Redação Pragmatismo
Michel Temer 06/Jul/2017 às 13:07 COMENTÁRIOS

Delação de Eduardo Cunha é finalizada e pode implodir Brasília

Eduardo Cunha finaliza delação que vai atingir Michel Temer e os homens fortes do seu governo, como Moreira Franco, Eliseu Padilha e Romero Jucá. Delação já tem mais de cem anexos

delação Eduardo Cunha implodir Brasília Michel Temer

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) já estaria finalizando os textos com as informações para o seu acordo de delação premiada que deve fechar com a Operação Lava Jato.

De acordo com a coluna Mônica Bergamo, publicada nesta quinta-feira (6) pelo jornal Folha de S. Paulo, o ex-deputado deve implicar diretamente o presidente Michel Temer (PMDB), os ministros Moreira Franco (Secretaria Geral), Eliseu Padilha (Casa Civil) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Segundo a publicação, Cunha teria rascunhado mais de cem anexos para a colaboração. A expectativa é que ele entregue os documentos já na próxima semana.

O que pesa contra Cunha

O ex-presidente da Câmara está preso em Curitiba desde 19 de outubro de 2016 no âmbito da Lava Jato.

Em março deste ano, o juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal do Paraná, condenou Cunha a 15 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem e evasão de divisas no caso que envolve a compra do campo petrolífero de Benin, na África, pela Petrobras, em 2011.

O peemedebista foi considerado culpado por ter recebido 1,5 milhão de dólares em propina obtidos no processo de compra do campo, no valor de 34,5 milhões de dólares. Segundo Moro, o negócio fraudulento teria gerado um prejuízo de 77,5 milhões de dólares para a Petrobras.

Saiba mais:
Sergio Moro, a condenação de Marisa e a absolvição de Cláudia Cruz
Sergio Moro fica frente a frente com Cláudia Cruz e decepciona
Os R$ 221 milhões de Eduardo Cunha sumiram; contas estão zeradas
MP pede que Cláudia Cruz devolva R$ 34 milhões aos cofres públicos
Sergio Moro tenta intimar esposa de Cunha mas fracassa duas vezes
Esposa de Cunha torrou milhões por meio de cartões de crédito das contas secretas

Revista Exame

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários