Redação Pragmatismo
Homofobia 09/Nov/2017 às 16:14 COMENTÁRIOS

Jovem tenta proteger irmã trans e é assassinado

Jovem de 24 anos morreu após tentar defender a irmã trans que estava sendo ofendida. Delegado diz que o "crime pode ter sido motivado por preconceito"

irmã trans morre jovem
Petherson morreu após tentar proteger a irmã transexual

Um jovem morreu durante uma briga no Jardim São Luís, na Zona Sul de São Paulo, na tarde desta quarta-feira (8), após defender a irmã dele que é transexual.

O crime ocorreu em uma praça enquanto Lorena Vicente estava sentada em um banco usando o wi-fi público. Após um suspeito passar de bicicleta provocando Lorena, o irmão dela, Petherson Roberto dos Santos, de 24 anos, foi tirar satisfação.

A vítima recebeu golpes na cabeça e morreu na praça. O suspeito, Luiz Carlos Mariano, de 18 anos, fugiu de bicicleta.

“Ele ameaçou jogar a bicicleta em cima de mim e o meu irmão foi cobrar. Falar para ele respeitar, né. Só que aí ele veio, já começaram a discutir e entraram em luta corporal”, conta Lorena Vicente.

O caso foi registrado como homicídio qualificado na 92ª delegacia policial. A assessoria de imprensa de Secretaria de Segurança Pública afirma que a prisão do temporária do suspeito está decretada.

“A Polícia Civil informa que o caso foi registrado como homicídio qualificado no 92º DP, que instaurou inquérito para investigar o caso. Diligências estão sendo realizadas para localizar o autor do crime. A autoridade policial representou pela prisão temporária do autor à Justiça”.

Preconceito

O delegado Luís Roberto Hellmeister disse que o crime pode ter sido motivado por preconceito.

“Ele é procurado como autor, tem testemunhas oculares, o amigo dele que estava junto com ele tentou evitar o crime, mas não conseguiu”, disse.

“Eu acredito que a motivação, num primeiro momento, seria de preconceito pela orientação sexual da irmã da vítima”.

Apesar da vítima não ter sido a transexual, o ataque a ela é um exemplo da intolerância no Brasil. O país ocupa o primeiro lugar em homicídios de LGBTs na América.

Só de transexuais, foram 53 assassinatos registrados no primeiro quadrimestre de 2017, um crescimento de 18% em relação ao mesmo período de 2016.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários