Redação Pragmatismo
Mulheres violadas 10/Feb/2017 às 16:03 COMENTÁRIOS

Estagiário demitido por depreciar mulheres é contratado pela Alezzia

Estagiário demitido por construtora após publicar imagens com comentários depreciativos contra as mulheres é contratado pela loja Alezzia — marca que acumula em seu histórico uma série de polêmicas. Gabriel Vaz, que é fã de Bolsonaro, comemorou em tom de deboche

Alezzia estagiário demitido feminazis

Uma empresa de móveis que usa mulheres com pouca roupa como estratégia para vender seus produtos contratou o estagiário que foi demitido da Cantareira Construtora após publicações machistas (entenda o caso aqui).

A Alezzia anunciou a contratação do estagiário Gabriel Vaz e escreveu uma nota de solidariedade ao recém-desempregado.

Em uma publicação no Facebook, a marca diz que a punição recebida pelo estagiário foi “desproporcional”.

No fim do ano passado, a Alezzia causou revolta na internet com publicações de mulheres de biquíni, maiô ou até mesmo nuas anunciando os produtos. A postura da empresa foi condenada pelos seguidores, que acusaram a Alezzia de adotar uma estratégia de objetificação da mulher.

Gabriel Vaz, que é fã declarado do deputado Jair Bolsonaro (PSC), escrevia em seu perfil frases como “Procurando alguma feminista para ajudar a descarregar… Onde estão os argumentos das aborteiras?… Direitos iguais até chegar a carga de cimento”.

A contratação do estagiário rendeu sérias críticas à Alezzia. Alguns internautas, porém, avaliaram que o anúncio da contratação não passava de mais uma estratégia de marketing da empresa, que aproveitou-se de um episódio que estava em evidência na internet para aparecer: “Falem bem, falem mal, mas falem de mim”.

Depois de receber a proposta da Alezzia, o jovem estagiário seguiu debochando das mulheres nas redes sociais:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários