Redação Pragmatismo
Homofobia 12/Jun/2018 às 15:21 COMENTÁRIOS

Pesquisa mostra ligação entre homofobia e falta de inteligência

Pessoas homofóbicas são menos inteligentes, mostra pesquisa da Universidade de Queensland que relaciona habilidades cognitivas e preconceito. Outros estudos norte-americanos já tinham chegado a essas conclusões

Pesquisa mostra ligação entre homofobia e falta de inteligência

Ser homofóbico pode significar ser menos inteligente também. Esses são alguns dos argumentos de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, publicado no periódicoIntelligence.

Outros estudos norte-americanos já tinham chegado a essas conclusões. A pesquisa em questão, no entanto, é a primeira feita fora dos Estados Unidos, mostrando que a relação entre o preconceito e a pouca inteligência não se restringe à apenas uma região.

Essas são correlações conhecidas entre baixas habilidades cognitivas e o apoio à atitudes preconceituosas ou contra a igualdade“, escrevem os cientistas. “O nosso estudo contribui para o conhecimento em torno do tema provendo a primeira análise entre a habilidade cognitiva e atitudes contra questões LGBT com uma população fora dos EUA.”

Os autores do estudo analisaram os dados de mais de 11 mil australianos a partir de relatórios realizados em 2012 e 2015 no país. O primeiro abordava as habilidades cognitivas dos participantes e o segundo, as atitudes deles em relação à luta por direitos iguais. Neste último, a questão principal era se quem respondia acreditava que casais homossexuais deveriam ter ou não os mesmos direitos que os casais heterossexuais.

Segundo os cientistas, a análise mostrou que pessoas com mais habilidades cognitivas, ou seja, mais inteligentes aos olhos da ciência, tendem a ser menos preconceituosas. Eles afirmam ainda que a tendência ocorre independente da educação e da condição econômica dos participantes.

Nossos resultados sugerem que as habilidades cognitivas têm um papel crítico no preconceito. Sugerimos um foco maior nas pesquisas sobre habilidades cognitivas e uma integração desse fatos aos modelos de estudo do preconceito“, afirmam os pesquisadores.

Leia também:
Analista que defende pedofilia e assassinato de gays é preso em Curitiba
Príncipe indiano abre palácio para homossexuais sem moradia
O Estado Democrático de Direito e os homossexuais no Brasil
Experimento revela como é ser gay na Rússia
Como responder os 8 comentários homofóbicos mais comuns no Brasil
Padre Fábio de Melo se posiciona sobre o casamento homossexual
Brasileiro é contra casamento gay, aborto e legalização da maconha
Reprimidos? Pesquisa indica que homofóbicos sentem excitação por homossexuais

Revista Galileu

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários