Redação Pragmatismo
Racismo não 15/Jun/2018 às 18:41 COMENTÁRIOS

Ator negro confundido com bandido desabafa: "a bala não foi de raspão..."

Confundido com um assaltante, ator negro leva tiro da polícia em Salvador e desabafa: "não me calarei". Ao perceberem o desastre, os próprios policiais socorreram o artista e o levaram ao Hospital

ator negro Leno Sacramento
O ator Leno Sacramento (Imagem: Marina Silva)

A Polícia Civil da Bahia atirou contra o ator Leno Sacramento, de 42 anos, após imaginar que ele fosse um ‘bandido’. O disparo de arma de fogo atingiu a perna de Leno, que gritou que não era ladrão.

O ator usou as redes sociais nesta sexta-feira (15) para fazer um breve desabafo:

Meus, meus!… Leno Sacramento presente, vivo… Eu já estou bem fisicamente, mas não psicologicamente, agradeço pela força, carinho, energia, enfim… Peço desculpas hoje por estar muito emocionado e não falar tudo que preciso falar… Mas não se preocupem, não me calarei, não nos calaremos, ah!, a bala não foi de raspão e quando eles pediram para parar, paramos”.

Leno é membro do Bando de Teatro Olodum, um dos grupos teatrais mais importantes do Brasil e que revelou nomes como Lázaro Ramos, além de ter inspirado a série da Globo e filme “Ó Paí Ó”, nome de uma das peças de sucesso da companhia teatral baiana.

O Bando de Teatro Olodum publicou nota de repúdio à ação da Polícia Civil na Bahia contra seu ator, na qual diz: “Quantos jovens negros são vitimados diariamente desta mesma forma? Precisamos falar sobre isso. E a responsabilidade é de todos os órgãos que trabalham com Segurança Pública […] Isso não pode ficar impune, e a responsabilidade é de todos”.

A nota foi compartilhada pelo ator Lázaro Ramos em sua página no Instagram.

Entenda o caso

Leno Sacramento andava de bicicleta na orla da Barra, em Salvador, quando foi baleado por um policial que o confundiu com um bandido.

O ator foi abordado por agentes da polícia civil que estavam à paisana e à procura de assaltantes que tinham roubado uma senhora nas proximidades.

Os policiais passaram em uma viatura em baixa velocidade e procuravam o ladrão que teria fugido de bicicleta. Logo que viram Leno, acharam, erroneamente, que ele seria o criminoso e puxaram o gatilho.

O tiro da polícia atingiu a perna do ator. Assustado com o disparo, Leno gritou que não era ladrão. Ironicamente, logo após o tiro, um dos policiais reconheceu Leno, com quem já havia jogado futebol.

Ao perceberem o desastre, os próprios policiais socorreram o artista e o levaram ao Hospital Geral do Estado da Bahia, onde ele foi atendido. Lá, médicos constataram que a bala atravessou a panturrilha do ator e, felizmente, não pegou nenhum osso.

Depois, o ator foi prestar queixa na 1ª Delegacia, no bairro do Barris. Como a perna voltou a sangrar, foi levado ao Hospital Português, de onde depois teve alta.

O que você acha?

A Polícia Civil da Bahia afirmou que a Corregedoria da Polícia Civil vai apurar se houve excesso na ação de seus agentes.

Ao ser questionado na saída da delegacia pela imprensa baiana se acha que o tiro que levou foi fruto de racismo, o ator respondeu: “Você acha o quê?”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários