismo
Justiça 24/Aug/2018 às 16:57 COMENTÁRIOS

MBL é condenado por fake news contra Jaques Wagner

MBL espalha fake news contra Jaques Wagner e apaga a publicação após denúncia. Tarde demais: Justiça condenou o grupo de extrema-direita

MBL condenado fake news Jaques Wagner

O MBL (Movimento Brasil Livre) foi condenado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) da Bahia a publicar em suas redes sociais resposta do candidato ao Senado Jaques Wagner (PT).

A decisão da justiça foi motivada por um vídeo postado nas redes sociais que mostra pessoas protestando contra petistas, que faziam ato em favor do ex-presidente Lula, em um shopping da capital baiana.

Em suas redes sociais, o MBL deu a entender que os protestos e críticas tinham Jaques Wagner como alvo. Wagner, no entanto, não participou do ato.

Além do MBL, o candidato a deputado Kim Kataguiri (DEM) e o vereador Fernando Holiday (DEM) foram condenados na mesma ação por republicarem a postagem feita nas redes sociais.

Em sua sentença, a desembargadora Gardênia Pereira justifica a decisão alegando que as informações divulgadas pelo MBL no vídeo são falsas.

A crítica amparada em fatos e opiniões reais, é parte da disputa democrática. No entanto, quando o ponto de vista ao público exposto destoa dessas balizas, compete ao Poder Judiciário, quando provocado, reparar os danos eventualmente causados às partes“.

Éden Valadares, coordenador da campanha de Wagner ao Senado, diz que o MBL mentiu e o TRE fez justiça: “Esperamos que eles aprendam a lição“.

Após a repercussão negativa, o MBL apagou o vídeo de suas redes sociais.

Leia também:
“Estrelas” do MBL batem cabeça publicamente por causa da eleição de outubro
Rede de fake news do MBL é removida do Facebook
“São delinquentes juvenis”, diz Ciro Gomes sobre militantes do MBL
Ação do MBL contra Lula é rejeitada no TSE
MBL reclama de “censura no Facebook” após exclusão de página

Holiday e Kataguiri

João Pedro Pitombo, Folhapress

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários