Lucien de Campos
Colaborador(a)
Desigualdade Social 14/Fev/2015 às 08:02 COMENTÁRIOS
Desigualdade Social

Ditador de Guiné Equatorial doa R$ 10 milhões à Beija-Flor de Nilópolis

Lucien de Campos Lucien de Campos
Publicado em 14 Fev, 2015 às 08h02

Muitos brasileiros vão comemorar o carnaval e o desfile da Beija-Flor com entusiasmo e alegria, porém sem ter conhecimento de que a maioria do povo da Guiné Equatorial sobrevive com menos de 1 dólar por dia

Ditador de Guiné Equatorial carnaval Beija-Flor desigualdade
Beija-Flor de Nilópolis recebe doação do atual presidente da Guiné Equatorial (Imagem: Pragmatismo Político)

Lucien de Campos*

A Beija-Flor desfila na próxima segunda-feira financiada pelo ditador considerado o mais sanguinário do mundo.

Fui acometido de um péssimo sentimento ao saber que Teodoro Obiang, o ditador mais cruel da África, doou R$ 10 milhões para a escola de samba Beija-Flor de Nilópolis. Frequentadores do carnaval carioca, Obiang e seu filho decidiram patrocinar o enredo da escola. É o maior patrocínio à uma escola de samba em toda a historia do carnaval carioca. Segundo a revista Forbes, Obiang é o oitavo governante mais rico do mundo, ao mesmo tempo em que seu povo vive na miséria.

A Guiné Equatorial presencia há mais de 30 anos uma das mais cruéis ditaduras do mundo, sendo um dos países mais pobres do continente africano. Obiang faz o que quer e governa por decreto. Ano passado, aqui mesmo, já escrevi sobre Obiang e a entrada de Guiné Equatorial à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Na ocasião destaquei os motivos que fizeram com que um país onde não há democracia, fora aceito numa comunidade onde seu estatuto consta que seus respectivos membros devem exercer a democracia e a boa-governação. Porém, Obiang e sua família detém a terceira maior produção de petróleo em África. Foi, de fato, praticada a “Diplomacia do Petróleo”, onde permitam-me dizer que, como mestrando em diplomacia, considero uma “pratica diplomática” muito suja que objetiva o dinheiro e os interesses privados, predominando diante dos princípios democráticos.

Leia aqui todos os textos de Lucien de Campos

Apesar de ser gaúcho, sou um apaixonado por samba. Considero Neguinho da Beija-Flor o melhor intérprete da Sapucaí e até hoje me emociono com o samba enredo de 2005, na qual a escola sagrou-se campeã ao fazer a homenagem aos Sete Povos das Missões. Mas não posso deixar de enfatizar que a própria Beija-Flor já exaltou em seus enredos dos anos 70 as realizações da ditadura militar no Brasil. Neste ano exalta a tirania e o totalitarismo de Teodoro Obiang.

Por mais que os carnavalescos da escola tentam explorar as belezas e lendas africanas, em determinadas partes do samba enredo notam-se as palavras “liberdade” e “igualdade“. São, de fato, palavras que não se encaixam na realidade de Guiné Equatorial. Este pequeno país africano tem uma considerável concentração de capital numa exígua parcela da sociedade, enquanto a grande parte do povo vive na pobreza, sendo que este próprio povo é impedido de expressar suas opiniões e exercer seus direitos.

Muitos brasileiros vão comemorar o carnaval e o desfile da Beija-Flor com entusiasmo e alegria, porém sem ter conhecimento de que a maioria do povo da Guiné Equatorial sobrevive com menos de 1 dólar por dia. O luxo da Beija-Flor neste ano poderia ser investido em políticas sociais para este povo sofredor. Simplesmente, como fazemos com muitas mazelas no próprio Brasil, também fechamos os olhos para o que ocorre na África e aceitamos o dinheiro proveniente de regimes ditatoriais e da indústria petrolífera.

*Lucien de Campos é mestrando em Diplomacia e Relações Internacionais pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa e colaborador em Pragmatismo Político

Referência:

http://www.carnavalesco.com.br/noticia/beija-flor-recebeu-r-10-milhes-da-guin-equatorial-segundo-jornal/11329

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendações

COMENTÁRIOS