Pragmatismo Político (P)
Direita 10/Mai/2012 às 15:46 COMENTÁRIOS
Direita

Xenofobia: Neonazistas sugerem cercar Grécia com explosivos e arame farpado

Pragmatismo Político (P) Pragmatismo Político (P)
Publicado em 10 Mai, 2012 às 15h46

Tentando fazer dos imigrantes o inimigo comum dos “verdadeiros” gregos, a nova bancada de 21 deputados, liderada por Nikos Mijaloliakos, defende um país cercado por minas terrestres para impedir a entrada ilegal de estrangeiros.

neonazistas grécia

Partido neonazista conseguiu 21 cadeiras no parlamento grego

Após conquistar 7% dos votos na eleição do último domingo (06/05) e ingressar no parlamento grego pela primeira vez em sua história, o partido neonazista Aurora Dourada já deu início à propaganda de suas principais “propostas” para reverter a crise financeira que assola o país. E elas incluem minas terrestres e arame enfarpado.

Tentando fazer dos imigrantes o inimigo comum dos “verdadeiros” gregos, a nova bancada de 21 deputados, liderada por Nikos Mijaloliakos, defende um país cercado por minas terrestres para impedir a entrada ilegal de estrangeiros.

O discurso xenofóbo é propagado pelos neonazistas como remédio para o colapso econômico que deixa quase 22% da população desempregada e torna incerto o futuro da Grécia dentro da zona do euro. “Enquanto houver um grego desempregado, não teremos pena dos estrangeiros”, alertou Mijaloliakos em sua primeira entrevista coletiva, pouco depois do anúncio dos resultados da eleição do Legislativo.

Leia mais

Ao lado de uma bandeira com uma suástica distorcida, o ícone do partido, ele fez questão de se explicar aos jornalistas: “Não temos problemas com os legalizados, mas esses são uma porcentagem muito pequena. Agora, os que não tem documentação devem ser todos expulsos. Alguns bairros no centro de Atenas estão cheios de estrangeiros, e precisamos ajudar nossos compatriotas”.

Questionado sobre suas evidentes inclinações ao nazismo, o novo parlamentar diz ainda que só não se considera um perfeito seguidor do partido porque não é alemão. “Também só não somos fascistas porque não estamos na Itália”, bradou Mijaloliakos ao lado de dois seguranças que parece querer intimidar a plateia.

Opera Mundi

Recomendações

COMENTÁRIOS