Redação Pragmatismo
Geral 09/Aug/2018 às 10:08 COMENTÁRIOS

Empresário que se divertiu ao atirar em caseiro é transferido para presídio

Yury do Paredão é transferido da delegacia para o presídio. Empresário disparou arma de fogo contra caseiro diversas vezes, enquanto seus amigos gargalhavam da cena. Vídeo viralizou

empresário Yury do Paredão
O empresário Yury Bruno Alencar Araújo

Yury Bruno Alencar Araújo, de 30 anos, conhecido como Yury do Paredão, foi transferido para a Cadeia Pública de Juazeiro do Norte (CE) nesta quarta-feira (8).

O empresário estava preso na delegacia da cidade desde que viralizou nas redes sociais um vídeo (ver abaixo) em que ele aparece disparando uma arma de fogo contra o caseiro de sua fazenda.

“Olha se ele tem cócegas agora, vagabundo”, diz um dos homens que presencia a situação. “Pegou, pegou!”, diz outra pessoa. A vítima dos disparos pede para que a “brincadeira” acabe. “Deixa de brincadeira”, diz o caseiro, que é funcionário de Yuri.

Após o caso, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) constatou que Yuri não possui registro de arma de fogo e pediu a prisão dele por meio de um mandado temporário.

O empresário responderá por porte ilegal de arma de uso restrito e disparo de arma de fogo. No primeiro caso, a pena é de dois a quatro anos de reclusão e multa. Já por ter efetuados os tiros, também poderá ser preso por dois a quatro anos e pagar multa. Os dois crimes são inafiançáveis.

Na internet, o caso reabriu o debate sobre o porte de armas de fogo no Brasil. “Ah, vamos armar o cidadão de bem. Não vai ter problema, não. Todo mundo só vai usar a arma para proteger a família”, ironizou um internauta.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Robby Souza Postado em 06/Jul/2019 às 13:42

    https://uploads.disquscdn.com/images/018decf18eb96a833bbf229f9126d5e3b2822b5e38da9a7a99c9f97bad178a9c.jpg

  2. Naro Solbo 2018 Postado em 06/Jul/2019 às 13:42

    Como está claro no texto da matéria, o imbecil NÃO TEM PORTE nem REGISTRO DA ARMA que é de uso restrito. Ou seja, é um criminoso comum. Vai pro xilindró. E assim deve ser se um dia legalizarem o porte de armas.

  3. Marcos Silva Postado em 06/Jul/2019 às 13:42

    Esse é o típico respeito que a classe média tem pela classe baixa. Acham que por serem patrões podem fazer o que quiser com seus empregados.