Redação Pragmatismo
Religião 25/Sep/2013 às 12:15 COMENTÁRIOS

Patroa evangélica força funcionária a se converter

Chefe perseguia funcionária para que fosse convertida à religião evangélica, porque "somente assim ela se livraria do mal e se tornaria uma boa funcionária"

mulher Patroa evangélica força funcionária bíblia
Responsável financeira da empresa convidava pastor para participar de reuniões (Arquivo)

A Vale Transporte Metropolitano S/C Ltda. vai ter de indenizar em R$ 5.000 a sua ex-funcionária Josicleia Aparecida Alves, que, católica, foi discriminada e perseguida pela sua chefe (que nos autos é denominada de “sra. Mariles”), para que fosse convertida à religião evangélica.

O valor será atualizado com juros e correção monetária, a partir da data em que a reclamação trabalhista foi ajuizada.

A católica estava reivindicando R$ 50 mil por danos morais. A quantia foi considerada excessiva pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) do Paraná (9ª Região).

De acordo com o processo judicial, em 2010 a Mariles com frequência dizia a Josicleia para virar evangélica porque somente assim ela se libertaria do mal e se tornaria uma boa funcionária.

[listaposts tipo=”relacionadosportags” titulo=”Leia também” total=”5″ posicao=”direita”]

A ex-funcionária relatou que a então sua chefe levava uma vez por semana o pastor Francisco Mitsuo Kogima no local de trabalho para fazer pregações e exorcismo. O comparecimento dos funcionários era obrigatório.

”Os empregados católicos eram tratados com extremo rigor e hostilizados com frequência”, disse Josicleia,cuja função era caixa.

Um representante da empresa e marido da “sra. Mariles” negou que sua mulher perseguisse os católicos, mas admitiu que o pastor Kogima celebrou um culto para os funcionários.

Disse que Mariles,que era responsável pelo setor financeiro da empresa, chamou o pastor porque ficou nervosa com o sumiço de R$ 80 mil.

No entendimento do TST, foi comprovado que Josicleia foi vítima de intolerância religiosa, sendo atacada em suas convicções.

Paulopes

com informações do processo

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 25/Sep/2013 às 13:07

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • renato Postado em 25/Sep/2013 às 17:10

      Tiago vou com você, dizem que bocejar e rir contagia. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

  2. Daniel Terense Postado em 25/Sep/2013 às 15:04

    Do jeito q ta indo daqui a pouco a gente vai ver a volta do tribunal da inquisiçao (só que evangelico desta vez) pra julgar e condenar que nao seguir a religiao deles (hereges) à fogueira.

  3. Guilherme Postado em 25/Sep/2013 às 19:28

    proselitismo é um troço chato....

    • Victor Postado em 25/Sep/2013 às 19:41

      A mais pura verdade Guilherme! Entretanto, digo isso por ter autocrítica, devemos nos policiar para fazer o mesmo que eles fazem! caso contrário se torna apenas questão de defender o seu e não o correto. Temos que desencorajar o fanatismo religioso e o preconceito religioso tb, e isso significa tb não sacrifica-los.

  4. Janaina Postado em 26/Sep/2013 às 01:26

    Desculpem por ser a chata da história, mas gostaria de apontar uma correção: acho que não é TST (Tribunal SUPERIOR do Trabalho) da 9ª Região, mas sim TRT (Tribunal REGIONAL do Trabalho) da 9ª Região, não?

  5. Rich Postado em 27/Sep/2013 às 08:59

    Mateus 11.28

  6. Adalberto Postado em 30/Sep/2013 às 18:40

    Ela chamou o pastor por causa de 80.000? Foi por isso que ele veio logo. Oh povo pra gostar de dinheiro, é pastor...