Redação Pragmatismo
Mundo 07/Ago/2015 às 18:45 COMENTÁRIOS
Mundo

Coreia do Norte atrasa relógio e cria fuso horário próprio

Publicado em 07 Ago, 2015 às 18h45

Coreia do Norte cria fuso horário próprio contra ‘imperialismo japonês’. Com a decisão, o horário oficial será atrasado em 30 minutos para marcar o 70º aniversário da libertação do país do domínio do Japão, que durou entre 1910 e 1945

Coreia do Norte fuso horário
O líder da Coreia do Norte Kim Jong-un (divulgação)

A Coreia do Norte anunciou nesta sexta-feira (7) que pretende criar um fuso horário próprio a partir da semana que vem. O horário oficial será atrasado em 30 minutos no próximo dia 15 de agosto (passando a GMT +8h30), data em que o país vai celebrar os 70 anos da libertação do domínio colonial japonês.

O fuso GMT +8h30 era o horário de toda a Coreia até 1912 e foi adiantado em meia hora pelo Império Japonês, que dominou a península entre 1910 e 1945. Atualmente, Coreia do Sul, Japão e Coreia do Norte possuem o mesmo fuso.

“A instituição de um horário próprio de Pyongyang servirá para erradicar de vez a memória do passado colonial”, informou a agência de notícias local KCNA. A agência também disse que a decisão de “privar a Coreia do Norte de seu horário é um dos crimes imperdoáveis cometidos pelos imperialistas japoneses”.

A notícia, no entanto, foi recebida com ressalvas pela vizinha Coreia do Sul. “É provável que a medida provoque problemas às pessoas que frequentam a zona industrial de Kaesong”, disse o porta-voz do Ministério da Unificação, Jeong Joon-hee.

Outros países

A Coreia do Norte não é o único país a criar o próprio fuso.

Em 2011, Samoa mudou o fuso horário e perdeu um dia, tudo para tornar as comunicações mais fáceis com os vizinhos, Austrália e Nova Zelândia.

Em 2007 a Venezuela decidiu atrasar os relógios em meia hora pois o então presidente, Hugo Chávez, queria ter uma “distribuição de luz do sol mais justa” para os moradores do país.

A Venezuela é hoje o único país com um fuso horário de 4,5 horas atrás de GMT.

com informações de Agência Ansa e EFE

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

COMENTÁRIOS