Redação Pragmatismo
Rio de Janeiro 10/Fev/2014 às 15:32 COMENTÁRIOS
Rio de Janeiro

Morre Santiago Andrade, cinegrafista da Band atingido por rojão

Publicado em 10 Fev, 2014 às 15h32

Cinegrafista da Band tem morte cerebral. Santiago Andrade foi atingido por um rojão na última quinta-feira. Advogado de preso diz saber quem acendeu artefato

O cinegrafista da TV Band, Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos, teve morte cerebral diagnosticada nesta segunda-feira, segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Ele estava internado desde a última quinta, quando foi atingido por um rojão em protesto contra o aumento das tarifas de ônibus na cidade.

Andrade estava em coma no CTI do Hospital Souza Aguiar, no Centro. Ele havia sofrido afundamento do crânio e permanecia internado em estado grave desde então.

cinegrafista band santiago andrade rojão
Momento em que Santiago Andrade, cinegrafista da Band, é atingido por rojão (Foto: Domingos Peixoto / AFP)

Neste sábado, o rapaz que apareceu em imagens da TV passando o rojão para um terceiro se entregou à polícia.

O tatuador Fábio Raposo, de 22 anos, disse desconhecer a identidade da pessoa responsável por acender o artefato, mas afirmou que cooperaria com a polícia na identificação.

Ele permanece detido no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, com prisão preventiva decretada por 30 dias. Hoje, seu advogado afirmou que já tem a identidade do outro envolvido, mas não revelou o nome.

Cinegrafista há mais de 20 anos, Santiago trabalhava na Band havia 10. Ele deixa uma filha e três enteados.

A ocorrência na última quinta motivou notas de repúdio e pedidos de investigação por parte de sindicatos de jornalistas e associações ligadas à imprensa.

Exame

Recomendações

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 10/Fev/2014 às 16:15

    É impressionante a "fofura" que a mídia vem tratando os vagabundos, baderneiros, ativistas desocupados que participaram desse ato sem fundamento, nitidamente atrelado para gerar ibope a mídia e produzir material para a campanha política no meio do ano. E se o rojão tivesse saído de um policial? Meu Deus do céu ...

    • ademar Postado em 10/Fev/2014 às 16:24

      Thiago, policiais não utilizam rojões, não faz parte de sua indumentária de trabalho, se fosse um policial que tivesse disparado o artefato, seria crime da mesma forma, assassinato, por isso os responsáveis devem ser procurados e enquadrados desta forma: assassinato, a repercussão é normal, toda morte violenta e tratada pela mídia com exibição exaustiva.

  2. renato Postado em 10/Fev/2014 às 17:34

    Estou de luto, em respeito a familia de Santiago Andrade.

  3. Franklin Weise Postado em 10/Fev/2014 às 17:41

    Foi um assassinato. Simples assim. Culposo, sem intenção (creio eu), mas mesmo assim, assassinato. A lei é muito clara para punir os responsáveis. E se um policial causar uma morte ou mutilação de forma parecida, precisa ser punido de forma igualmente dura. O que não podemos fazer é defender apenas um dos lados e justificar seus atos violentos. Infelizmente, o Brasil anda tão exaltado e louco que qualquer ato é justificável para defender seus interesses.

    • Thiago Teixeira Postado em 10/Fev/2014 às 18:51

      Sem intensão??????????? Um safado desocupado da massa cheirosa sai de casa com uma mochila com um rojão altamente explosivo nas costas e não teve a intensão de matar? Quer defender seus ativistas, faça, mas por favor, não vamos ser tão cegos ao ponto de passar a mão na cabeça deles. É como eu digo, se fosse um policial, um evangélico, um árabe, um cubano ou um petista, a imprensa trataria diferente como pelo visto já sensibilizaram a sua mente. "Foi uma fatalidade, que pena ...".

    • Rodrigo Postado em 10/Fev/2014 às 21:27

      Franklin, culposo é o crime quando o agente se porta com negligência, imprudência ou imperícia. Doloso é o crime intencional. quando há vontade livre e consciente dirigida para a obtenção de um resultado específico. Já quando o agente porta-se de forma a assumir o risco de configuração de um resultado, previsível que é (o bêbado, que atropela e mata; quem dispara arma de fogo em vida pública; quem dispara rojão em uma manifestação), estaremos frente ao dolo eventual (o agente pouco se importa com o resultado de sua conduta). Então, ao menos em tese, haveria, no mínimo, dolo eventual por parte de quem disparou o artefato em meio à manifestação.

  4. joaquim Postado em 10/Fev/2014 às 18:38

    Assassinato exatamente como o do menino que foi morto pelo artefato da torcida do Corinthians.

  5. Pereira Postado em 11/Fev/2014 às 09:03

    Cara ..isso aqui não é jornalismo ...é esqeurdopatia . Eles são camaradas bolchevistas ateus vermelhos....

    • bruno Postado em 11/Fev/2014 às 11:51

      A midia burguesa também não é jornalismo é direitopatia.E eu não vi a mídia fazer o mesmo alarde quando um manifestante foi baleado por 5 pms.Se somos bolchevistas vcs são nazistas da turma de Hitler

  6. bruno Postado em 11/Fev/2014 às 11:48

    Inocente uma virgula,muito provavelmente ia filmar algum video tendensioso pra tentar condenar as manifestações.Não caiam nessa.tudo não passa de manobra da midia burguesa golpista.E vai lá saber se o cara não foi pago pela policia ou por alguem interessado em condenar as manifestações.

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Fev/2014 às 19:22

      Discordo. Jamais a polícia faria isso. No meu ponto de vista quem recrutou e recruta os black blocs são os próprios partidos de oposição ao governo federal com colaboração da mídia golpista. Manifestações aumentam a audiência do PiG e produz material eleitoral aos políticos que querem retomar o poder.