Redação Pragmatismo
Educação 26/Jan/2017 às 15:16 COMENTÁRIOS

Bolsas de Estudo para brasileiros são oferecidas pela Nova Zelândia

Nova Zelândia oferece bolsas de estudo para brasileiros. As vagas são para pós-graduação, mestrado e doutorado para temporadas que variam de seis meses a quatro anos. Saiba como participar

bolsa de estudos brasileiros nova Zelândia

Quem sempre teve o sonho de estudar no exterior, aqui vai mais uma chance: a agência de educação da Nova Zelândia anunciou 14 bolsas de estudos para estudantes da América Latina, inclusive para os brasileiros. As vagas são para pós-graduação, mestrado e doutorado para temporadas que variam de seis meses a quatro anos.

As bolsas de estudos cobrem a viagem, seguro saúde, mensalidades e um subsídio mensal para o custeio de vida. Elas são direcionadas para estudantes de até 39 anos, que já trabalharam por ao menos um ano na área em que pretende estudar. O candidato também precisa comprovar proficiência no inglês e se comprometer a retornar ao Brasil por, pelo menos, dois anos para colocar em prática o que aprendeu.

A lista de instituições que oferecem as bolsas inclui oito universidades espalhadas no país e institutos politécnicos. “Nossas bolsas de estudo fomentam e constroem líderes, aproximam instituições de ensino do Brasil e da Nova Zelândia e, sobretudo, estimulam habilidades que serão valiosas aqui, no retorno dos bolsistas“, diz Caroline Bilkey, Embaixadora da Nova Zelândia no Brasil.

Inscrições

Para participar da seleção, o candidato precisa fazer sua inscrição online entre os dias 16 de fevereiro e 30 de março no site do governo neozelandês. Para saber mais sobre as instituições que vão oferecer as bolsas, clique aqui.

No dia 8 de abril deste ano, a Education New Zealand, agência do governo, vai realizar uma feira de intercâmbio com representantes das instituições de ensino do país. A Expo Estude na Nova Zelândia é destinada para brasileiros que queiram aprender inglês, fazer uma graduação ou pós-graduação.

Leia também:
Michel Temer corta vagas nas universidades e não explica a razão
Educação vai perder R$ 58 bilhões se for aprovada a PEC 241
A melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal
A falácia da priva(tiza)ção do Ensino Superior
7 filmes inspirados na proposta de (re)pensar a educação

Luiza Belloni, Brasil Post

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários