Redação Pragmatismo
Capitalismo 24/Nov/2017 às 09:22 COMENTÁRIOS

A nova lista suja das lojas que você deve evitar na Black Friday

Procon dá dicas para compras seguras e divulga “lista suja” com as lojas que devem ser evitadas pelo consumidor na Black Friday de 2017. No total, são 518 estabelecimentos

black friday 2017 dicas procon

A Black Friday, um dos dias mais aguardados pelo varejo nacional, está acontecendo nesta sexta-feira, 24, e o Procon-SP divulgou a “lista suja” com as lojas que devem ser evitadas pelo consumidor.

No total, são 518 estabelecimentos. A lista foi atualizada para 2017.

Há reclamações diversas que ficam como alerta aos consumidores: desde fretes muito caros até atraso nas entregas, além de produtos danificados ou que divergem do anunciado.

Segundo o Procon-SP, a partir do levantamento, a instituição procura evitar que a população seja lesada e o tão sonhado desconto acabe se transformando em pesadelo.

Todas as lojas da lista foram notificadas sobre os problemas e, mesmo assim, não ofereceram solução aos casos ou não foram encontradas.

Para acessar a lista completa, clique aqui.

DICAS

Antes das compras, o Procon-SP recomenda que o consumidor procure a identificação da loja, o que abrange razão social, CNPJ, endereço e canais de contatos, uma vez que a localização da empresa se torna fundamental caso ocorra algum problema.

Se não encontrar tais informações, é aconselhado que escolha outro local para aproveitar a Black Friday.

Pesquisar se os dados informados são reais e tomar cuidado com ofertas recebidas por e-mail também são formas de evitar prejuízos futuros.

Outro fator a se atentar é a forma como os sites exibem seus contatos, sendo duvidosos aqueles que deixam somente um telefone celular ou e-mail gratuito.

As transações online também não devem ser feitas em computadores desconhecidos, como os de lan houses, cyber cafés, máquinas ou redes públicas, já que podem não estar adequadamente protegidos.

Aqui, recomenda-se imprimir ou salvar todos os documentos (telas) que comprovem a compra e confirmem o pedido. Comprovante de pagamento, contrato e anúncios são exemplos disso.

FRETE

Tomar cuidado com o preço do frete é outra medida essencial.

No ano passado, algumas lojas elevaram de maneira exacerbada as taxas cobradas para a entrega, anulando o desconto oferecido, o que fez com que as compras não valessem mais a pena para os consumidores.

Desse modo, verifique o preço antes de adquirir o item, e se o considerar abusivo, denuncie.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários