Redação Pragmatismo
Vídeos 26/Set/2013 às 12:42 COMENTÁRIOS
Vídeos

Vídeo rebate "Juízo Medieval" da AP 470

Publicado em 26 Set, 2013 às 12h42

Vídeo produzido pela revista Retrato do Brasil, do respeitado jornalista Raimundo Pereira, rebate acusações feitas por Joaquim Barbosa a determinados réus da AP 470. Segundo ele, algumas condenações teriam sido armadas pelo presidente do STF com "mentiras escandalosas". Vídeo é apresentado pelo escritor Fernando Morais. Assista

vídeo Juízo Medieval julgamento mensalão ap 470
Retrato do Brasil desnuda “juízo medieval” da AP 470 (Reprodução)

Um vídeo didático, de 27 minutos e 26 segundos, foi publicado essa semana no YouTube e traz revelações surpreendentes sobre a Ação Penal 470, que tratou do chamado mensalão. Produzido pelos jornalistas Raimundo Rodrigues Pereira e Lia Imanishi, editores da revista Retrato do Brasil, e apresentado pelo escritor Fernando Morais, o vídeo acusa o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, de ter armado as condenações de alguns réus com “mentiras escandalosas”.

[listaposts tipo=”relacionadosportags” titulo=”Leia também” total=”3″ posicao=”direita”]

Uma delas, por exemplo, seria a que ancorou a condenação do deputado João Paulo Cunha (PT-SP). Numa das sessões do julgamento, Barbosa afirmou que a contratação da agência de publicidade DNA pela Câmara dos Deputados, à época presidida por João Paulo Cunha, teria sido reprovada por várias instâncias de controle. Raimundo Pereira e Lia Imanishi demonstram o contrário.

Em outro capítulo do vídeo, os jornalistas desmontam a tese do “desvio de recursos públicos” por meio da Visanet. Raimundo demonstra que os gastos autorizados pelo Banco do Brasil foram efetivamente pagos e que um dos maiores beneficiários da campanha foi justamente a Globo, que moveu dura campanha contra os réus no que chamou de “julgamento do século”.

O vídeo foi publicado no YouTube com o título “Mensalão, AP 470, julgamento medieval”. Curiosamente no mesmo dia em que o jurista Claudio Lembo, um dos mais notórios conservadores do País, também definiu o processo como um “juízo medieval”.

Assista abaixo e forme seu próprio julgamento:

Brasil 247

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendações

COMENTÁRIOS