Redação Pragmatismo
Direita 10/Jul/2018 às 14:00 COMENTÁRIOS

Jornalista da Jovem Pan divulga telefone do desembargador Rogério Favreto

Jornalista divulga telefone do desembargador que mandou soltar Lula. Cláudio Tognolli, que também é professor da USP, é o mesmo que vazou os exames de dona Marisa Letícia. Após ser repreendido, ele apagou a postagem

Cláudio Tognolli Jornalista da Jovem Pan divulga telefone do desembargador Rogério Favreto

Dever de Classe

O jornalista e professor da Escola de Comunicação e Artes da USP Cláudio Tognolli pode perder o direito de exercer sua profissão. O motivo é a atitude deplorável de agir como dedo-duro do desembargador Rogério Favreto, que autorizou a liberdade de Lula.

Tognolli postou no Twitter o telefone do magistrado, com o claro e criminoso fim de jogar o povo contra essa autoridade do TRF-4. Após receber milhares de represálias por conta disso nas redes sociais, Tognolli se acovardou e apagou a deduragem que postara.

Vários profissionais de imprensa, em particular de São Paulo, onde Tognolli atua, sinalizam que vão impetrar ações na Comissão de Ética do sindicato do dedo-duro e na Fenaj. Cristian Góes — membro titular da Comissão Nacional de Ética (CNE) da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) — já anunciou no Facebook que vai propor a abertura de um processo para apurar o caso.

SAIBA MAIS: Vazamento da tomografia de Marisa por biógrafo de Lobão é investigado

O objetivo de tais ações é expulsar Tognolli dessas entidades ou aplicar-lhe alguma outra dura punição que o impeça de continuar a usar o jornalismo para a promoção de crimes, como é o caso da incitação à violência que ele patrocinou com sua deduragem.

Repreendido na USP

Segundo o site da Fórum, o jornalista Dennis de Oliveira, chefe do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), publicou Nota em que repudia a atitude do jornalista dedo-duro.

Eu, Dennis de Oliveira, chefe do Departamento de Jornalismo e Editoração, jornalista, não concordo e repudio essa publicação do celular do desembargador na rede social. Acredito que o debate político e jurídico não pode ser feito a partir dessas tentativas de criar linchamento de pessoas. Esse não é o jornalismo que ensinamos na ECA e essa postura não corresponde à visão do curso de jornalismo da USP que temos implementado.”

Leia também:
Professora desmente tese do ‘conflito de competência’ para barrar libertação de Lula
Lula permaneceu em “cárcere privado” apenas pelos gritos de Sergio Moro
“Especialistas” escalados para demonizar desembargador têm telhado de vidro
General ameaça desembargador que determinou soltura de Lula
Manobra de Sergio Moro para manter Lula preso é própria de quadrilha
Sergio Moro comete crime ao desobedecer ordem de desembargador
A história da primeira prisão de Lula, em 1980
10 questões para explicar ao mundo a prisão de Lula

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários