Redação Pragmatismo
Protestos 24/May/2017 às 23:00
0
Comentários

Rodrigo Maia desmente Michel Temer sobre convocação dos militares

Documento prova que Rodrigo Maia, presidente da Câmara, solicitou a Força Nacional. Michel Temer fingiu que não sabia, convocou as Forças Armadas para as ruas de Brasília e ainda culpou Maia

Michel Temer Rodrigo Maia Exército
Michel Temer e Rodrigo Maia

As tropas do Exército foram enviadas para a Esplanada dos Ministérios na tarde desta quarta-feira (24) após a carnificina que se abateu sobre os manifestantes.

O presidente Michel Temer decretou que as tropas fiquem nas ruas da capital até o dia 31 de maio, próxima quarta-feira.

O protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência e pelas Diretas Já reuniu cerca de 200 mil pessoas.

Questionado sobre as razões que o levaram a convocar o Exército, Michel Temer disse apenas que atendeu a um pedido de Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados.

Rodrigo Maia, por sua vez, afirmou que não pediu pelas Forças Armadas no reforço da segurança de Brasília. O presidente da Câmara dos Deputados disse, no fim da tarde desta quarta-feira (24), ter pedido auxílio da Força Nacional, e não das Forças Armadas.

“Se a decisão do governo foi além da Força Nacional, é uma decisão do governo”, justificou.

As Forças Armadas ficarão nos arredores da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, até o dia 31 de maio, conforme decreto pelo presidente Michel Temer em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) publicada na tarde de hoje (24). Rodrigo Maia classificou o decreto com validade de uma semana como um “excesso, sem dúvida nenhuma”. Só a Presidência da Repúblicas pode autorizar missões para aplicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), Lei Complementar (LC 97/99) regulada na Constituição pelo Decreto nº 3.897/2001.

Rodrigo Maia explicou aos jornalistas que pediu a Temer, por telefone, apoio da Força Nacional para controlar a violência na manifestação de hoje. Ele desmentiu que tenha pedido a formalização do decreto e afirmou que a medida foi uma decisão do governo.

“O ministro da Defesa veio a público dizendo que o decreto tinha sido um pedido meu. Não é verdade. Espero que o ministro da Defesa possa repor a verdade”, disse Maia. Ele também afirmou que espera que Temer reveja o prazo do decreto e o mantenha apenas por hoje.

Documento prova que Rodrigo Maia solicitou, de fato, a Força Nacional e não o Exército:

O decreto de Michel Temer:

decreto michel temer forças armadas

Governo do Distrito Federal

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), divulgou uma nota na noite desta quarta-feira (24) na qual avaliou que o decreto do

presidente Michel Temer que autoriza a presença das Forças Armadas nas ruas de Brasília é uma “medida extrema” e não teve “anuência” do governo do DF.

“Para surpresa do Governo de Brasília, a Presidência da República decidiu na tarde de hoje recorrer ao uso das Forças Armadas, medida extrema adotada sem conhecimento prévio e nem anuência do Governo de Brasília”, diz a nota.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários