Redação Pragmatismo
Compartilhar
Justiça 27/Sep/2016 às 15:11
3
Comentários

Lava Jato ignora PSDB mais uma vez e pede dados contra PT e PP

Lava Jato pede dados do STF contra PT e PP, mas volta a ignorar o PSDB. Apesar da Suprema Corte ter provas contra membros de diversos partidos, como o PMDB e o PSDB, operação comandada pelo Juiz Sergio Moro e pelo procurador Deltan Dallagnol volta a escancarar sua parcialidade

lava jato deltan dallagnol psdb
Deltan Dallagnol, procurador da Lava Jato (AFP/Getty Images)

Jornal GGN

A equipe de procuradores da Lava Jato na primeira instância, sob o comando de Sérgio Moro, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o compartilhamento de provas contra dez parlamentares, buscando abrir ações de improbidade administrativa. Apesar de o STF ter provas contra membros de diversos partidos, como o PMDB e o PSDB, os procuradores miraram, sobretudo, em políticos do PT e PP.

O pedido da força-tarefa de Curitiba, sob a coordenação de Deltan Dallagnol, recebeu o aval do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que foi quem protocolou a solicitação formal ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato na Suprema Corte.

Isso porque ações cíveis de improbidade administrativa incluindo políticos como alvos são competências da primeira instância, cabendo ao Supremo apenas as ações penais contra aqueles que possuem o chamado foro privilegiado.

Apelando a essa brecha legislativa, Teori acatou ao pedido de Janot e compartilhou os dados contra deputados e senadores à equipe de Sergio Moro. Mas os investigadores não pediram o acesso aos autos de todos os políticos.

A lista de dez inclui os senadores Gleisi Hoffmann (PR-PR), Benedito de Lira (PP-AL) e Fernando Collor (PTC-AL) e os deputados federais Vander Loubet (PT-MS), Luiz Fernando Faria (PP-MG), José Otávio Germano (PP-RS), Roberto Britto (PP-BA), Nelson Meurer (PP-PR), Athur Lira (PP-AL) e Aníbal Gomes (PMDB-CE).

Em tentativa de amenizar a restrição seletiva do acesso às provas, os procuradores da República que trabalham com Sergio Moro informaram que ainda deverão avaliar se cabe a abertura das ações. Mas valorizaram a necessidade de se investigar aqueles parlamentares, especificamente, que não inclui, por exemplo, José Serra (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG) e Aloysio Nunes (PSDB-SP), também alvos de inquéritos da Lava Jato.

VEJA TAMBÉM:
Nos EUA, Sergio Moro explica por que não julga políticos do PSDB
Lava Jato não quis ouvir Eike Batista sobre doações ao PSDB e outros partidos

“O material probatório produzido é extremamente relevante, pertinente e necessário para possibilitar a instauração de apuração na esfera de responsabilização por ato de improbidade administrativa ao fim do enquadramento das condutas de agentes públicos e terceiros envolvidos, notadamente porque complementam e auxiliam na compreensão do complexo esquema de desvio de verbas públicas em detrimento da Petrobras”, diz o pedido.

Até o momento, a Lava Jato já abriu ações de improbidade relacionadas ao doleiro Alberto Yousseff, aos ex-dirigentes da Petrobras relacionados ao PT, Paulo Roberto Costa, Renato Duque e Pedro Barusco e à Eduardo Cunha, sua esposa Cláudia Cruz, ao operador do PMDB João Augusto Rezende Henriques e ao ex-diretor Jorge Zelada.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Leonardo Araújo Postado em 27/Sep/2016 às 15:18

    O mundo está careca de saber que ele não pediu dados do PSDB porque não faz parte do pacote encomendado. A encomenda, cujo prazo de entrega já está perto do final, é conhecida de todos.

  2. Thiago Teixeira Postado em 27/Sep/2016 às 16:39

    Não dou seis meses para colocarem a senadora Gleisi na cadeia, ela incomoda os golpistas latifundiários do Senado.

  3. JOHN J. Postado em 27/Sep/2016 às 18:26

    NÃO TENHO PROVA DISSO, MAS TENHO FORTÍSSIMA CONVICÇÃO: Porque prenderam o petista na segunda feira, logo após o ministro dizer que haveria novas prisões e sair rindo da entrevista? PORQUE A PARTIR DA TERÇA FEIRA NINGUEM PODERIA SER PRESO SEM SER EM FLAGRANTE DELITO. O MORAES PEDIU E O MORO COMO CACHORRINHO AMESTRADO, EXECUTOU A ORDEM, COM INTUITO CLARO E CRISTALINO DE PREJUDICAR O PT E SEUS CANDIDATOS ANTES DA ELEIÇÃO. PF SUSPEITA DE PROPINA EM OBRAS DO METRÔ DE SP: Há mensagens com pedidos de pagamentos de porcentagens referentes a obras das linhas 2-Verde e 4-Amarela do Metrô de São Paulo Com base em 32 conjuntos de mensagens trocadas por e-mail entre executivos da empreiteira Odebrecht, a Polícia Federal organizou uma lista dos casos em que a empresa é suspeita de ter pago propina a políticos para obter vantagens indevidas em contratos com o poder público. Entre elas estão mensagens com pedidos de pagamentos de porcentagens referentes a obras das linhas 2-Verde e 4-Amarela do Metrô de São Paulo. PSDB=PCC: https://www.youtube.com/watch?v=hjpTDst-z1w http://www.revistaforum.com.br/2015/07/27/delegado-afirma-que-governo-de-sp-fez-acordo-com-pcc-em-2006/