Redação Pragmatismo
EUA 18/May/2018 às 13:21 COMENTÁRIOS

Homem promove banho de sangue em escola do Texas

URGENTE: Homem de 42 anos abre fogo em escola no Texas e deixa "múltiplos mortos" e feridos. "No começo, pensamos que era uma simulação de incêndio quando a professora começou a gritar: 'Comece a correr'"

tiros escola no texas eua
Escola foi evacuada após homem abrir fogo em sala de aula. Imprensa dos EUA fala em pelo menos oito mortos (imagem: reprodução)

Um homem de 42 anos abriu fogo em uma escola de ensino médio em Santa Fe, região de Houston, no Texas, na manhã desta sexta-feira (18). Segundo as autoridades, há “múltiplos mortos” e muita gente ferida. As informações são da CNN e do New York Times.

Os meios de comunicação locais falam de, no mínimo, nove mortos, mas a informação não foi confirmada pela polícia. O xerife do condado de Galveston, Douglas Hudson, disse que a polícia continua trabalhando no local do tiroteio. O autor dos disparos já foi detido.

Testemunhas relataram que o atirador entrou em uma das salas de aula com uma pistola e começou a disparar. Em entrevista por telefone ao canal ABC13, uma estudante do segundo ano do ensino médio disse que viu uma garota sendo atingida por um disparo em uma perna.

Segundo um estudante da Santa Fe High School, o homem invadiu uma aula de artes do primeiro período e começou a atirar. Os alarmes de incêndio dispararam por volta das 7h45 (horário local) para que os alunos evacuassem.

“No começo, pensamos que era uma simulação de incêndio quando a professora começou a gritar: ‘Comece a correr'”, disse o aluno à emissora de televisão “KTRK”.

Assim que a polícia chegou, o atirador fugiu para trás do complexo, retirou uma bandeira americana de um poste e a carregou até o saguão de um hotel. Ele colocou a bandeira sobre um balcão e gritou palavras de ordem. A polícia conseguiu balear as pernas do homem e ele foi preso, mas seu estado de saúde é considerado grave.

Este é o tiroteio número 22 nos colégios dos Estados Unidos em 2018, o que equivale a uma média de um por semana. Ele também ocorre três meses após o massacre de Parkland, Flórida, onde um ex-aluno assassinou 17 pessoas com um fuzil.

A matança provocou uma onda de protestos pelos Estados Unidos, impulsionadas pelo movimento #NeverAgain que pede um maior controle das armas no país. Na ocasião, o presidente Donald Trump se mostrou favorável a impulsionar uma maior controle das armas, mas nada a respeito foi feito.

Nesta sexta-feira, Trump disse que está monitorando a situação no Texas e classificou o evento como um “ataque totalmente horrível”. Ele também escreveu sobre o tiroteio no Twitter: “Deus abençoe a todos”, disse.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários