Redação Pragmatismo
Juristas 05/Fev/2018 às 17:06 COMENTÁRIOS
Juristas

Mesmo com casa própria, Moro e Dallagnol recebem auxílio-moradia

Publicado em 05 Fev, 2018 às 17h06

Reportagem revela que Sergio Moro e Deltan Dallagnol recebem auxílio-moradia, apesar de possuírem casa própria na cidade onde vivem. Desde 2014 já foram empenhados R$ 5,4 bilhões com o benefício para membros do Judiciário e do Ministério Público em todo o país.

casa própria moro dallagnol recebem auxílio moradia justiça jurista lava jato imoralidade

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) na Operação Lava Jato, recebe R$ 6.659,73 de verbas indenizatórias por mês. Esse tipo de benefício, que inclui auxílio-alimentação, auxílio-transporte e auxílio-moradia, não está sujeito ao teto constitucional.

Desse valor, R$ 4.377,73 são de auxílio-moradia. Segundo assessoria do MPF, o procurador possui imóvel próprio em Curitiba, onde mora. A assessoria afirma que o pagamento do benefício está “amparado em uma liminar e em regulamentações internas que não trazem entre as vedações o fato de a pessoa possuir imóvel“. O MPF também diz que “a norma permite o pagamento a todos“.

O restante do pagamento é composto por R$ 884,00 de auxílio-alimentação e R$ 1.398,00 de auxílio-pré-escola -o MPF paga R$ 699 por filho de até seis anos para todos os membros e servidores.

Ele também chegou a comprar dois apartamentos em um prédio do Minha Casa Minha Vida, programa do Governo Federal de financiamento de imóveis com juros mais baixos. Os imóveis foram comprados à vista, sem financiamento do programa.

Uma reportagem da Folha revelou que o juiz Sergio Moro também recebe auxílio-moradia apesar de possuir imóvel próprio em Curitiba. Ele afirmou que o benefício “compensa a falta de reajuste dos vencimentos” de magistrados.

O juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, moveu uma ação para que ele e a esposa, que é membro da mesma categoria, recebessem um benefício cada um, apesar de uma resolução do CNJ que proíbe o pagamento em dobro.

Segundo a ONG Contas Abertas, desde 2014 já foram empenhados R$ 5,4 bilhões com o benefício para membros do Judiciário e do Ministério Público em todo o país.

Leia também:
“Sergio Moro e Dallagnol ainda vestem fraldas na ciência do Direito”
Sergio Moro e Deltan Dallagnol constituem uma mesma entidade
Quando o juiz moralista é, na verdade, um imoral
O judiciário entre a imoralidade e o privilégio

Monica Bergamo, Folhapress

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

Comentários

  1. Brasileiro Postado em 06/Jul/2019 às 12:13

    $érgio Tucano Moro precisa explicar como conseguiu comprar um apartamento que custa 1 milhão e meio, por apenas 170 mil Reais. Larápio. #AuxílioMOROdia

  2. Jairo Gomes Viana Postado em 06/Jul/2019 às 12:14

    Penso que um dos motivos de a presidenta Dilma ter sido golpeada, foi sua negativa de não dar aumento de 78% ao judiciário em 2015 e com isso O STF se calou diante do processo, como se quisesse vingar. A perseguição jurídica imposta contra o presidente Lula pode fazer parte desta vingança, impedido o petista disputar as eleições de 2018, A farra do boi em relação as penduricalhos concedidos ao sistema jurídico, pode estar ameaçada com a vitoria de um candidato petista, principalmente se for o Lula. A justiça terá que se explicar as razões de algo tido como legal, mas imoral para a população brasileira que é sacrificada. Quanto mais se mexe, mais fede, tal é o número de benefícios concedidos a uma classe de funcionário públicos, que mais parece ser o patrão, o dono da boca.

  3. Araújo Postado em 06/Jul/2019 às 12:13

    Fulanizar essa imoralidade não ajuda a combatê-la.