Luis Soares
Colunista
Política 05/Jan/2011 às 02:13 COMENTÁRIOS
Política

MPF vai investigar ameaças contra Dilma por usuários do Twitter

Luis Soares Luis Soares
Publicado em 05 Jan, 2011 às 02h13
As ameaças de morte feitas por usuários do Twitter contra a presidente Dilma Rousseff, durante a cerimônia de posse no sábado (1º), serão investigadas pelo Ministério Público Federal. O deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR) em entrevista à Rede Brasil Atual afirmou que enviou ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pedido de abertura de investigação para que a denúncia seja apurada.
Segundo o deputado, as informações foram passadas também ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que se prontificou em levar o caso adiante e confirmou a abertura da investigação. “Se o Ministério Público julgar necessário, a Polícia Federal também ajudará nas investigações”, afirmou o deputado. Segundo a constituição brasileira, incitação à violência é considerada crime.

Em trocas de mensagens no Twitter, alguns usuários pediam que um atirador de elite se prontificasse para “atirar” e “matar a presidente” durante o desfile em carro aberto até o Palácio do Planalto, durante a posse.

Alguns do usuários do microblogue ao fazer a “sugestão” comparavam o fato ao atentado em que o ex-presidente dos Estados Unidos John Kennedy foi assassinado em 1963, durante o desfile, com um tiro na cabeça.

Durante a transmissão da posse da presidente Dilma Roussef, alguns usuários do Twitter incitavam o crime com afirmações como: “Algum atirador de elite está on-line?? Só avisando que daqui a pouco a Dilma vai desfilar em carro aberto… só um aviso… nada de mais…”. E “Tem algum atirador disposto a dar um tiro na cabeça de Dilma quando ela estiver subindo a rampa do planalto?”.

Ataques contra sites do governo também serão investigados

Em outra frente de investigação, a Polícia Federal (PF) vai abrir um inquérito para apurar os ataques cometidos contra os sites da Presidência e do governo federal no domingo. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) começou a enviar documentos com informações sobre os ataques. O objetivo será identificar autores das invasões.

O grupo que assumiu a autoria, Fatal Error Crew, postou uma mensagem no microblog Twitter que dizia “site da Presidência sofre ataque de negação de serviço desde o inicio da madrugada”. Mais tarde, um novo post dizia “depois de tirarmos do ar o site da Presidência. Agora é a vez do www.brasil.gov.br ddos on!”.

O Serpro conseguiu resolver o problema ainda no domingo e afirmou que medidas de segurança para evitar novos ataques já foram tomadas. O grupo, que não comentou as motivações das ofensivas, afirmou no Twitter que empregou uma negação de serviço, chamada DDOS, para impedir o acesso aos sites. Segundo a assessoria da Presidência, os ataques de navegação consistem em uma programação de acessos simultâneos às páginas milhares de vezes, sobrecarregando o serviço.


Rede Brasil Atual

Comentários