Redação Pragmatismo
Música 14/Mar/2018 às 12:38 COMENTÁRIOS

Maciel Salú divulga “Liberdade”

Single, inspirado no discurso e representação política de Nelson Mandela, antecipa o quinto e homônimo disco do cantor pernambucano

maciel salú músico pernambucano divulga liberdade
Maciel Salú, músico pernambucano (reprodução)

Esquentando a estreia de seu quinto álbum, previsto para sair no dia 23 de março, o cantor Maciel Salú acaba de divulgar a faixa-título “Liberdade”. Inspirada no discurso e representação política de Nelson Mandela, música foi composta, pelo próprio artista, em um período de muitas inquietações e questionamentos, principalmente relacionados ao racismo, intolerância religiosa e desigualdade.

Infelizmente, tudo isso ainda está presente em nossa sociedade. Percebam, como exemplos, os ataques aos terreiros de Candomblé e Umbanda, além da proibição das sambadas de Maracatu Rural. São coisas que vivi e lutei contra nesses últimos anos, sem contar muitas outras situações que precisei passar pelo único e exclusivo fato de ser negro, vindo de uma família simples, nascido, enquanto músico, no berço da cultura popular e não na academia, nem no conservatório. Essa canção, para mim, é quase um grito que, durante muito tempo, ficou engasgado. Um misto de revolta e, ao mesmo tempo, serenidade e sabedoria”, ressalta.

Com influências do rock e pop, “Liberdade” foi gravada com bateria, guitarra, baixo e rabeca. Essa última, vem crua e sem efeitos, mas bastante marcada. Para dar um peso extra na sonoridade, alfaia, gonguê e caracaxá.

Somando um pouco mais de três minutos, track é, acima de tudo, um convite ao respeito, consciência e dignidade universal.

Sobre Maciel Salú:

Pernambucano, nascido em Olinda, Maciel Salú é cantor, compositor, rabequeiro, mestre e brincante de diversos folguedos. Herdeiro da Família Salustiano, uma das mais expressivas na cultura popular brasileira, convive desde criança em meio aos maracatus, cavalos marinhos, cocos e cirandas.

Na década de 90, durante o auge do manguebeat, integrou a banda Chão e Chinelo. Nessa época, começou a experimentar as diversas fusões de seu trabalho com os ritmos contemporâneos. Essas tentativas ganharam ainda mais força, em 2002, quando uniu seu repertório popular com a música eletrônica em DJ Dolores & Orchestra Santa Massa. No grupo, ganhou prêmios como o BBC Awards, Tim e Multicultural Estadão, além de, em 2016, apresentar-se na Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas, no Rio de Janeiro.

Em 2003, Maciel Salú iniciou carreira solo e realizou, desde então, importantes parcerias. Entre elas, com Chico César, Jorge Du Peixe, Siba, Jam da Silva, Isaar, Carmélia Alves e Luiz Paixão.

Com 20 anos de carreira, o artista também participa da Orquestra Contemporânea de Olinda, indicada ao Prêmio da Música Brasileira (2009) e ao Grammy Latino (2010).

Atualmente, prepara-se para a estreia de seu quinto álbum, “Liberdade”, previsto para ser divulgado no dia 23 de março.

Ouça aqui:

Ficha Técnica:

Joana Melo (caracaxá e backing vocal)
José Mário (alfaia, gonguê e backing vocal)
Maciel Salú (rabeca e voz)
Rapha Beltrão (bateria)
Rogê Victor (baixo e backing vocal)
Sammy Barros (guitarra e backing vocal)

Assessoria Bianco

Leia também:
Muito obrigado, Nelson Mandela!
Leonardo Boff: Por que no meio da dor os negros cantam, dançam e riem?
Sete frases de Nelson Mandela que você não verá na grande mídia

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários