Redação Pragmatismo
Tragédia 07/Nov/2017 às 18:14 COMENTÁRIOS

Os boatos sobre o atirador do Texas que viralizaram nas redes

Gafe da TV CBS, muçulmano convertido, militante antifascista, marido de vítima e até humorista famoso. Boatos infundados sobre atirador do Texas se espalham nas redes sociais e enganam leitores

Devin Patrick Kelley igreja boatos Texas
Devin Patrick Kelley

Horas após Devin Patrick Kelley abrir fogo dentro de uma igreja no Texas no último domingo, diversos boatos sobre o atirador que matou 26 pessoas começaram a surgir nas redes sociais. Confira os que mais se espalharam:

Militante antifascista. Partidários da extrema-direita não perderam tempo e rapidamente construíram um perfil de Devin Patrick Kelley vinculado a grupos antifascistas, os chamados Antifas — o que foi negado pela investigação.

Um vídeo difundido no YouTube pelo Patriotic Beast (A besta patriótica) mostra supostas provas de que Kelley pertenceria ao movimento. Na verdade, trata-se de uma montagem — que já contava com mais de 55 mil reproduções na noite de ontem — da conta de Facebook de Kelley, onde ele aparece com a arma aparentemente usada no massacre, seguida de fotos falsas de uma outra conta vinculada aos Antifas. O vídeo ainda destaca seu gosto por ateísmo, meio ambiente e direitos humanos.

Humorista famoso. O democrata Vicente González, do Texas, apareceu em uma entrevista na CNN ajudando a difundir mais um boato, possivelmente nascido nas redes sociais:

“Fui informado que o assassino não pertence a esta comunidade. Aparentemente, ele se chama Sam Hyde, esse é o nome que ouvi”, garantiu González ao vivo, sem revelar sua fonte.

Hyde, na verdade, é um humorista famoso depois que uma de suas apresentações viralizou, em 2015, e ele passou a ser associado à extrema-direita.

Por conta disso, desde o tiroteio em San Bernardino, na Califórnia, naquele mesmo ano, ele costuma ser associado nas redes sociais — sempre em tom de piada — a vários massacres cometidos nos EUA.

Marido de vítima. Chris Ward — que perdeu a mulher, a filha e a enteada no massacre — se transformou em algoz na internet graças a um erro da rede de TV CBS na identificação do assassino.

Ao vivo, uma mulher, que se apresentou apenas como Carrie, garantiu que havia escutado um sobrevivente dizer que Ward era o autor do ataque.

Rapidamente o nome se espalhou no Twitter e no Facebook, principalmente devido a uma conta — a BNL News, associada a um grupo de simpatizantes de Donald Trump — que também divulgou o nome. Horas depois, o perfil pediu desculpas pelo erro e apagou seus dois posts sobre o assunto.

Muçulmano convertido. Um outro site identificou o atirador do Texas como Samir al-Hajeeda, um americano que supostamente teria se convertido ao islamismo — o mesmo nome já tinha sido associado ao autor do massacre em Las Vegas, no mês passado, que deixou 58 mortos.

Ontem, novamente a teoria foi compartilhada, dessa vez por uma conta de Twitter falsa, vinculada ao nome de Julian Assange, criador do WikiLeaks.

O rumor rapidamente se espalhou nas redes, mesmo que nada divulgado oficialmente até agora indique que o assassino tenha se convertido ou mesmo mudado seu nome, o que muitos novos fiéis costumam fazer.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários