Redação Pragmatismo
Religião 23/Oct/2017 às 21:02 COMENTÁRIOS

Após ler boato, vereador evangélico ameaça prender Pabllo Vittar

"Eu vou prender, vou prender, nem que depois eu seja preso por abuso de autoridade". Mal informado, vereador ameaça prender Pabllo Vittar após acreditar em notícia falsa

vereador evangélico pabllo vittar

A cidade de Ponta Grossa (PR) realiza, todos os anos, a tradicional Munchen Fest, evento com inspirações na cultura alemã que conta com shows, apresentações de danças e gastronomia típica.

Neste ano, a festa, que será realizada entre 5 e 10 de dezembro, deve receber atrações como Anitta, Henrique e Diego e Pabllo Vittar — nome que causou a revolta de um vereador da cidade ao ser anunciado.

Na última segunda-feira, o pastor e vereador Ezequiel Bueno (PRB-PR) fez um discurso na Câmara Municipal lamentando que Ponta Grossa receba “esse tipo de show” porque é “uma cidade família, uma cidade conservadora”.

Além disso, tomando como base uma notícia falsa divulgada na internet, Bueno ameaçou prender Pabllo Vittar.

Há algumas semanas, foi divulgado um tuíte do deputado federal Jean Willys (PSOL-RJ) que dizia que ele e Pabllo fariam “uma turnê pelas escolas do Brasil ensinando as crianças sobre diversidade sexual”. Entretanto, a publicação era falsa e foi desmentida pelo deputado.

Citando esse boato, Ezequiel Bueno disse: “Quem quiser ir assistir, pode ir. Agora, se inventarem de sair pra rua e ir nas escolas, eu vou prender. Vou prender, nem que depois eu seja preso por abuso de autoridade. Não vamos deixar isso acontecer, não vamos deixar uma pessoa dessa ir na escola e ensinar sobre diversidade sexual para as crianças. ‘Mas pastor, é só um show’. Eu não sei não. Abriu a porta, entrou e aí é complicado”.

Ele disse ainda que vai cobrar explicações da vice-prefeita da cidade e presidente da Fundação Municipal de Turismo, Elizabeth Schmidt (PSB), sobre os recursos públicos e privados utilizados na festa e como foi a escolha dos artistas.

Nota

Depois de ser desmentido, o vereador divulgou uma nota através de sua assessoria de imprensa. O político voltou a citar o boato. Leia trechos:

Em razão da grande repercussão do discurso realizado na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Ponta Grossa do último dia 16, o Vereador Pastor Ezequiel Bueno vem por meio da presente nota, esclarecer que em nenhum momento teve a intenção de ofender a pessoa do cantor Pablo Vittar, mas tão somente defender o Plano Municipal de Educação da Cidade de Ponta Grossa (Lei Ordinária nº 12213/2015).

À época, como é de reconhecimento público, o Vereador Pastor Ezequiel defendeu a respectiva exclusão, sob o argumento principal de que a educação sexual das crianças é de responsabilidade exclusiva dos pais. Dessa forma, diante da notícia veiculada por diversos meios de comunicação de que o referido cantor, ao lado do Deputado Federal Jean Wyllys, estariam fazendo uma turnê pelas escolas do Brasil ensinando diversidade sexual infantil, aliada a notícia de que o mesmo cantor estaria na cidade por ocasião da realização da 28ª Munchen Fest, evidentemente trouxeram preocupação ao parlamentar que, como já relatado, fez uso da tribuna para defender o Plano Municipal de Educação da Cidade de Ponta Grossa aprovado.

Por fim, não obstante todos esses esclarecimentos, o parlamentar também serve-se da presente para retratar-se sobre eventuais excessos ocorridos na sua fala, registrando, mais uma vez, que em momento algum pretendeu ofender a quem quer que seja.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários