Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 20/Jun/2018 às 15:55 COMENTÁRIOS

Quarto brasileiro identificado em vídeo "foge" das redes sociais após ser descoberto

Gente de bem: já são 4 os brasileiros identificados em vídeo machista feito na Rússia. Um policial militar, um advogado com condenação, um engenheiro preso pela PF e, agora, um estudante universitário que sumiu das redes sociais

Wallace Prado identificado vídeo Rússia
Wallace Prado

Um quarto brasileiro foi identificado como personagem do vídeo machista feito na Copa do Mundo da Rússia e que já repercutiu mundialmente. Seu nome é Wallace Prado, de 23 anos.

Wallace é de São Paulo mas mora há quatro anos em Dublin, na Irlanda, onde estuda gestão de tecnologia de informação na faculdade Dorset College.

O estudante apagou seus perfis nas redes sociais após saber que havia sido identificado nas imagens. No vídeo, os brasileiros constrangem uma mulher estrangeira ao fazê-la gritar palavras obscenas.

Ao jornal Universa, uma amiga de Wallace disse que se surpreendeu ao saber que o rapaz participou daquela cena lamentável.

“A gente se conheceu a adolescência porque frequentamos o mesmo grupo de jovens. Fiquei bem chocada porque o reconheci na hora. Recebi uma mensagem em um grupo de amigos do WhatsApp perguntando se alguém mais tinha reconhecido algum dos caras. Essa foi minha certeza, pois não tinha comentado com ninguém minha desconfiança. Todos no grupo reconheceram também”, disse Priscila Barbosa.

Outra amiga de Wallace, que pediu para ter a identidade preservada, discorda: “É um cara que tenho um carinho, mas não gostaria que namorasse ninguém do meu convívio. Não vi com surpresa o fato de ele ter gravado um vídeo assim, era de se esperar. Mas recebi com surpresa o viral”.

Uma outra testemunha conta que o jovem compartilhou o vídeo em um grupo fechado de amigos no WhatsApp em tom de deboche no mesmo dia em que a gravação foi realizada.

Justiça na Rússia

Embora muitas pessoas se esforcem para minimizar a atitude dos brasileiros, os participantes do vídeo cometeram um crime e podem responder por isso na Rússia.

Depois de repercussão mundial, a jurista russa Alyona Popova denunciou os brasileiros e criou um abaixo-assinado contra os atos machistas por humilharem e violentarem publicamente a honra e dignidade de alguém (confira aqui).

Com a denúncia de Alyona, os homens podem ser responsabilizados por alguns crimes previstos na legislação do país.

Brasileiros identificados

O primeiro brasileiro identificado foi o advogado e ex-secretário Diego Valença Jatobá, registrado na OAB de Pernambuco. Ele tem uma uma condenação no TCE.

Também foi identificado Eduardo Nunes, tenente da Polícia Militar de Santa Catarina. A corporação afirmou que abriu um processo administrativo para apurar o caso.

Outro identificado é o engenheiro Luciano Gil Mendes Coelho, que publicou em suas redes sociais um pedido de desculpas comparando a Copa do Mundo com o carnaval e deixando subentendido que deveríamos nos preocupar com coisas mais graves no Brasil, como a “corrupção”, sem citar que ele próprio já foi preso pela Polícia Federal em 2015 (veja aqui).

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários