Redação Pragmatismo
Cinema 06/Oct/2017 às 12:22 COMENTÁRIOS

Nobel de Literatura 2017, Kazuo Ishiguro teve dois livros adaptados para o cinema

Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, título concedido nesta quinta-feira na Suécia, o escritor Kazuo Ishiguro teve dois romances adaptados para as telas do cinema. Um deles, 'Os Vestígios do Dia', é uma película que não pode deixar de ser vista

 Nobel de literatura Kazuo Ishiguro livros adaptados cinema

Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, título concedido nesta quinta-feira em Estocolmo, na Suécia (5), o escritor Kazuo Ishiguro teve dois romances adaptados para as telas do cinema.

O primeiro livro a virar filme foi Os Vestígios do Dia, lançado em 1989 e reconhecido com o prêmio Booker Prize no mesmo ano (No Brasil, algumas edições tiveram o título traduzido para Os Resíduos do Dia). Na trama dirigida por James Ivory, um mordomo que há décadas trabalha servindo uma mesma mansão passa a olhar para seu passado quando o atual patrão lhe concede alguns dias de férias.

Nesse tempo de descanso, Stevens, interpretado pelo ator Anthony Hopkins, entra em contato com uma ex-colega, a governanta Miss Keaton, vivida pela atriz Emma Thompson, que nutre sentimentos pelo mordomo — intenções que o homem, devotado à casa e à profissão, não foi capaz de perceber – assim como também não percebeu o desmoronamento do mundo em que vivia, abalado pela ascensão do fascismo e pela iminência da II Guerra. O filme foi lançado em 1993 e indicado a oito Oscar, mas não levou nenhuma estatueta.

Conhecido por dirigir clipes da MTV que ficaram famosos, o diretor Mark Romanek adaptou a obra Não Me Abandone Jamais, lançada em 2005, para contar uma história com contornos de ficção científica. Na trama de 2010, um trio de jovens criados em um orfanato descobrem uma revelação perturbadora sobre sua verdadeira natureza e seu propósito. Quando crescem e entendem que seu destino está traçado, o desafio será sentir algo que seja genuíno, como o amor. No cinema, os personagens foram vividos pelos atores Keira Knightley, Andrew Garfield e Carey Mulligan.

Com o sucesso das adaptações, Kazuo Ishiguro escreveu dois roteiros originais para o cinema: os filmes A Música Mais Triste do Mundo, lançado em 2003, e A Condessa Branca, em 2004.

Gauchazh

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários