Redação Pragmatismo
Política 24/Oct/2017 às 19:51 COMENTÁRIOS

Articulações, costuras e negócios

pmdb psdb articulações costuras negócios corrupção

Anderson Pirota*, Pragmatismo Político

Que o boêmio Senador Aécio Neves está por trás das escolhas e indicações dos relatores para a CCJ – comissão de constituição e justiça e de cidadania – não é novidade para ninguém que esteja em sã consciência. Os Deputados federais Bonifácio Andrada e Paulo Abi-Ackel; ambos do PSDB mineiro são do grupo de Aécio. Andrada está no 10º mandato; e Abi-Ackel no 3º mandato, ambos, tem algo em comum, pouco se importam ou pouco se importaram em todos esses anos de mandatos quando o assunto é sobre os direitos trabalhistas, votaram pela terceirização irrestrita, pela (de) forma trabalhista ou qualquer outro projeto que seja á favor do “deus mercado”. A equação é bem simples, Aécio articulou e costurou a salvação de Temer, e por sua vez, Temer costurou e articulou a salvação de Aécio. O acordo entre PMDB e PSDB, envolve a bagatela de 200 milhões em liberação de emendas parlamentares, o que teria garantido a sobrevivência de ambos. Como diz o axioma popular; ‘uma mão lava a outra’, neste caso as duas estapeiam a face da nação.

Na primeira denúncia contra Temer por corrupção passiva, o relatório do deputado Paulo Abi-Ackel, do PSDB mineiro, que foi a favor do arquivamento da denúncia, o resultado foi 41 votos a favor de Temer e 24 contra. Já a segunda denúncia por organização criminosa e obstrução de justiça o placar foi 39 votos a favor do arquivamento da denúncia, é o que indicava o relatório do deputado Bonifácio Andrada, também do PSDB mineiro. Agora a decisão vai para a Câmara que dará a palavra final, é ai que porca torce o rabo.

Na primeira votação Temer torrou mais de 14 bilhões do contribuinte entre liberações de emendas, renegociações e perdão de dividas de banqueiros, latifundiários e igrejas. Contudo, as bondades não param por ai, mas acabam virando maldades à população, é o caso da portaria que flexibilizou os critérios de combate ao trabalho escravo, comemorado muito por ruralistas, latifundiários e pelo ministro da agricultura Blairo Borges Maggi; com muito champanhe e outros comes e bebis, inicialmente, tamanha aberração fere a Convenção 181 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), além de significar uma “afronta ao princípio da vedação ao retrocesso social, previsto no Pacto de San José da Costa Rica“, referência à Convenção Americana sobre Direitos Humanos, à qual o Brasil aderiu. Entretanto, Temer está pouco se lixando se é maldade ou não para a nação, até mesmo porque, as bancadas ruralista e patronais possuem mais de 200 parlamentares na Câmara, é onde Temer está de olho, e não para por ai, medidas como a MP 795 que arrasa a indústria naval fazem parte do ‘combo número 2’ de Temer, são os empregos nos estaleiros indo por água abaixo, o único e real objetivo é salvar Temer que salva Aécio e vice versa, objetivo este é manter o foro privilegiado tanto pra um quanto pra outro. Aécio não se conforma com a fragorosa derrota em 2014 para a então presidenta Dilma Viana Rousseff deposta por um golpe parlamentar, midiático e jurídico, “que se dane e que se lasque a ordem institucional”, faz voos sem escalas rumo à sua morte política, e de nada adiantou ficar de castigo por algumas noites por decisão da primeira turma do Superior Tribunal Federal.

Os protestos nas redes sociais, nas ruas, nas fabricas, nas universidades e até mesmo nos churrascos de família; coloca Aécio e tucanos de fina plumagem em maus galhos, ao ponto do Senador Cearense Tasso Jereissati vir a São Paulo decidir com Fernando Henrique Cardoso o futuro do ‘garoto enxaqueca’, a situação é critica. Tudo isso diante dos olhos do Supremo Tribunal Federal, é o cinismo togado, o Supremo sabe muito bem da compra de votos para aprovar o impeachment/golpe da Presidenta Dilma, e nada fez, nada viu como agora na compra de parlamentares da segunda denúncia contra Temer feito pela Procuradoria Geral da República. Trata-se de uma imagem vergonhosa; impagável da história é um festival de absurdos contra os Sagrados valores da República. Temer, ‘chefe mor’ da cleptocracia, ‘termo de origem Grega que significa governo de ladrões, cujo objetivo é o roubo de capital financeiro do país e do seu bem comum’, não tem pudor em dizer: “tem que manter isso ai viu”. Como quaisquer outros golpistas, são como quadrilhas organizadas, dispostas a fazer qualquer coisa para assegurar a blindagem, mesmo que se instaure a baderna institucional.

Todavia, não se pode esmorecer, e aceitar a falência de nossas instituições republicanas, é hora de tomar o país em nossas mãos, fazer a disputa nos meios de comunicação, não há outro meio de resgatar a democracia se não for através do sonho que desperte para uma ação, que começamos lembrando sempre dos nomes e da fisionomia de parlamentares que hoje estão no Congresso Nacional; como sanguessugas das riquezas que pertencem ao povo. Não se pode terceirizar a Luta e nem aceitar o retorno da vergonha de estar nas estatísticas de não termos acabado com o trabalho em situação análoga à escravidão, não se pode permitir que idéias fascistas tenham espaços nos já confusos meios de comunicação de massa, e menos ainda fechar os olhos para o desrespeito com os irmãos e irmãs que tem o direito a uma alimentação saudável e saborosa. Dizer não a quaisquer programas de distribuição de “ração” para humanos (vide o escandaloso e indigesto caso da administração tucana da prefeitura de São Paulo) é papel de todo progressista.

É um erro gravíssimo depositar todas as esperanças de dias melhores nas eleições de 2018, não se pode confiar em golpistas e menos ainda na sedução midiática de empresas de comunicação de massa que tem contas á acertar com o fisco, contra a tirania midiática há de fortalecer os blogs progressistas. Denunciar em assembléias de sindicatos, nas redes sociais (poderoso instrumento de denuncia), nas rádios comunitárias e nas manifestações estudantis, são armas que devemos utilizar sem cessar. Ressalta-se, que a direita golpista, homofóbica, machista, racista e fascista utiliza de um discurso moralista e religioso para confundir a opinião pública.

A delicadeza do momento nos remete a importância de discutir a questão de qual projeto desenvolvimentista de Estado Nação que pretendemos, pensar muito no que vem e no que tem acontecido, haja vista, que o projeto golpista que vem atentando os direitos civis e trabalhistas; é um projeto de Estado mínimo, que dilapida a ‘coisa pública’ em nome do mercado, inclusive a democracia que nós construímos e começamos à experimentar.

Ninguém nos devolverá a querida democracia se não formos busca- lá, pra isso, é hora de denunciar quem não a respeita e enfrentar de cabeça erguida empresas de todos os pólos de fomentação reacionária, como por exemplo, a empresa de tecnologia de inteligência artificial Cambridge Analytica.

Quem quer a paz, que esteja preparado para a guerra!

No mais, não somos adeptos da revolução de veludo, queremos participar desta festa democrática e decidirmos que caminho há de tomarmos; via referendos, plebiscitos e eleições. Juntos, somos fortes.

*Anderson Pirota é bacharel em Sociologia e Política e pós graduado em Mídia, Política e Sociedade pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP, mestrando em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP e colaborou para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários