Redação Pragmatismo
Barbárie 15/Mar/2018 às 10:54 COMENTÁRIOS

A identidade do motorista da vereadora Marielle que também morreu

Pai de uma bebê, motorista de Marielle Franco (PSOL) estava fazendo bico para sustentar a família. Esposa de Anderson Gomes lamentou a forma brutal com que o marido foi assassinado

motorista da vereadora marielle franco
Motorista Anderson Gomes muito provavelmente não era o alvo dos criminosos, mas também acabou assassinado. Ele deixa filha e esposa

Anderson era uma pessoa muito boa, ele ajudava todo mundo no que ele pudesse. Um pai muito amoroso, um marido maravilhoso. E, como muitos nesse estado atual, fazendo bico pra tentar sustentar a família. Eu sou funcionária pública do estado. A gente tá vivendo um momento horrível. E Deus levou meu marido, não sei com que propósito. Ainda é difícil aceitar”.

O depoimento acima é de Ágatha Arnaus Reis, esposa de Anderson Pedro Gomes, o homem que dirigia o carro em que estava a vereadora Marielle Franco (PSOL) e foi alvejado na noite desta quarta-feira (14) no Rio de Janeiro (saiba mais sobre o crime abaixo).

Tanto o motorista como a vereadora morreram. Uma assessora de Marielle sobreviveu e é considerada testemunha-chave na investigação do crime.

A polícia civil trabalha com a hipótese de execução, já que Marielle levou quatro tiros na cabeça e nenhum pertence de qualquer ocupante do automóvel foi levado pelos criminosos.

No momento do crime, a vereadora estava no banco de trás do carro, no lado do carona. Como o veículo tem filme escuro nos vidros, a polícia considera que os criminosos acompanharam o grupo por algum tempo, tendo conhecimento da posição exata das pessoas.

O motorista Anderson Gomes foi atingido por pelo menos 3 tiros na lateral das costas. A polícia buscará imagens de câmeras da região para determinar o trajeto do carro e desde onde ele passou a ser seguido.

Um dia antes de ser morta, Marielle usou o Twitter para reclamar da violência policial no Rio de Janeiro. “Mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da PM. Matheus Melo estava saindo da igreja. Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?”, escreveu a vereadora.

O que já se sabe sobre o crime:

Marielle Franco, 5ª mais votada, denunciava arbitrariedades da Polícia Militar
A última mensagem no twitter a repercussão na imprensa internacional

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários