Redação Pragmatismo
Geral 21/Nov/2013 às 16:05 COMENTÁRIOS

Marisa Monte e Caetano Veloso fazem show para "Amarildos"

Caetano Veloso e Marisa Monte fazem show contra a violência, em homenagem a Amarildo e aos desaparecidos em grandes centros urbanos do Brasil

marisa monte caetano veloso amarildo
Show de Marisa Monte e Caetano Veloso homenageia Amarildo (Foto: Felipe Assumpção / AgNews)

Diante de um público que usava máscaras com o rosto do pedreiro Amarildo de Souza, Caetano Veloso e Marisa Monte promoveram na noite de terça-feira (20) um show contra a violência, em homenagem aos desaparecidos em grandes centros urbanos do país.

[listaposts tipo=”relacionadosportags” titulo=”Leia também” total=”5″ posicao=”direita”]

Pouco antes do início da apresentação no Circo Voador, no bairro da Lapa (no centro do Rio), foi projetada no telão a mensagem “Somos todos Amarildo”.

O primeiro a subir ao palco foi Caetano. O cantor e compositor não chegou a falar sobre o caso de Amarildo ou mesmo a respeito de qualquer outro episódio de violência. Apenas cantou.

A principal intervenção ocorreu durante a música “Odeio”, de Caetano. Sempre após o refrão “Odeio você/ Odeio você/ Odeio você/ Odeio”, o público acrescentava o coro: “Fora, Cabral! Fora, Cabral!”, em uma referência ao governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ).

Caetano apenas sorriu. E ao fim da música, comentou: “Esse é o Rio de Janeiro.”

Marisa Monte agradeceu a presença da família de Amarildo. E depois fez um pedido: “Queria que todo mundo pusesse a máscara do Amarildo para a gente tirar uma foto e deixar registrado para a posteridade esse momento onde a gente incorpora o Amarildo.”

Em seguida, ela usou uma máquina fotográfica para clicar o público mascarado. Caetano também vestiu a máscara.

Folhapress e AgNews

Comentários

  1. Caio Postado em 22/Nov/2013 às 17:56

    Devem ter pegado quanto dos cofres publicos pra isso? Cultura elitizada, o litoral eh o litoral, não é brasil.

  2. Camila Postado em 25/Nov/2013 às 13:42

    Como se usar a máscara do Amarildo resolvesse alguma coisa... Típico movimentos passageiros que só prezam pela emoção em si e não por uma luta politizada e consciente