Redação Pragmatismo
Tragédia 22/May/2018 às 20:07 COMENTÁRIOS

Médico cubano que atendia no Brasil é uma das vítimas do desastre aéreo em Cuba

Moradores de cidade brasileira ficam chocados ao saberem que entre as vítimas do acidente aéreo que matou 110 em Cuba está o médico Jorge Cabrera, que chegou ao Brasil através do Mais Médicos: “Uma pessoa tão boa, partir assim. Não tem palavras”

acidente aéreo CUBA médico cubano
Imagem do acidente aéreo em Cuba (AFP)

Moradores da cidade de Presidente Castelo Branco (PR) ficaram chocados ao saberem que uma das vítimas do acidente aéreo em Cuba que matou 110 pessoas é o médico cubano Jorge Alberto Cabrera.

Carebra chegou ao Brasil através do Mais Médicos, programa do governo Dilma Rousseff, e trabalhava na cidade paranaense desde 2014. Ele estava de férias e foi para Cuba rever familiares.

Há um ano e meio, o cubano casou com a brasileira Carmen Cabrera. Ela não viajou para Cuba, e, em meio ao sentimento de perda, ela guarda a última mensagem enviada pelo marido minutos antes de embarcar no avião que caiu.

“Na última mensagem ele escreveu para eu nunca esquecer dele. Parece que ele estava adivinhando alguma coisa, nunca esqueça de mim minha rainha”, lamenta.

“A dor é muito grande. Dói as costas, o corpo todo, dói por dentro, não consigo nem tomar água”, conta Carmen Cabrera.

Medo de avião

A secretária de Saúde Bruna Faccin conta que, em uma conversa com os colegas, o médico comentou que tinha medo de avião.

“Ele gostava de viajar, mas comentou com as meninas da unidade que tinha um certo medo do avião cair, ele tinha um certo receio disso”, disse a secretária.

A aposentada Odete Claudino conta que Cabrera era muito querido por todos. “Uma pessoa tão boa, partir desse jeito, em uma tragédia. Não tem palavras para descrever, porque ele era como um filho pra gente”.

Tragédia

O Boeing 737-200 viajava de Havana para Holguín (leste) e caiu ao meio-dia de sexta-feira quando tinha acabado de decolar do aeroporto internacional na capital cubana, com 113 pessoas a bordo. Ainda não se sabe o que causou o acidente.

O avião fazia o voo DMJ 0972, da companhia Cubana de Aviación, mas era arrendado da companhia mexicana Aerolíneas Dalmojh, também conhecida como Global Air.

110 pessoas morreram e 3 sobreviveram. Na tarde desta segunda-feira (21), porém, as autoridades afirmaram que uma das sobreviventes não resistiu aos ferimentos. Outras duas mulheres seguem internadas.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários