Redação Pragmatismo
Lula 24/Jan/2018 às 15:32 COMENTÁRIOS

A repercussão internacional do julgamento de Lula no TRF-4

Associated Press afirma que o “futuro de Lula depende de um apartamento numa cidade decadente”. NYT aponta que evidências contra Lula estão muito abaixo do padrão que seria usado seriamente no sistema judicial dos EUA

julgamento de Lula new york times

A imprensa internacional repercute o julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4, nesta quarta-feira, em Porto Alegre (RS).

Para cobrir o julgamento na capital gaúcha, cerca de 250 jornalistas se credenciaram, dos quais 43 são correspondentes internacionais.

Os sites dos norte-americanos “New York Times” e “Washington Post” trazem matéria da Associated Press afirmando que o “futuro de Lula depende de um apartamento numa cidade decadente”, referindo-se ao tríplex no Guarujá que, segundo denúncias, pertenceria ao ex-presidente.

O jornal publicou artigo do codiretor do Center for Economic and Policy Research, Mark Weisbrot, em que diz que as provas contra Lula estão muito abaixo do padrão que seria usado seriamente no sistema judicial dos Estados Unidos.

O “Financial Times”, por exemplo, afirma que o “Brasil ficará grudado à televisão” nesta quarta-feira para acompanhar o que descreveu como “o julgamento do século” no País.

O jornal britânico ressalta que a ambição de Lula de concorrer à eleição presidencial poderá ser frustrada se a condenação ao ex-presidente for mantida.

O espanhol “El País”, por sua vez, diz em sua página que a decisão judicial de hoje sobre Lula marcará “o futuro político do Brasil”.

Já o argentino “La Nación” destaca em seu site que Lula – que tem figurado como favorito nas pesquisas para a eleição presidencial – promete lutar “até a morte”. O julgamento está previsto para começar às 8h30.

O julgamento

Pouco antes das 14h, o desembargador João Pedro Gebran Neto proferiu o primeiro voto do julgamento.

Relator do processo, ele manteve a condenação de Lula por Sergio Moro, mas aumentou a pena do ex-presidente para 12 anos e 1 mês de reclusão.

A pena inicial determinada por Moro havia sido de 9 anos e 6 meses. O julgamento continua e mais dois desembargadores irão votar. Assista aqui.

com Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários