Redação Pragmatismo
Barbárie 15/Jun/2018 às 20:16 COMENTÁRIOS

Padrasto mata enteada de 3 anos por fazer xixi na cama

Criança de 3 anos covardemente agredida pelo padrasto por fazer xixi na cama não resistiu aos ferimentos e morreu. Médicos se chocaram com o estado que a menina chegou ao hospital. Mãe também foi encaminhada à delegacia porque teria sido omissa às agressões

padrasto ana lívia morre
O padrasto, a mãe e Ana Lívia

Uma menina de apenas 3 anos que havia sido covardemente agredida pelo padrasto não resistiu aos ferimentos e teve a morte decretada na madrugada desta sexta-feira (15) em Poços de Caldas (MG).

Espancada por Christhopher Anthony Tavares Coelho, de 27 anos, Ana Lívia Lopes da Silva tinha sido internada com politraumatismo craniano. O homem foi preso na noite desta quinta-feira (14) e confessou as agressões. A mãe, de 19 anos, foi encaminhada à delegacia após ser acusada de omissão.

A polícia informou que as agressões começaram na quarta-feira (13), quando a menina teria urinado na roupa e na cama. A criança foi colocada de castigo e novamente agredida quando saiu do local. Ela teve sangramento no nariz.

À noite, Ana Lívia foi agredida mais uma vez. No dia seguinte, ela apresentou sinais de convulsão e só então foi levada ao hospital pela tia e pela avó, que são vizinhas. A menina estava desacordada, com dificuldade para respirar, inchaço e sinais de agressão pelo corpo.

O que diz a mãe

A mãe de Ana Lívia diz que a filha foi espancada pelo padrasto na quarta-feira. Ela alega que estava dormindo enquanto a menina era agredida. Segundo ela, ao acordar, viu que a filha apresentava lesões e mais tarde ficou inconsciente.

Ainda segundo a mãe, Ana Lívia ficou desacordada durante um bom tempo, quando apresentou inchaço e expeliu sangue. Apenas neste momento, a mãe pediu ajuda aos parentes que moram ao lado. A sogra e a cunhada viram o estado da menina, que foi levada ao hospital.

De acordo com os médicos, o estado da menina era tão crítico que foi preciso realizar um procedimento de drenagem dos pulmões para retirada de sangue, que impedia a respiração.

O Instituto Médico Legal (IML) informou que foram três as causas da morte de Ana Lívia: contusão por instrumento contundente (socos e pontapés), hemorragia no cérebro e politraumatismo crânio-encefálico.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários