Redação Pragmatismo
opinião 15/Oct/2013 às 12:02
90
Comentários

Sakamoto: O policial cumpriu seu dever. As redes sociais é que estão fora de si

Breve reflexão sobre o caso do policial militar que atirou em um assaltante que havia acabado de roubar uma moto a mão armada. Toda a ação foi gravada

assalto hornet branca
Caso do assalto a mão armada filmado em São Paulo provocou série de reações nas redes sociais. O fato é que o policial cumpriu o seu dever. Já alguns internautas…

Leonardo Sakamoto, em seu blog

Um rosário de leitores pediu minha opinião sobre o caso do policial militar que deu voz de prisão a dois bandidos que haviam acabado de roubar uma moto a mão armada. Como um deles esboçou uma reação, o policial atirou duas vezes, ferindo-o na perna e no abdômen. Toda a ação foi gravada por uma câmera da vítima.

Veja também:
Delegados da PF testemunham assalto e “saem de fininho”
Governador do MS promete medalha para cada “bandido mandado ao inferno”

Sobre o ato em si, não há muito o que dizer. Na minha opinião, o policial cumpriu seu dever.

Não gosto de assaltos a mão armada e não gosto de pessoas baleadas. Não quero que vítimas sejam abatidas, nem policiais, nem assaltantes. Aliás, não quero ninguém ameaçando a vida de ninguém. Mas não importa do que gostemos, a vida acontece independentemente disso. Diminuir a chance de assaltos e de pessoas baleadas está a nosso alcance, mas isso é outra história.

De qualquer forma, é um caso trágico em todos os sentidos, que não deveria ser comemorado.

Contudo, o que vi nas redes sociais após o caso foi uma catarse, com hordas celebrando que uma pessoa foi abatida. Li gente pedindo sangue, literalmente. E, apesar de não ser um caso de “justiça com as próprias mãos”, mas sim de ação da força policial, vi quem se aproveitasse da situação para exigir que julgamentos sumários sejam feitos para acabar com a criminalidade.

Chega de julgamentos longos e com chances dos canalhas se safarem ou de “alimentar bandido” em casas de detenção. Execute-os com um tiro, de preferência na nuca para não gastar muita bala, e resolve-se tudo por ali mesmo. Limpem a urbe para os “homens de bem”.

Neste momento do texto, alguém com graves problemas cognitivos dirá: “ah, você já vai começar a defender bandido”” Não vou tentar explicar, novamente, que não, pois perdi a esperança de que esse tipo de pessoa venha a entender esse debate. Estou falando com os outros, que podem discordar desse ponto de vista, mas que absorvem o contraditório e refletem sobre ele.

O Estado – esse cretino opressor de uma figa – está aí para impedir uma catástrofe maior – pelo menos, enquanto não tivermos consciência o suficiente para tomar o seu papel.

E, como já disse aqui antes, ao criticar esse discurso fácil que defende execuções públicas, não estou do lado do “bandido”, mas sim do pacto que os membros da sociedade fizeram entre si para poderem conviver em harmonia. Em suma, abrimos mão de resolver as coisas por nós mesmos para impedir que nos devoremos. E que, em uma decisão equivocada tomada na solidão emotiva do indivíduo, mandemos para a Glória alguém inocente.

Leia também

Para muita gente, execuções sumárias são lindas, seja feita pelas mãos da população, seja pelas do próprio Estado, ao caçar traficantes em morros cariocas ou na periferia da capital paulista. Se com o devido processo legal, inocentes amargam anos de cadeia devido a erros, imagine sem ele?

De tempos em tempos, a violência causada pelo crime organizado retorna com força ao noticiário, normalmente no momento em que ela desce o morro ou foge da periferia e no, decorrente, contra-ataque. Neste momento, alguns aproveitam a deixa para pedir a implantação de processos de “limpeza social” e de execuções de bandido.

Mas, como todos nós sabemos, a pena de morte já existe em São Paulo e no Rio de Janeiro, apesar de não institucionalizada, como instrumento de controle policial ou de justiciamento pelo crime organizado. Há também milícias, envolvendo policiais, que se especializaram nisso, inclusive, ao avocar para si o monopólio da violência que, por regra, deveria ser do Estado.

Para contrapor os bandidos, muitos defendem o terrorismo de Estado ao invés de buscar mudanças estruturais (como garantir real qualidade de vida à população para além de força policial dia e noite).

Novamente, para quem desligou o cérebro: ninguém está defendendo o crime, muito menos bandidos e traficantes (defendo a descriminalização das drogas como parte do processo de enfraquecimento dos traficantes e pelas liberdades individuais, mas isso é outra história).

Boa parte da população, apavorada pelo discurso do medo, mais do que pela violência em si, tem adotado a triste opção de ver o Estado de direito com nojo. O que anos de políticos imbecis, apresentadores de TV safados e estruturas conservadoras, como a família, a igreja e a escola, têm pavimentado dificilmente será desconstruído do dia para a noite.

Do meu ponto de vista, Justiça divina não existe. O universo não conspira a favor ou contra nada. Se alguém morre ou alguém vive não é por culpa do capeta ou graças a Deus. Por isso, desejo tanto que nossa Justiça funcione aqui e agora, punindo culpados, de acordo com o Código Penal, e prevenindo as origens da criminalidade, de acordo com a Constituição. Ladrões de motos ou empresários que desviam milhões, da mesma forma. O que está em jogo aqui é que tipo de Estado e de sociedade que estamos nos tornando ao defendermos Justiça sem o devido processo legal ou com as próprias mãos.

Lembrando que o poço não tem fundo.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. pedro Postado em 15/Oct/2013 às 12:25

    Esse caso merece uma bem elaborada "suspensão do julgamento". Suspendamos nosso julgamento para não dar opiniões idiotas, vazias. Procuremos, com reflexão, quais serão os nossos valores frente a uma situação tão complexa. Há de haver uma resposta, mas ainda não a vi

    • Victor Evangelista Postado em 15/Oct/2013 às 12:44

      Concordo contigo, Pedro. Todo mundo tem opinião sobre tudo (ok, exagero). É um bom exercício refletir sem apressar vereditos.

    • Mércia Gloria Postado em 15/Oct/2013 às 22:00

      SÓ SEI QUE ESSAS ABERRAÇÕES TÊM QUE ACABAR, A SOCIEDADE NÃO TEM MAIS A LIBERDADE DE IR E VIR NAS RUAS DAS CIDADES EM TODO O PAÍS, AS PESSOAS DE BEM ESTÃO FICANDO ENCURRALADAS E SEM PODER FAZER USUFRUTO DE SUAS CONQUISTAS TIRADAS DO SEU SUOR DE ANOS DE TRABALHO, POR CAUSA DESSA POUCA VERGONHA.

      • Lucas Postado em 16/Oct/2013 às 09:32

        Mércia que viagem, todos os dias milhões e milhões de pessoas vão aonde bem entendem, em alguns casos acontecem infortúnios, mas não mais ou menos que em outra hora...a diferença está na repercursão, veja nesses noticiarios como cidade alerta, passam meia hora falando de determinado crime, o que da a sensação de estar tudo bem pior do que existe...na verdade o processo para aacabar com a criminalidade é bem conhecido, basta as pessoas pedirem pelas coisas corretas...não é pedindo a cabeça do ladrão, mas sim, mais educação, distribuição de renda e igualdades de direito

      • César Ribeiro Postado em 19/Oct/2013 às 23:09

        Uma criança, assim que nasce, é uma pessoa de bem?!! Claro que sim!! Porém, se nascer em determinados locais já está praticamente condenada a ser uma pessoa do mal. A pilantragem de colarinho branco rouba e mata muito mais que essa galera que as pessoas querem a cabeça na ponta de uma lança, porém essas mesmas pessoas não têm o mesmo sangue no olho quando se trata de um político safado. Estamos querendo acabar com o problema combatendo o efeito e não a causa.

  2. Raquel Postado em 15/Oct/2013 às 12:26

    Vale lembrar que o PM que mata ladrão, mesmo em legítima defesa, é o mesmo que mata os Amarildos e que atira nos manifestantes.

    • wellington f Postado em 15/Oct/2013 às 13:49

      muito bem lembrado Rachel!!!

    • Darlan Serra Postado em 15/Oct/2013 às 14:16

      Não concordo em matar as pessoas, e nem chamar o Amarildo de Santo, pois o mesmo era vigia de estoque de armas dos traficantes. Quanto ao caso da moto, o policial cumpriu o dever, pipoco mesmo, e ele estava preparado, tanto que não matou o marginal.

    • Marcelo Postado em 15/Oct/2013 às 14:18

      Desculpe-me Raquel, mas generalizar dessa forma é ignorância pura...

    • sheila Postado em 15/Oct/2013 às 15:18

      Nem todo policial é assim. O mal do brasileiro ignorante é generalizar. Tomara que um dia vc precise de um deles e eles te deem as costas!

      • Vanea Olmo Correa Postado em 15/Oct/2013 às 16:51

        Eles já nos deram as costas!!

      • Raphael Postado em 16/Oct/2013 às 09:59

        Poxa Sheila...Que ódio menina! Mais amor nesse coraçãozinho cristão. Sou contra policia e tudo mais, mas não foi errada a atitude do policial, não atirou pra matar, atirou pra imobilizar. E só existe o ladrão, por que existe o rico. Por que se não houvessem ricos, com certeza não existiria o ladrão.

      • Paulo Pinheiro Postado em 16/Oct/2013 às 11:18

        "Por que se não houvessem ricos, com certeza não existiria o ladrão" Isso é exatamente o que o autor chamou de "desligar o cérebro"

      • thaís Postado em 16/Oct/2013 às 19:32

        Pegou pesadíssimo

    • Vanea Olmo Correa Postado em 15/Oct/2013 às 16:50

      E quantos Amarildos já se foram para que os milicianos se escondam atrás do podre poderdo Ministério Público!

  3. marcos Postado em 15/Oct/2013 às 12:26

    Um ateu com pena de alguem.........

    • Frederico Postado em 15/Oct/2013 às 12:29

      Que que tem a ver?

    • Bruno Garcia Postado em 15/Oct/2013 às 12:38

      Ateu não pode sentir pena?

    • Zack Postado em 15/Oct/2013 às 12:40

      Um ateu não pode ter pena? Não pode exigir que a justiça funcione? Um ateu é uma pessoa pior do que um cristão? Lembre-se, ateus não queimaram bruxas na idade média, ateus não perseguiram cristãos no Império Romano, ateus não inventaram a santa inquisição (entre tantos outros exemplos)! Os crimes do comunismo foram cometidos ateus? Provavelmente. Ainda assim não prova o quão pior que um 'crente' um ateu pode ser!

      • Gabriel Postado em 16/Oct/2013 às 19:05

        Ateus matarem cem milhões de pessoas apenas no século xxi. Vide comunistas

      • Gabriel Postado em 16/Oct/2013 às 19:05

        Ateus matarem cem milhões de pessoas apenas no século xxi. Vide comunistas

      • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 13:55

        Outro que leu a bobagem do "Livro Negro". Só para constar, ele tem erros metodológicos, como computar perdas em guerras que nada tinham a ver com comunismo. Mas havia dois objetivos: "suavizar" o resultado do nazismo (hoje a estratégia é outra: é defender que nazismo é de esquerda) e chegar à cifra "redonda" de "100 milhões de mortos". Engraçado que os mesmos que defendem o "Livro Negro do Comunismo" condenam "O Livro Negro do Capitalismo", de historiadores que utilizaram o mesmo método e chegaram a números bem semelhantes... Ah, mas só os historiadores de direita são confiáveis, esqueci... Depois tenho de ler a abobrinha de que não existe ideologia...

    • Leandro Postado em 15/Oct/2013 às 12:53

      Os ateus têm muito mais caráter do que religiosos/falso moralistas.

      • Vanea Olmo Correa Postado em 15/Oct/2013 às 16:52

        Concordo com você Leandro

    • Danilo Postado em 15/Oct/2013 às 13:05

      Nossa, que comentário inteligente!

    • geovane Postado em 15/Oct/2013 às 14:41

      niguem falou que e ateu, aprenda a ler, fora que o ateismo nao tira a humanidade de niguem, muito pelo contrario a religiao ja matou milhares, muitos genocidas mataram em nome de cristo, entao nao julgue niguem pela sua religiao ou por falta de crença.

      • Vanea Olmo Correa Postado em 15/Oct/2013 às 16:54

        Muito bem dito!!...Muitos que hoje defendem um falso crisitianismo, ainda matam em nome de Deus!

    • Carlos Prado Postado em 15/Oct/2013 às 15:10

      Apesar de ser bem ilógico isto que você explicita, há de mesmo um cristão concordar com a parte em que ele diz sobre a justiça divina. Se ela acontece, não é aqui na Terra decidindo quem vive ou morre. Mas sim depois da morte.

    • Guilherme Postado em 16/Oct/2013 às 10:56

      Sou ateu, e sinto pena de vc por este comentário...

  4. Tinho Lima Postado em 15/Oct/2013 às 12:27

    Penso que essa "comemoração em massa" se deve ao cansaço que a população está sentindo e pelo sentimento de injustiça, bem como as políticas públicas ineficazes! Chega! Também queria que ele fosse visitar Lucifer!

    • João Roberto Postado em 15/Oct/2013 às 13:24

      Exatamente o que penso. A população não aguenta mais ser refém de bandido. Viver vigiando, trancado, com medo de sair e não voltar, com medo de atender o carteiro e terminar com uma arma na cabeça. Culpa do Estado ineficiente? Sim pode ser. Mas que culpa tenho eu, cidadão de bem e pagador dos meus impostos? Eu contribuo para que o Estado crie mecanismos para acabar com a criminalidade na raíz, apoio os programas sociais. Mas não aguento mais viver acuado por delinquentes como esse que por uma banalidade podem lhe meter uma bala na cabeça.

      • Raphael Postado em 16/Oct/2013 às 10:03

        Que perola de opinião joão roberto. Como você interpretou dessa forma o texto? Sério, fique curioso.

    • Vanea Olmo Correa Postado em 15/Oct/2013 às 16:56

      É um pensamento triste, mas lógico, não temos mais seguranças nem dentro de nossas próprias casas e pensem, pagamos caro por isto, mas o estado de direito não nos devolve em forma de segurança, por isto tenho até medo da reação da sociedade como um todo!

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 13:58

      Vc parou de pensar no meio do caminho. Claro que é uma reação ao sentimento de insegurança, mas precisamos avançar na análise: qual a extensão dessa violência? Quem a sofre e quem a comete? Por que a cometem? Isso é querer resolver o problema. Sério que nunca te perguntou por que propõe a mesma coisa (modelo punitivo) que sempre foi proposta e que nunca deu certo?! Será que querem que as coisas mudem mesmo?! Nunca te passou isso pela cabeça?!

  5. fabiano Postado em 15/Oct/2013 às 12:35

    eu sou a favor da vida.... mas neste caso e matar ou morre e a luta entre o bem eo mal.

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 14:01

      Errado: é o caso em que o indivíduo tem de escolher entre a sua vida (que está em ameaça) ou atentar contra a vida do outro. Não tem nada a ver com "bem ou mal", mas com sobrevivência. E é só por isso que a legítima defesa é excludente de ilicitude, e não porque aquele que atirou é "bom" - se fosse por isso, poderia atirar em quem quisesse...

  6. Ariane Postado em 15/Oct/2013 às 12:37

    Quando o Estado falta, não cumpre com seu papel, o esperado é a bárbarie mesmo. Tudo acontecendo como sugere o script.

  7. Caio Postado em 15/Oct/2013 às 12:40

    Chorem politicamente corrretos, chorem..

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 14:02

      Peraí, a sociedade está FALINDO no modelo que VOCÊS, DIREITISTAS, propuseram e a culpa é nossa?!

  8. Rodrigo Postado em 15/Oct/2013 às 12:42

    realmente e um tema a debater, mais o problema e "o cara ja foi preso 10 vezes e a soma da pena dele da 350 anos" e ele ta solto, pura impunidade, talvez eu seja só mais um "idiota" dizendo coisas vazias mas as vezes eu não consigo discordar desse pessoal que fala "pena de morte ja!".

  9. Leandro Postado em 15/Oct/2013 às 12:44

    O ponto de vista em relação a assuntos como este sempre muda de acordo com o lado da corda. Acreditar num pacto social ou qualquer coisa do gênero é a última coisa que passa pela cabeça de quem vive a vida real - na rua. Não sou defensor do menosprezo do preço da vida, mas em alguns ambientes somos sim colocados em uma verdadeira selva humana, e nessas horas onde o estado, a crença e a família são instituições em decadência, infelizmente impera a força. Gostaria de acreditar em uma solução para isso tudo saída das incontáveis sugestões (ou até clamores) por debates vindas dos teóricos e dos que ainda conseguem se chocar com essa guerra urbana, mas eu e a torcida do flamengo estamos de saco cheio.

    • F.M.Sarmento Postado em 15/Oct/2013 às 15:22

      Vc tem razao caro Leandro,mais um teorico nefelibata,distante da realidade,um intectualoide,que filosofa mas nao pensa,vê mas nao enxerga um mundo real,onde delinguentes atiram em cabeças de crianças covardimente,e ele a dizer que alguns nao entendem sua cretinice,essa é um revolta legitima dos que pedecem nas ruas de um mundo çao,onde o estado perdeu o controle seu idiota. Digita teu comentário

      • Alvaro Postado em 16/Oct/2013 às 12:36

        "Teórico nefelibata"? Uau. Os mesmo teóricos que construíram o seu raciocínio? Espero que não o teu vocabulário. Você culpa os teóricos, que NUNCA tem voz ante o Estado; e o que você, Sarmento, faz para contribuir com uma vida urbana? Outros projetam, clamam sim, uma cidade melhor; já você, um mero "palpiteiro" meia boca apenas reclama. Suponho que sem uma reflexão prévia. O que eu digo que é importante ter um Estado eficiente, a certeza da punição e medidas de ação, tanto de profilaxia para a ocorrência de crimes cometidos (por meio de ações sociais REALMENTE eficazes) quanto afirmativas para o combate à violência. Ah, isso é teorizar demais? Desculpe-me. Talvez a minha visão é tão estreita quanto a tua.

  10. Joao Postado em 15/Oct/2013 às 13:04

    Julgamento nao era possivel, uma certa , e unica medida foi tomada.

  11. Airton Postado em 15/Oct/2013 às 13:09

    Choramos todos os dias pelas vítimas dos crimes cometidos por estes párias da sociedade. Desta vez, rara exceção, temos o direito de comemorar. Os bandidos não estavam com fome e vestiam roupas e calçados mais caros do que costumo usar. Não tenho motivos para lamentar.

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 14:05

      Errado de novo: os números mostram que esses "párias" são os que mais morrem. Tanto nojo que sequer tenho saco pra comentar o restante. Kant deve ter soltado um peido pra vc no caixão. Já ouviu falar em imperativo categórico?! Em dignidade humana?! Se não acredita nisso, lamento: está atrasado em uns 300 anos. São essas as pessoas que saem no dia 15 para, segundo elas, "melhorarem o país"...

  12. Allan Postado em 15/Oct/2013 às 13:10

    Muito bonito, mas dizendo assim, soa como se o Código Penal, as leis e penas fossem justas, adequadas e aplicadas. Prevenir as origens da criminalidade também é lindo, mas sabemos que está longe de acontecer. Queremos todos sermos bonzinhos, mas "half-measures" não funcionam. Um fruto podre está estragando todos dentro do saco, se formos esperar que as técnicas atuais de cultivo ou tratamento "curem" o fruto sem maior prejuízo nos outros, sinto muito, mas o saco já estará comprometido, assim como acontece frequentemente na sociedade quando vidas inocentes são tomadas pelo fruto podre que já deveria ter sido removido de maneira efetiva.

    • pedro Postado em 16/Oct/2013 às 09:40

      que raciocínio desprovido de lógica e cheio de violência. siga meu conselho lá em cima e reflita um pouco melhor

  13. aline Postado em 15/Oct/2013 às 13:17

    Ate que fim alguem com a visao amplia do assunto, eu particularmente estou horrorizada com a pôpulacao em geral,que ta se tornando cada dia mais saguinaria...violencia gera violencia, e esse ciclo viocioso parece nao ter fim

  14. Nestor Xavier Postado em 15/Oct/2013 às 13:29

    Creio que violência não é solução para nada, talvez se virar moda matar bandido no mais fiel modo The Punisher acabe com boa parte dos infratores, mas o que me vem a mente é: será que com isso impediremos que novos infratores venham a surgir? Só o que vejo é ódio. Desde de que me entendo por gente escuto tal frase impactante: "CUIDE DE NOSSAS CRIANÇAS, ELAS SÃO O FUTURO NA NAÇÃO", e suas variações, cuidaram das crianças? Os bandidos de hoje são as tais crianças que a geração anterior de adultos não cuidaram, e ahe, vamos deixar que uma nova leva de bandidos surja? Ou vamos cuidar das crianças, para que nossos filhos não tenham que sofrer por nossas burrices??!!

  15. Jackson Postado em 15/Oct/2013 às 13:30

    Seria ridiculo dizer algo contra o policial né ? Vamos é valorizar e dar uma medalha pra esse cara !

  16. Celio Souza. Postado em 15/Oct/2013 às 13:31

    O dono da moto corria era o risco de ter levado um teco logo de cara, como já aconteceu muita gente! Eu quero é que se foda! Todo bandido(a) deveria era ser castrado para não por outro igual a ele no mundo.

  17. Mateus Postado em 15/Oct/2013 às 13:31

    O último trecho do texto me fez pensar em quem é pior, quem te rouba uma vez com uma arma apontada no teu rosto ou quem o rouba durante muitos anos sem você nem ao menos perceber. Mesmo assim para o segundo caso não ouvimos a tão falada frase "bandido bom é bandido morto.". Eu particularmente prefiro não ser roubado independente de quem seja, se realmente quiséssemos justiça estaríamos cobrando isso do Estado ao invés de ficar comemorando este ato isolado, essa é a minha opinião.

  18. weslei Postado em 15/Oct/2013 às 13:33

    Por isso não generalizo. O policial agiu corretamente, mas há casos que não, como do Amarildo, não se ser extremistas e ficar somente de um lado. O policial tem que agir conforme à lei, como este agiu.

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 14:12

      Simplesmente porque, ao contrário do que alguns pensam, NÃO HÁ COMO DIVIDIR A SOCIEDADE EM "CIDADÃO DE BEM" E "BANDIDO".

  19. ana paula Postado em 15/Oct/2013 às 13:35

    Nosso código penal está elaborado para defender o patrimônio. A vida e a integridade (dos "bons" e dos "maus") vem beeeeem depois...

  20. Francisco Postado em 15/Oct/2013 às 13:36

    NÃO ENROLA. Tás viajando na maionese, pega um trezoitão cano longo daquele pela frente, irás ter´pesadelo 6 meses.

  21. Caio Amorim Postado em 15/Oct/2013 às 13:43

    Quando a gente lê que há policial fazendo entrega de droga por moto na zona oeste de SP, me dá calafrios. Porque pior que o bandido, é bandido disfarçado de PM. São estes que matam, somem com o corpo, chamam manifestante de gostosa e depois manda prender porque ela reclamou, finge que manifestante tinha morteiro, mata promotor, blá, blá, blá. E uma sociedade segura passa por conseguir fazer o certo, com espinha ereta, ética e rigor. Não executando pessoas. Afinal, o próximo pode ser um sobrinho ou um filho seu, que fez qualquer besteira juvenil e o PM era bandido. Por isso a vingança sangrenta não leva à lugar algum.

    • gilberto Postado em 15/Oct/2013 às 14:44

      Se o próximo for um "um sobrinho ou um filho seu, que fez qualquer besteira juvenil" com um 38 apontado para uma pessoa que está vivendo a vida de alma doce, atira na testa.

  22. roger Postado em 15/Oct/2013 às 13:51

    policia ja mata inocente numa oportunidade dessa , ai que ele mata mesmo sem pensar duas vezes eu parabenizo o policial por não ter matado o rapaz e ter dado uma segunda chance pra ele , vamos ver no que vai dar se esse rapaz vai aproveita a chance que teve ....

  23. Roberto Postado em 15/Oct/2013 às 14:03

    Blz, mas o policial no caso em específico foi perfeito. Quem tem um pouco de atenção e não tem alergia a PM percebe que o policial aguardou o bandido tirar a arma apontada para a vítima para reagir, e o bandido levanta a arma para o policial antes dos 2 disparos. E achei ótima ação sim, assim como muitos acredito sim na transformação da educação e oportunidades (por sinal por isso até trabalho nesse setor que paga menos que outros), mas não defendo bandido e criminoso, seja ladrão de moto ou político milionário. Todos tem que pagar, seja na prisão ou com a vida, antes eles do que as pessoas que buscam o certo.

  24. Maurice Gama Postado em 15/Oct/2013 às 14:07

    Esse é o terceiro post deste blog que eu sou forçado a discordar do autor... Também não sou favorável a execuções em massa, a partir deste ponto concordamos, porém, as ciências humanas em geral (excluindo a antropologia) tem uma forte tendência a sintetizar e concluir sobre assuntos subjetivos, distantes do cotidiano do próprio pesquisador. Me incluo neste grupo mas tento me corrigir deste erro constantemente, posso sugerir uma maneira de muitos dos críticos desta forma de reação dos leitores favoráveis a ações mais enérgicas em casos semelhantes observarem e entenderem com mais atenção estas reações: só quem realmente teve uma arma apontada pra sua cabeça sabe disso, o resto é sociologia de sala de aula... Outra coisa: o elemento que sai de casa com a intenção de ameaçar proprietários com uma arma e quiçá assassinar por motivo torpe, fez esta opção ciente de suas capacidades, poucos fazem uma análise de um cenário desfavorável. O que o autor não avaliou neste aspecto, o vídeo completo no youtube mostra depois o elemento baleado usando todos os pronomes de tratamento corretos e até mesmo as flexões verbais...Traduzindo: sabe que perdeu...

  25. Marcio Postado em 15/Oct/2013 às 14:12

    Menos Teoria de Maquiavel e mais Realidade Brasil.

  26. Marcelo Campana Postado em 15/Oct/2013 às 14:16

    Brilhante Leonardo!! Nunca tinha lido um texto seu, mas você conseguiu dizer muito do que eu tentei por no papel e não consegui. Grande Abraço!

  27. Marcos Postado em 15/Oct/2013 às 14:41

    E no final de tudo coloca a culpa na educação e na falta de oportunidade. Não sou a favor da morte, mas também não sou a favor das regalias que eles tem quando são presos, e com isso, continuam fazendo as coisas normalmente, pois sabem que se der errado, eles terão comida e água fresca por um bom tempo, e tudo por ganancia, pois o que não falta é emprego como ajudante geral, servente de pedreiro ou qualquer outra coisa que por base não necessita de grandes estudos. Então para mim foi um grande ato, e eu comemoro sim. Belo post!

  28. Arnaldo Postado em 15/Oct/2013 às 14:52

    Fique na mira de um criminoso, vendo o cano do revolver apontado para seu rosto e ouvindo tudo de confortante que ele te diz enquanto te toma na cara dura um bem que você batalhou muito para conseguir... Ou imagine sua mãe ou seu filho com um revolver apontado para a cabeça enquanto é roubado... Viva e glória ao policial que fez exatamente o que se espera de quem recebe para ser guardião das pessoas de bem contra facínoras. Merece parabéns esse funcionário da segurança pública.

    • Ricardo Postado em 22/Apr/2015 às 14:16

      É justamente porque queremos que NINGUÉM fique na mira de algum revólver que queremos uma sociedade melhor. Vc está partindo do pressuposto que a violência é e sempre será assim e que, por isso, não podemos alterar o sistema. Em tempo: e se vc descobrir que o policial é, por exemplo, corrupto?! Vai desejar a morte dele agora?! Isso aqui não é informática, dividida entre 0 e 1.

  29. renato Postado em 15/Oct/2013 às 14:53

    Policial foi treinado. E leva sempre consigo uma arma. Esta arma pode ser um 38 ou 45. Normal. Dentro da arma existem cartuchos e projeteis e polvora. Invenção feita para fazer a polvora estourar e lançar o projetil pelo cano da arma. Onde este projetil vai....aí esta a pericia do homem. A arma foi feita para isto. Voce pode fazer tiro ao alvo, atirar pelo barulho, ou atirar em galinhas, cachorros, e para a guerra, onde voce atira em PESSOAS. É para isto que serve. Não é para assustar. É para ferir ou matar. No caso do rapaz, levou sorte porque esta vivo. O policial levou sorte porque estava armado. A sociedade levou sorte, porque o policial estava armado. O dono da moto levou sorte poque recuperou a moto. O outro ladrão levou sorte porque o policial não atirou nele. Então uma arma na mão do Policial traz sorte!

  30. Paulo Henrique Strossner Postado em 15/Oct/2013 às 15:02

    Sinceramente já li textos mais inteligentes do Sakamoto. Achei o texto repetitivo, com uma escrita muito pobre e com argumentos rasos o suficiente para serem questionados por qualquer estudante que se prepara para o Enem. Tratar a descriminalização das drogas como algo que respeite as liberdades individuais é de uma burrice burguesa sem tamanho. O uso de droga é uma questão de saúde e políticas públicas, e a legalização ou não devem ser entendidas como tal, nada a ver com esse argumento burgues de liberdade individual. Fato é que temos sérios problemas com a falta de legalização e teremos problemas de outra natureza com a legalização, falta discutirmos com quais desses problemas estamos dispostos a lidar.Enfim, esse é apenas um ponto frágil de um texto que parece ser escrito às pressas, devido às exigência editoriais.

  31. Felipe Postado em 15/Oct/2013 às 15:03

    Fácil querer um mundo mais justo e blá blá blá, mas enquanto não temos essa infra-estrutura necessária, como fazer para que inocentes parem de morrer nas mão de bandidos? Não temos cadeias suficientes para manter a quantidade de bandido que tem preso, bandido tem sim que morrer. Entendo perfeitamente seu ponto de vista e concordo plenamente com ele, mas entre meu filho não poder sair na rua pois pode ser morto por um bandido e um bandido ser morto para que os inocentes tenham uma qualidade de vida melhor, qual das duas opções você acha que faz mais sentido?

  32. Paulo Postado em 15/Oct/2013 às 15:04

    Penso que ele agiu de acordo com o nosso Código Penal, em um tipo permissivo, pois agiu em Legítima Defesa para outrem, cessando uma injusta agressão, em uma situação atual. Os meios que ele utilizou devido as circunstâncias foi de forma moderada e necessária, de modo que o tiro acertou seu pé e seu abdômen na parte inferior.

  33. José Arnaldo Postado em 15/Oct/2013 às 15:04

    Tem muita gente misturando as coisas... virou modinha defender quem é errado e criticar quem faz o certo. Bandido vira santo rapidinho nesses tempos de socialização da nação, qualquer maluco que escolhe o caminho curto para conseguir bens de consumo é tratado como "vitima" da sociedade. Muita gente acreditando em Robin Hood... será isso um reflexo do que está no interior dessas pessoas ? Que no fundo se sentem atraídos pelo lado desonesto de agir então defendem com mil argumentos ridículos que um bandido deve ser tratado com carinho, afagos e morangos com chantili ?

  34. Márcia Postado em 15/Oct/2013 às 15:15

    Para mim o policial deveria ter dado os tiros na cabeça como nos Estados Unidos mais como estamos no Brasil e sei como funciona a lei para o policial foi o máximo que pode fazer porque daí seria um bandido a menos para sustentarmos na cadeia e dinheiro a mais para investirmos em quem merece!!!

  35. Marcos Postado em 15/Oct/2013 às 15:35

    A desculpa do bandido é que não teve oportunidade, mas pergunte a qualquer garoto para ver se gosta de estudar/ler, a resposta é óbvia! Aliás, a nossa opinião muda a partir do momento que somos lesados, então torça para que a próxima vítima não seja você por que do jeito que o mundo sempre foi e será não há, nem nunca haverá esperança alguma de PAZ! Ou desapegamos dos bens matérias ou viramos alvos de capitalistas, socialistas, comunistas, religiosos, ateus, políticos... bom mesmo seria viver como Mark Boyle https://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/10/mark-boyle-homem-vive-dinheiro.html com a possibilidade de ser abordado por um ladrão, policial ou politico e ter sua liberdade ou vida negada... rsrsrs

  36. Rodrigo Postado em 15/Oct/2013 às 16:37

    Achei que Sakamoto me surpreenderia e, além de criticar quem prontamente pede julgamento e execução sumária (como que em paredões de fuzilamento), fosse tratar também de quem prontamente levantou seu porrete para dizer que a polícia massacra os cidadãos, que "mata e depois pergunta"; a imagem me pareceu muito clara, mas me assustei com o tanto que as tvs tiveram de justificar a atitude correta em legítima defesa de um policial. No mais, salutar a reflexão por ele proposta. Necessário questionar o que precisamos mudar em nosso sistema prisional, pois de pouco nos tem servido - unicamente como momentânea separação do grupo social, após o que muitos egressos voltarão a delinquir. Já fui a favor da redução da maioridade penal, mas, pelo motivo acima, a redução se tornará inócua. Antes, necessitamos rever nosso sistema de penas. Estruturar a forma de cumprimento de penas, tornando o trabalho um dever do encarcerado (deve, ele, contribuir com o máximo que puder para com as despesas de seu encarceramento), bem como investindo mais em educação, profissionalização, salubridade do ambiente e isolamento (quanto ao acesso à telecomunicações). Por mais que aflore o sentimento de vingança social, de prazer ao ver insalubremente encarcerado o criminoso, o mero afastamento momentâneo do convívio social não é solução inteligente, produtiva, muito menos econômica. Que fique encarcerado, sim, mas de forma a permitir a muitos (ainda que não a todos, em decorrência das escolhas pessoais de cada um, eu não sendo mais um ingênuo) o retorno em melhor condição do que a hoje em voga.

  37. Thiago Teixeira Postado em 15/Oct/2013 às 16:53

    Espera um pouco ... tem algo de errado na ação do Policial? Pelo amor de Deus, esse caso não merece reflexão alguma.

  38. Helder de lima couto Postado em 15/Oct/2013 às 19:16

    O policial cumpriu com seu dever e pronto,se o policial não agisse seria um banana como foram os delegados da federal que não reagiram ao assalto na loteca,não tenha pena de bandido pois eles não respeitam ninguém.

  39. Haroldo Toto Postado em 15/Oct/2013 às 20:08

    "Teje" preso!! "Teje" solto!

  40. Carlos Francisco Postado em 15/Oct/2013 às 21:03

    As pessoas devem ser julgadas pelas suas escolhas, a sociedade não pode se culpar pela atitude de um indivíduo. O que se pode fazer é refletir sobre o caso e tentar prevenir de alguma forma, para que não haja o roubo. Mas uma vez que um indivíduo sai armado para roubar, deve assumir o risco de levar tiro da polícia.

  41. Zeca Postado em 15/Oct/2013 às 21:57

    Não se deve ter dó de vagabundo irrecuperável, infelizmente eles são o ônus do desleixo da nossa sociedade. Do jeito que a coisa está estabelecida nos dias de hoje, não tem outra forma, matem TODOS eles.

  42. Juniperos Postado em 16/Oct/2013 às 07:59

    Acho que as pessoas deveriam para de temer um assunto que esta batendo na porta da população a tempos. A pena de morte. Já tive arma na cabeça, e quem empunhava era um pequeno viciado que queria dinheiro para drogas. Eu não significava nada para ele naquele momento, ele apenas queria o dinheiro para seu cigarrinho de maconha e sua pedra. O cano frio na nuca e um cheiro de metal, somado ao de maconha e da falta de banho do individuo não me fez raciocinar direito. “ vou morrer, assim?” pensei. “Fácil desse jeito? Com mulher e filho pequeno em casa, hoje eu não volto?” Mostrei minha carteira, que estava vazia (sempre está) e ele me deixou ir, mas se arrependeu depois. Havia mais um sugeito, escondido em algum canto, que pude ver de longe, enquanto falar bravo com ele: “por que deixou ele ir?” Corri. Pedi demissão e fui trabalhar noutro lugar. Nunca contei a minha esposa o fato. Isso aconteceu na Mooca, quando eu saia do trabalho, indo para o metro Brás, a pé. Bom, escapei. Não me tornei um entusiasta pela pena de morte, mas quando vejo um desses caras morrendo eu penso, “bom, hoje, algum trabalhador, sem dinheiro na carteira, que volta para casa a pé, certamente conseguirá chegar em casa e rever sua esposa e filhos.” A policias bons e ruins, é óbvio, e assim como manifestantes e baderneiros, olhando apenas não fácil reconhece-los. O fato é que vivemos o que se chama “terra de ninguém” e nenhuma emissora de tv tem coragem de falar disso. Não temos segurança, policiais despreparados surram professores e matam gente quando ordenados, enquanto outros pegam seus acertos em bocas de fumo, sistema de saúde inexistente, transporte “público” falho e insuficiente, professores que fingem que ensinam e crianças que fingem que apreendem, banalização do sexo, drogas , e toda sorte de promiscuidade enlatas em forma de musica e programa de tv, cobrança de imposto recorde, super lucro de banco e de conjuntos religiosos que usam até o nome de Deus para extorquir. A pergunta simples é essa: “A PENA DE MORTE É UTIL PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA?”

  43. neto Postado em 16/Oct/2013 às 10:35

    Eu não entendo o porque não inventam uma arma que cause cegueira momentânea e se coloque tal arma nas mãos dos policiais...é mais lógico bloquear a fuga do bandido que não vê caminho que uma arma de fogo que pode atingir também(involuntariamente) alguém que não faz parte do crime...bala mata, cegueira momentânea pode matar se não parar! ô sociedade hipócrita, o policial cumpre seu dever, os bandidos estavam armados !

  44. Jhair Ferreira Postado em 16/Oct/2013 às 10:55

    Além do espetáculo em torno da cena da violência cotidiana: Glorificar o PM que deu tiro numa hora dessas é comum. Mas muito que dão parabéns a eles, há 4 meses atrás estavam criticando os policiais pelos seus atos na onda de protestos que aconteceram... lembram? Eu sempre digo que em diversas situações o policial é o elemento que sempre fica numa sinuca de bico. Ora sendo parabenizado ora sendo crucificado pela atitude que deve tomar, pelo seu papel a cumprir. Só estamos discutindo isso porque esse acontecimento tornou se um espetáculo. Onde foi gravado. E o "pior": publicado. Onde tudo que "cai na net" torna-se um espetáculo, esse foi apenas mais uma tentativa de roubo entre tantos outros que acontecem diariamente, que ganhou destaque, tornou se notório, etc... Qual era a necessidade do motoqueiro publicar? E o que ele fazia com uma câmera no capacete? Há tempos eu já venho lendo e vendo sobre esses motoqueiros que colocam câmeras nos capacetes pra mostrar o quanto o bem adquirido deles é potente e o quanto eles "pilotam pra carai"...rs Não sei se viram, mas ele cometeu 3 infrações graves. A última foi cruzar o farol vermelho instantes antes do ocorrido. Roubos assim, acontecem todos dias, infelizmente. A espetacularização disso tudo é o que está tornado isso em outra onde de discussões, emissão de pontos de vista reflexão e sentencialização banal da vida.

  45. Juliana Postado em 16/Oct/2013 às 12:35

    "Os brasileiro perderam a fé naquilo em que mais deveriam se agarrar, a justiça. Justiça essa que está sendo feita pela mãos daqueles que se agarram no medo do outros. Justiça que acoberta os ricos e exclui os pobres, deixando-os sem eira nem beira. Justiça que se torna cada vez mais distante. Justiça essa que prende, espanca e mata o cidadão, mas deixa solto todos aqueles que participaram do mensalão. Que justiça é essa onde direitos são divididos por classes? Que justiça é essa que serve comida estragada e celas lotadas a animais encarceirados? Essa é a justiça brasileira, cada vez mais desgarrada, cada vez mais agarrada em artigos e desprendida de honestidade. Tenho repúdio dessa justiça, a justiça que é apenas uma criança onde sua mãe é o Estado, que a deixou de lado. O Estado, executor, que não cumpre suas tarefas, que não educa suas crianças, que as deixam morrer de fome. É, amigos, a justiça brasileira está longe de crescer, está longe de ser realmente chamada de JUSTIÇA."

  46. catia cristina Postado em 16/Oct/2013 às 14:27

    Só quem já sofreu este tipo de agressão sabe o quanto este ato lavou a nossa alma. Não aguento mais a impunidade destes marginais. Infelizmente eles são assaltantes! Toda escolha tem a sua consequência é fato!

  47. Lopes Postado em 16/Oct/2013 às 16:07

    O policial não tinha opção depois que deu voz de prisão e se viu na mira de uma arma. Ele poderia ter ficado confortavelmente no carro dele mas se, assim o fizesse, seria execrado pela sociedade da mesma forma como foram os três delegados da PF que presenciaram um assalto a uma casa lotérica.

  48. Müller Postado em 16/Oct/2013 às 19:54

    O que eu vejo é o seguinte: a sociedade brasileira considerada(autointitulada) "de bem", "de família", reclama (com razão) sobre a violência urbana que sofre, mas só que ela não percebe que grande parte desse problema se deva à própria inércia dela de querer manter a sociedade desigual, quero dizer, o brasileiro gosta de manter uma sociedade de classes, de "status social", por mais que alguns tenham um discurso bonito de que são a favor da igualdade social, na prática, quem é "rico", "classe média alta - coxinha de catupiry", não abre mão de suas regalias enquanto classe, agem de forma a manter a cultura de marginalização de certos grupos(negros, favelados, pobres, índios, travestis, analfabetos, dependentes químicos, etc.). Esse distanciamento social de grupos, atrelado às exclusões econômica(numa sociedade que estimula o consumo, e condiciona o acesso a quase tudo a quem tem dinheiro),e moral, favorece uma situação de violência entre os tais grupos sociais...os policiais como também fazem parte dessa sociedade, tendem a confirmar nos seus atos essa visão excludente, em parte pela falta de preparo ético, seleção e treinamento adequado. E esse ciclo vicioso se perpetua...

    • Marcos Postado em 20/Oct/2013 às 02:44

      O crime não é fruto da desigualdade social é uma característica humana que deve ser combatida existe em todas as sociedades essa conversa fiada da esquerda enche o saco.

  49. Marcelo Carvalho Postado em 22/Apr/2015 às 15:31

    Muito interessante o texto, fora o argumento negativo contra as "instituições conservadoras" instituições essas que a meu ver impedem que a coisa piore muito, são exatamente meus argumentos para diminuição da maioridade penal, e para adotarmos a pena capital, tudo dentro de um processo legal e legítimo. Defendo ferozmente que o crime deve ser punido, o crime que tira a vida deve ser pago com a própria vida.

  50. Roberto Postado em 28/Apr/2015 às 09:44

    O texto do Sakamoto está muito bom e bem contextualizado, mas há um equívoco no que se refere à descriminalização das drogas. Não existe essa experiência em nenhuma nação dita desenvolvida. Descriminalização aqui iria favorecer o traficante internacional e, portanto, não seria eficaz. Precisamos sim, desenvolvimento social, econômico e político. O Estado deve garantir a igualdade, inclusive, na hora de punir. O crime de "colarinho branco " causa mais danos à nação do que um assalto ao caixa eletrônico, no entanto, compare as penas e veja qual infrator é, efetivamente, punido.