Redação Pragmatismo
Lula 30/Jan/2018 às 16:24 COMENTÁRIOS

Apreensão do passaporte de Lula é "absurdo injustificável", diz jurista

Doutor em Ciências Penais pela UFMG diz que apreensão do passaporte de Lula carece de "fundamentação, razão ou validade jurídica". Jurista chama a atenção para o fato de o ex-presidente ser tratado como um "inimigo" que precisa ser aniquilado

apreensão passaporte lula absurdo injustificado jurista direito

RBA

Um absurdo, sem qualquer fundamentação ou razão, um processo diferente da condenação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O presidente Lula, se quisesse sair do país, já tinha pedido asilo há muito tempo e não ia faltar país no mundo a querer dar asilo e receber o presidente de braços abertos. Essa decisão carece de fundamentação, carece de validade jurídica e legal e esperamos que ela seja brevemente revogada.”

É dessa forma que o advogado criminalista e doutor em Ciências Penais pela UFMG Leonardo Isaac Yarochewsky qualifica a decisão do juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Ricardo Leite, que não tem relação com o julgamento do processo do chamado triplex do Guarujá, de apreender o passaporte do ex-presidente para impedi-lo de viajar a um encontro da União Africana, realizado no sábado (27).

Em entrevista ao jornalista Glauco Faria, na Rádio Brasil Atual, o advogado fez referência ao julgamento da Ação Penal 470, caso chamado de “mensalão”, como um ponto de virada que se relaciona com o atual cenário. “Realmente o mensalão, e muitas pessoas não se atentaram, foi um marco nesse sentido. Na época em que o ministro (Luís Roberto) Barroso foi sabatinado, disse que o caso seria um ponto fora da curva, mas foi um ponto na curva, porque de lá pra cá os abusos (aumentaram) e o Estado penal avançou, utilizando teorias como a do domínio do fato. Seu próprio autor, Klaus Roxin, criticou seu mau uso, que à época foi utilizado principalmente para a condenação do ex-ministro José Dirceu. Eles não tinham provas e usaram essa teoria“, recordou. “Novamente a teoria é repetida em sua utilização no Tribunal Regional Federal para aumentar a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva de forma absurda.”

Isso representa um avanço do Estado Penal, se atropelam os direitos e garantias fundamentais e rasga-se a Constituição da República e o Código de Processo Penal para se chegar a um fim, custe o que custar“, afirmou o jurista. “Lula foi e está sendo tratado pela grande mídia como inimigo, termo que vem de uma concepção de Carl Schmitt, na qual a ele não se dá direitos e garantias, tem que ser aniquilado. Os direitos e garantias servem apenas para ‘nós’, ‘os amigos’, os ‘homens de bem’. O inimigo, o indesejado, deve ser tratado sem qualquer direito e garantia para ser aniquilado’.”

Leia também:
Franceses criticam parcialidade do judiciário na condenação de Lula
“TRF-4 decidiu pelo in dubio pro Leo”, garantem especialistas
Condenação de Lula é castigo em escala mundial

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários