Redação Pragmatismo
Política 19/Apr/2017 às 16:56 COMENTÁRIOS

Dilma comenta candidatura de Luciano Huck à Presidência da República

“As pessoas confundem auditório de um show com a solução dos problemas sociais. Eu fui lá, trouxe uma senhora no meu programa e resolvi o problema dela. Veja como eu sou competente. Vá resolver o problema de 56 milhões de pessoas pra ver se é assim, com essa facilidade!”. Dilma também falou sobre João Doria

dilma luciano huck joao doria

Durante uma palestra na Universidade George Washington, nos Estados Unidos, a ex-presidente Dilma Rousseff foi questionada por uma jovem da plateia sobre o que ela pensa sobre candidaturas de ‘figuras famosas’, citando os nomes do apresentador Luciano Huck e de João Doria Jr.

A autora do questionamento quis saber, especificamente, se o surgimento de famosos na política estaria diretamente relacionado ao analfabetismo político dos brasileiros.

“As pessoas confundem auditório de um show de mídia com a solução dos problemas sociais. […] Eu fui lá, chamei uma senhora, trouxe no meu programa, resolvi o problema dela. Veja como eu sou competente. Vá resolver o problema de 56 milhões de pessoas pra ver se é assim, com essa facilidade”, disse Dilma, com relação a Luciano Huck. O apresentador da Globo deixou recentemente em aberto a possibilidade de se candidatar à Presidência da República.

Sobre Doria, a ex-presidente lembrou que “economia, no sentido do empresário, é cuidar de si mesmo, dos seus interesses”. E prosseguiu: “Não necessariamente uma pessoa que cuida de si mesmo com eficiência, dos seus interesses, será uma pessoa que corresponderá aos anseios do seu povo.”

Dilma completou: “Eu acho que isso surge quando começa a criar o espaço da despolitização na sociedade. E é lamentável que seja assim.”

Nos EUA, Dilma também comentou as denúncias enfrentadas por Lula no âmbito da Operação Lava Jato. Lula está enfrentando intensa campanha de destruição de sua reputação. Se o Judiciário quiser afastá-lo [da sucessão presidencial], terá de pensar bastante, porque são muito frágeis as provas contra ele”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários