Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 05/Apr/2017 às 15:27 COMENTÁRIOS

Oscar Magrini solta pérola para justificar assédio de José Mayer

Depois de Caio Blat, agora é a vez de Oscar Magrini, também ator da Globo, defender José Mayer: “A mulher tem que saber se colocar para não instigar o outro”

oscar magrini josé mayer assédio
O ator Oscar Magrini defendeu José Mayer

José Mayer divulgou nesta terça-feira (4) um pedido de desculpas admitindo que errou e assediou a figurinista Susllem Tonani.

No entanto, seus colegas Caio Blat e Oscar Magrini, aparentemente, não concordam com o pedido de desculpas e consideram que a culpa é da mulher.

Em entrevista ao programa de Fátima Bernardes, na TV Globo, Magrini disse que “a mulher também tem que saber se colocar para não instigar o outro”.

O ator foi prontamente rebatido pela apresentadora: “Na verdade, é mais do que instigar, né Magrini? É o outro saber que tem que respeitar independente de como ela (a mulher) estiver”.

Antes de concluir sua linha de raciocínio com a frase polêmica, Fátima havia perguntado a Magrini se ele acha que os homens precisam questionar o próprio comportamento e realizar autocrítica a partir do caso José Mayer. Eis a íntegra da confusa resposta do ator:

VEJA TAMBÉM:
Fui estuprada e achei que a culpa fosse minha
“Eu costumava achar que era louca” – o relato de um relacionamento abusivo

Eu acho que não só aqui na Globo, mas em todos os lugares do mundo sempre existiu assédio. Da própria mulher em cima do homem. Mas assim, minha liberdade termina quando começa a sua. Então, deve ter havido muito assédio, sim. Mas essa menina chegou, se pronunciou, tomaram-se medidas, a Globo veio pedir desculpa. O Zé (Mayer), um colega nosso, também, sabe o que aconteceu e se desculpou. E acho que deve ter tido muita coisa, mas ninguém fala nada… Fica aquele medo: ‘Pô, eu vou falar?! A pessoa é quem é’. Estou falando da Globo, estou falando de uma outra empresa grande, um diretor, um presidente, seja quem for. A corda sempre arrebenta do lado mais fraco, sempre é assim. Então foi ouvido o que aconteceu, tem uma posição como o movimento Mexeu com uma, mexeu com todas. As colegas de trabalho vestiram a camisa, fizeram uma voz. Então, quem sabe se toma providências. Gente, estamos em 2017 e não tem essa de assédio, todo mundo tem o direito de se colocar, de se impor. Não tem essa do homem chegar e fazer… O que é isso? É uma sociedade machista, fez-se tanto tempo lá atrás, mas não existe como chegar agora e eu não te respeitar porque você está mais ousada, de minissaia, e eu tenho que abusar, passar a mão ou falar alguma coisa. A mulher também, tem que saber se colocar para não instigar o outro

Depois de Oscar Magrini, quem falou foi o poeta Fabrício Carpinejar, outro convidado do programa. “Acredito que os maiores casos de assédio são essa violência que parece que a pessoa tem a obrigação de gostar de ti. E o homem, ele ainda não está pronto, o homem está sendo educado pelo medo ainda. Falta chegar a outro passo, que é o respeito. Ainda não existe o respeito, ainda tratam a mulher como objeto”, disse.

Na noite desta terça-feira, o também ator Caio Blat chegou a dizer que as atitudes de José Mayer não passavam de uma “brincadeira fora de tom”. Depois da polêmica, até sua esposa foi instigada a se pronunciar (relembre aqui).

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários