Redação Pragmatismo
Compartilhar
Michel Temer 04/Aug/2016 às 16:54
24
Comentários

Brasil de Temer segue na contramão das sociedades avançadas

Caminhos traçados por políticos e empresários da Suécia revelam que "reformas trabalhistas" preconizadas por Michel Temer devem levar o Brasil de volta à Idade da Pedra Lascada

michel temer diretos retrocesso contramão países desenvolvidos
Michel Temer, presidente interno (reprodução)

Claudia Wallin*, DCM

Estranhamente, e na contramão das reformas trabalhistas preconizadas pelo visionário governo interino do Brasil, parece que nem os políticos e nem os empresários da Suécia estão interessados em levar seu país de volta à Idade da Pedra Lascada.

Não soa mais certo, em pleno 2016, trabalhar de 8 da manhã às 5 da tarde. Especialmente quando se sabe que grande parte deste tempo é desperdiçado na jornada”, diz Maria Westling, diretora da startup Brath – uma das várias empresas e municipalidades da Suécia que resolveram testar a jornada de seis horas de trabalho, na esteira da bem-sucedida experiência adotada desde 2002 pela fábrica da montadora Toyota na cidade de Gotemburgo.

Trabalhamos três horas, almoçamos, e trabalhamos mais três horas. Seis horas por dia, com salário integral. Acredito que as pessoas trabalham de forma mais eficaz quando não se sentem esgotadas”, completa Maria, neste país que não por acaso aparece de forma consistente entre os primeiros do mundo no ranking de qualidade de vida – e também de competitividade.

O experimento sueco da jornada de 6 horas é um dos vários e agudos contrastes entre a realidade de um trabalhador na Suécia e no Brasil, onde o governo não eleito de Michel Temer prepara uma triunfante marcha a ré na evolução dos direitos sociais e trabalhistas conquistados ao longo da história do país.

O projeto Temer tem três frentes: a reforma trabalhista, para flexibilizar a CLT (empregadores e sindicatos poderão colocar em negociação, por exemplo, o parcelamento do 13° salário e a redução do intervalo de almoço de uma para meia hora); a reforma previdenciária (para aumentar a idade mínima de aposentadoria até o trabalhador estar prestes a pôr o pé na cova), e a regulamentação do processo de terceirização no país. E por que não, conforme chegou a sugerir o presidente da CNI, aumentar a atual jornada semanal de 44 horas para até 80 horas de trabalho.

Tudo a ser votado por quem não tem nada a perder, nem agora e nem na velhice: além das regalias de praxe garantidas aos políticos que batem ponto no Congresso Nacional, até ex-deputado tem direito a plano de saúde vitalício e ilimitado. No Senado, o dinheiro público chega a pagar a implantação de próteses dentárias com ouro: bancado exclusivamente pelo contribuinte, o plano de saúde cinco estrelas cobre todas as despesas médicas de senadores, ex-senadores e dependentes como filhos, enteados e cônjuges. Sem precisar fazer nenhuma contribuição – basta que tenha exercido o cargo de senador por 180 dias ininterruptos. Após a morte do titular, o cônjuge continua usando a carteirinha.

Pausa para regurgitar.

Leia também:
Michel Temer assina o mais duro pacote antissocial deste século
Michel Temer não mexe com ricos e promove arrocho no andar de baixo
Análise do programa de Michel Temer provoca arrepios

Mas é tudo em nome de uma suposta dinamização da economia, argumenta-se. Bem, os suecos – por exemplo – iriam discordar.

Um sueco trabalha em média cerca de 38 horas por semana. Apenas 1% dos suecos trabalham mais do que 50 horas por semana – o que representa um dos mais baixos índices entre os países da OECD, onde esta taxa é de 13%.

Apesar disso, a Suécia aparece na sexta posição no Índice Global de Competitividade. Com um modelo de desenvolvimento e bem-estar social que converteu o país em uma das mais sofisticadas nações industrializadas do mundo: lembre-se que há pouco mais de cem anos, a Suécia era um dos países mais pobres da Europa.

Hoje, a experiência da jornada de seis horas é apenas mais um aspecto da obsessão nacional sueca com o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho.

Por lei, cada trabalhador sueco tem direito a cinco semanas de férias por ano e 16 feriados públicos. Férias adicionais podem ser negociadas com o empregador.

Se uma pessoa fica doente durante as férias, ela pode tanto estender o período de férias como tirar os dias em que ficou de cama em outra ocasião”, diz a brasileira Cynara Isacsson, que trabalha como assistente do departamento de economia de uma empresa sueca em Estocolmo.

Os salários são negociados através de cerca de 600 acordos coletivos, a maioria dos quais inclui um salário mínimo que é relativamente alto em comparação ao resto da Europa. Em casos de desacordo, a autoridade sueca de Mediação Nacional é responsável por mediar negociações entre sindicatos de patrões e empregados. A maioria dos trabalhadores suecos é filiada a sindicatos. No Brasil, menos de um décimo dos trabalhadores brasileiros sao sindicalizados.

O pagamento de horas extras também é regulamentado pelos acordos coletivos, e geralmente varia a uma taxa de 50 a 100% a mais do que o valor do salário normal.

Mais: a rede de proteção social e trabalhista é garantida por aquele que ainda é um dos mais generosos sistemas de bem-estar social.

Quando uma criança nasce na Suécia, os pais têm direito a uma licença parental remunerada de 480 dias. Deste total, 60 dias devem ser usados exclusivamente pelo pai, e outros 60 dias exclusivamente pela mãe.

As creches pré-escolares são largamente subsidiadas pelo governo, e os pais pagam apenas oito por cento do custo mensal.

A partir do momento em que nasce, cada criança recebe um subsídio mensal do governo no valor de 1.050 coroas suecas (aproximadamente 400 reais), até completar 16 anos de idade.

Após completar 16 anos de idade, cada criança passa a receber um subsídio mensal do governo no valor equivalente a 400 reais mensais, como assistência financeira enquanto completa seu período de estudos.

O tratamento dentário é gratuito para crianças e adolescentes até os 18 anos de idade. Eles também podem ter aparelhos dentários financiados pelo governo regional: quando os especialistas julgam necessária a correção dos dentes, o paciente recebe um “cheque saúde dos dentes” para custear os gastos com o ortodontista de sua escolha.

Quando as crianças têm problemas graves de visão, também é o governo regional que paga os óculos de grau. Para famílias com uma situação econômica extrema, os pais de crianças com deficiências de visão mais comuns podem contactar os serviços sociais, que então financiam os óculos.

O sistema de educação é financiado majoritariamente pela arrecadação de impostos, e a Suécia é um dos países que mais gastam neste setor.

Não existem mensalidades escolares. A partir dos seis anos de idade, todas as crianças têm acesso gratuito à educação, que é obrigatória até o último ano do ensino médio. As escolas fornecem ainda todo o material escolar. A merenda escolar também é gratuita, e consiste em geral de um bufê que inclui dois pratos quentes e uma opção vegetariana, além de saladas, legumes, pães e frutas.

Se decidem cursar a universidade – que também é gratuita – os estudantes suecos têm direito a uma assistência financeira mensal, até completar os estudos. Esta assistência é composta por um subsídio de 3.066 coroas suecas (cerca de 1,2 mil reais) por mês, além de um empréstimo no valor de 6.710 coroas suecas (cerca de 2,6 mil reais) mensais. O prazo para o reembolso do empréstimo é o dia em que o ex-estudante completa 60 anos de idade.

O sistema de saúde é também amplamente subsidiado, e a taxa de internação em um hospital é de 80 coroas suecas (cerca de 30 reais) por dia. Existe ainda um teto semelhante para as despesas com medicamentos – o que significa que ninguém gasta mais de 1,8 mil coroas com despesas de saúde no período de um ano (cerca de 680 reais).

O sistema de seguro social sueco também inclui subsídios de auxílio-doença. Durante os primeiros 14 dias de afastamento do funcionário, cabe aos empregadores pagar o benefício. Nos casos de enfermidades com tratamento mais longo, o sistema paga o auxílio-doença durante um período máximo de 364 dias, no valor de 80 por cento da renda do funcionário. Após este prazo, o paciente tem direito a receber o auxílio-doença por um período adicional de 550 dias, num valor correspondente a 75 por cento de seus rendimentos.

Pais de crianças doentes também têm direito a receber subsídios a fim de permanecer em casa para cuidar dos filhos.

Portadores de deficiência têm direito a assistência pessoal e gratuita, incluindo transporte em táxis ou veículos especialmente adaptados. Para os idosos, também é oferecida assistência social a domicílio – com taxas cobradas de acordo com a possibilidade de cada um de pagar. Para idosos com recursos limitados, o serviço pode ser gratuito.

O sistema de aposentadoria sueco é constituído por três partes – uma pensão nacional, uma pensão trabalhista que é financiada pelo empregador, e um plano de previdência privada. Um total de 18,5 por cento do salário e outros benefícios tributáveis do trabalhador são destinados à sua aposentadoria pública. Deste total, 16 por cento vão para a conta de aposentadoria pública, cujo valor cresce de acordo com a evolução dos rendimentos e do desempenho da economia na Suécia. Os 2,5 por cento restantes vão para a chamada pensão premium, que varia segundo o desempenho dos fundos nos quais o trabalhador escolhe investir.

Para pessoas que tiveram pouco ou nenhum rendimento em suas vidas, há uma parcela menor da aposentadoria nacional, chamada de aposentadoria garantida. A finalidade é garantir a estas pessoas uma quantia mínima todo mês.

Já o seguro-desemprego é voluntário – ou seja, o trabalhador deve se inscrever em instituições específicas para ter direito ao benefício, e pagar uma mensalidade. Estas instituições são conhecidas como “A-Kassa” (Arbetslöshetskassor), e muitas são administradas por sindicatos. No pacote básico, a mensalidade é de 90 coroas suecas mensais (cerca de 34 reais).

Quando perde o emprego, um trabalhador pode receber o salário-desemprego por até 300 dias úteis. Nos primeiros 200 dias, o benefício é equivalente a 80 por cento do valor do antigo salário – a um teto máximo, porém, de cerca de 100 dólares por dia. Nos demais 100 dias, esta porcentagem cai para 70 por cento. Os trabalhadores que perdem o emprego e não são afiliados à A-Kassa podem, ainda assim, obter benefícios – mas somente a um nível básico, e não superior a cerca de 48 dólares por dia útil.

Para famílias mais pobres ou com problemas econômicos temporários, os governos municipais prestam assistência sob a forma de apoio financeiro com base em avaliações individuais. Este apoio inclui recursos para despesas básicas, com a finalidade de garantir um padrão de vida razoável para uma vida digna.

E ninguém fala em acabar com a educação gratuita – um dos alicerces fundamentais do salto dado pela sociedade sueca há um século.

*Claudia Wallin é radicada em Estocolmo e autora do livro Um país sem excelências e mordomias

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Vinis Postado em 04/Aug/2016 às 20:16

    Enquanto isso na nossa mídia de massa se fala que "a crise está acabando", daqui a pouco "acaba a corrupção" também segundo eles...

    • poliana Postado em 04/Aug/2016 às 22:57

      Mas eles já conseguiram plantar essa ideia na mente manipulada dos coxinhas, vinis. De que tudo isso q aconteceu até aki foi uma luta contra à corrupção do país! Tirando o pt, a corrupção vai acabar...isso na kbça dos midiotas da classe média desse país. Os barões da mídia conseguiram o que queriam, vinis. Esteja certo disso.

    • Thiago Teixeira Postado em 05/Aug/2016 às 12:10

      Não só a mídia como nossa grande polícia federal e ministério público que misteriosamente não acharam nada de errado no governo golpista. Que lindo, nosso país realmente está no caminho certo ... parabéns a nossa direita e viva e esquerda bunda mole (infelizmente).

      • Denisbaldo Postado em 08/Aug/2016 às 12:35

        Sei lá se é bunda mole. Pra mim é comprada mesmo.

  2. Edison Carleti Postado em 04/Aug/2016 às 23:52

    Que bom seria se todo o planeta tivesse a metade das conquistas que o povo sueco conseguiu. Sou socialista, mas me renderia ao capitalismo se toda a humanidade vivesse como se vive na Suécia. No entanto, infelizmente não é bem assim. Da mesma forma que sou rechaçado de utópico por acreditar na possibilidade de um mundo melhor através do socialismo, devolvo na mesma moeda para quem acredita que com o "capitalismo humano" a nível internacional chegaremos ao ápice. Sinto muito, mas também não tem jeito. Assim como Marx e Engels erraram ao não atentarem a possível presença de burocratas dentro dos movimentos revolucionários, também é pífio acreditar na harmonia universal dentro do capitalismo. Na sua essência, o capitalismo necessita de duas forças antagônicas para funcionar: a classe exploradora (burguesia) e classe explorada (trabalhadores). Não importa onde, mas a falta de uma dessas deixa de configurar o capitalismo. Estamos acostumados a enxergar essas classes somente internamente dentro do próprio pais. Mas o capitalismo é universal e ele pode exportar ambas. Quando você imigrantes que vão para outros países, geralmente mais ricos, em busca de trabalho, é coisa do capitalismo. Quando você empresas multinacionais migrarem para o terceiro mundo em busca de mão-de-obra mais barata, eis o capitalismo novamente. Por falar em Suécia vou lhes contar uma experiência pessoal. Trabalhei em uma famosa multinacional sueca do ramo de telecomunicações e as condições de trabalho que lá vive não se assemelham em nada com o que foi exposto no texto dessa reportagem. Digo que foi um dos piores lugares que já trabalhei, foi um período terrível que passei. Ah, então tudo o que foi dito nesse texto é mentira? Não, tudo o que foi dito é verdade. O trabalhador sueco possui condições invejáveis, mas somente lá Suécia. No entanto, a empresa, que é gigante, não aplica a mesma política em suas subsidiárias mundo afora. ou seja, por uma questão lógica deixa de ser exploradora com que em esta dentro de sua casa mas usurpa com a vizinhança.

  3. Sergio Carneiro Postado em 05/Aug/2016 às 03:48

    Fácil de colocar o Brasil no mesmo nível da Suécia: Tragam todos os suecos para cá e levem todos os brasileiros para lá.

    • José Ferreira Postado em 05/Aug/2016 às 10:45

      Ai a Suécia que que irá para o brejo, Sérgio Carneiro.

    • enganado Postado em 06/Aug/2016 às 01:20

      Todos uma virgula. Levem toda DIREITA para onde quiserem, porque meus pais não me ensinaram a ROUBAR e me alertaram que quem apoia LADRÕES, também é LADRÃO e dos piores. Ex: FHC, NaroX=AronX, Aloysio 300 Mil, TEMER=RATAZANA, Felipe, MariaX, FerreiraX, general SÉRGIO ETCHEGOYEN, ministro da Secretaria de Segurança, Alckmin, AÓPIO, MORO=124 bilhões de dólares-BANESTADO_"Não vai ao caso", çERRA (Ladrão-de-carteirinha apátrida_vagabundo, vendeu a filha a troco de 100 milhões )) .... etc. Enfim o exemplo de LADRÕES, Quem os apoia e Quem os garante (dedo no gatilho), mostra a ___POCILGA que a DIREITA transformou o ex-BRASIL, atual __braZZZil___, ou seja, CX da MÃE JOANA, ESCULHAMBAÇÃO GERAL, Terra do Fim do Mundo... etc. Os 7P's=POBRES, PROSTITUTAS, PRETOS, PETISTAS, PROFESSORES, PERIFÉRICOS e PATRIOTAS só aguardam os dias finais do GOLPE^-2016 para enterrarem no CX a Tocha bem Acesa das Olímpiadas, pela RATAZANA, rede gRoubo, STF_DB, FIESP_DB, TCU_DB, PF_DB, AGU_DB, Congresso_DB, Senado_DB, ... etc, ou seja porra da Direita que foda mais ainda do que já estamos muito bem fudidos, serve! Aí sim, saberemos o sabor da vingança dos RICOS/MILITARES para com aqueles que começam limpando a bunda de merda de seus Filhos. Depois disso vem o resto dos 7P's: motoristas, garis, açougueiros, faxineiras, enfermeiras, balconistas, engraxates, ... etc, aqueles que dão o suor para fdp's como o çERRA-roubar-trair o BRASIL e o general ETCHEGOYEN garantir a entrega da PÁTRIA e o dinheiro roubado por este bandido do P$$$DB.

      • enganado Postado em 08/Aug/2016 às 19:42

        Tá rico de PROPINAS, hein! NaroX-AronX! Vá para um kibutz em Golã que deve ser ótimo para Vc passar férias.

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 05/Aug/2016 às 10:30

    Panelas sendo espancadas contra o "Projeto Temer de Escravidão"? Camisas amarelas e micareta na Paulista contra o "Empalamento Oficial do Trabalhador Brasileiro"? Oi? Alguem?

    • Thiago Teixeira Postado em 05/Aug/2016 às 12:12

      Difícil hein?

    • Eduardo Ribeiro Postado em 07/Aug/2016 às 12:34

      Os movimentos sociais SEMPRE estão ai, filho. Sempre estiveram. E continuarão nas ruas, no corpo a corpo, na luta com os trabalhadores. Sua pergunta é toda errada, perdida, politicamente aloprada.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 09/Aug/2016 às 21:00

        Narinho Anagrama...tem atos convocados pra HOJE, bicho. Em várias cidades e aqui, na Paulista. A Globo e seus asseclas não estão lá, não vão cobrir. Não vai ter flashs ao vivo no JN. Por isso vai parecer que não teve nada. Acredito que você não tenha visto a baixaria de hoje na Camara dos Deputados envolvendo petroleiros, movimentos sociais inconformados com os rumos do pré-sal, e a truculência do governo golpista. Enfim...as ruas sempre estão tomadas. Mas nem tudo é da noite pro dia. O limite da tolerância popular está perto de ser rompido, mas ainda não o foi. Como diz um grande mestre, "o humor social depende da percepção subjetiva. É sempre um processo de acumulação de mal estar. Em algum momento a quantidade dá o salto de qualidade, e o cidadão médio fica furioso, o ódio ao governo se alastra, e contagia uma maioria da sociedade". Aparentemente esse momento ainda não chegou. Mas há de chegar. Eu nem sei pra que ainda te dou cabimento. Tá nessa ainda de "dinheiro do PT", de "acabou a mortadela"....isso é mimimi de garoto bunda-de-talco que NUNCA participou de uma marcha, de um protesto na vida, e que começou a se interessar por política ano passado pra agregar valor e ganhar curtida no feicebuqui. Você é melhor que isso, porra. Quase fez confusão entre "esquerda" e "PT", não caia nesse erro. No mais, a incoerência fundamental segue sendo de quem bateu panela "contra a corrupissaum e contra tudo que está aí", supostamente pelo bem do Brasil, e agora diante do puteiro que o Temer está tocando, aposentou as panelas barulhentas e as está usando apenas pra cozinhar mesmo. E obviamente VAI MANTE-LAS APOSENTADAS enquanto trabalhadores estiverem sendo estuprados e enquanto Dilma/Lula/PT estiverem sendo caçados, porque são canalhas, servos felizes da plutocracia, energúmenos que foram ensinados que a destruição do PT é o remédio pra todos os males, mesmo que esses males sejam o brasileiro humilde ter passado a fazer 3 refeições/dia, e isso ainda incomoda gente demais..

      • Eduardo Ribeiro Postado em 09/Aug/2016 às 23:43

        Mas que viagem, Naro...o assunto é a revolta seletiva dos paneleiros analfabetos. Tu quer falar de mil coisas....cara, nem de "esquerdinha" o PT pode ser chamado. Mas sim: é inegável que brasileiro deixando de morrer de fome aos milhões incomodou, fez determinados setores sangrarem. Pra usar seu termo, NECESSARIAMENTE incomodou. Entre outras coisas. Se tanta coisa não incomodasse, não teria havido golpe, mesmo com os bancos comodamente acumulando lucro recorde em cima de lucro recorde (a propósito, o PT errou pra caralho, a começar pela Carta Ao Povo Brasileiro, provável mãe de todos os males...nao tenho porque não admitir, não sou petista). Sobre 2013: a onda reacionária que assola o país hoje se iniciou exatamente no fim das jornadas de junho. Quem iniciou o movimento e deu substância física e política a ele foi a esquerda. Mas os atos foram sequestrados na base da porrada e da conivência midiática, contando com o vácuo ideológico dos bundas-de-talco virgens que assumiram o comando das jornadas, "sem bandeira e sem partido". É preciso sempre esclarecer: quem se aproveitou disso e foi à rua pedir impeachment, tirar foto com PM, pedir volta da ditadura militar em 2015/16 e semear ódio, deixando o país a um passo do fascismo, nada tem a ver com quem deu o "start" 3 anos atrás. No momento em que o Jabor passa a elogiar, a esquerda deveria parar para refletir. O Brasil vivia seu melhor momento na história, e agora o Brasil pariu o ovo da serpente com um congresso conservador, pessoas despejando preconceito e raiva nas redes sociais e tenho claro: as jornadas de junho entrarão pra História porque ajudaram a abrir as portas do inferno. Eu não sei onde você quer chegar atirando pra tanto lado: é tão dolorido assim perceber que aqueles que supostamente lutavam por um Brasil melhor vestindo amarelo e batendo panela hoje estão calados, mesmo tendo hoje 700x mais motivos pra estarem insatisfeitos enquanto brasileiros? É dificil admitir que são vagabundos, safados, brasileiros de merda?

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Aug/2016 às 10:44

        Mas Naro...filho....é exatamente por ser esquerdista que eu não sou petista. Tá vendo como é dificil sustentar uma conversa contigo? Precisas resetar seus parametros de direita/esquerda. Sobre 2013 - que eu não sei por que caralhos tu quer falar - , as manifestações tiveram como mote inicial reivindicar melhores serviços públicos e isso se obteve, primeiramente, com o não aumento das tarifas do transporte. Essa é uma pauta POPULAR, sobre a qual quem bate panela e veste amarelo JAMAIS se interessaria. Moradia digna, educação e saúde de qualidade, revisão da dívida interna, fim do fator previdenciário, etc, etc, etc, muitas foram as pautas subsequentes, e de novo, pautas que NÃO SÃO do interesse de paneleiros de amarelo. Porque são brasileiros de merda que só olham o próprio umbigo. Porque quem ocupa as ruas em prol de reivindicações importantes para toda a sociedade é chamado de "vagabundo" e "baderneiro" e "mortadela". Enquanto a esquerda de verdade estava à frente, o movimento foi bonito e satisfatório, tinha conteúdo, tinha o que dizer, disse e tomou porrada da PM pra fazer valer seu direito. Até o dia 13/06, quando a jornalista da Folha quase perdeu um olho e outros 9 jornalistas ficaram feridos, nós éramos "vagabundos desocupados maconheiros agitadores e adoradores de Cuba". A partir do momento em que a imprensa foi atingida e deu apoio - e a virada de opinião do Jabor é ícone deste momento - , coxinhas se proliferaram, surgiu a galerinha perfumada com bandeira do Brasil cantando o hino nacional, e "curiosamente", foi quando paramos de ser massacrados pela PM (rs). Aglutinados os coxinhas, viramos "parte" de uma causa justa. E o movimento se perdeu, pois a ideia virou uma adaptação do "Fora Collor" péssima, tosca, acéfala, amorfa, sem objetivos claros e pretensamente apartidária. Tudo isso apoiada pela imprensa que via nessa oportunidade uma maneira de desgastar o governo federal petista, preservando os demais. É assim que as "jornadas de junho" entrarão pra história: instrumento da direita que mudou os rumos de um país cooptando uma manifestação popular digna.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Aug/2016 às 15:00

        Não tem essa de "reescrever". Ninguém na direita nem na esquerda compreendeu muito bem os primeiros dias de junho de 2013, até a manifestação ser naturalmente apropriada pela falta, justamente, de organização política. Mas já se passaram 3 anos, bicho...já deu tempo de entender. Eu falo do Jabor porque ele é a face mais desgraçadamente visível deste processo de cooptação. Mas pra quem tem um pouco de sensibilidade e olhos abertos, a mera presença da massa cheirosa debilóide "apartidária" cantando o hino nacional com camiseta da CBF já era, por si só, prova cabal de que a direita tinha entrado na jogada. Quem estuda história e tem um pouco mais de vivência SABE o que significa o nacionalismo exacerbado, o "ordem e progresso", a apropriação do hino e das cores brasileiras, o combate a corrupção "inimigo numero 1 da nação", a exaltação da ordem militar como "isenta de sujeira" e em especial a consolidação da idéia do apartidarismo das manifestações...e tem muito medo disso. Já o PT "mina feia" que você odeia tanto, esteve anos-luz longe de fazer um governo de extrema esquerda como muitos temiam - a Carta Ao Povo Brasileiro já indicava isso - , mas não é um partido na prática tão nefasto como o combo PMDB/PSDB/DEM pode ser. A prova disso é o GOLPE. Estava bom pra plutocracia com o PT, mas podia ficar melhor. Eu digo "na prática" porque ideologicamente o mal que o PT causou à esquerda brasileira é absolutamente irreparável. A esquerda foi dilacerada pelo PT mesmo fazendo um governo que atendeu a agenda da direita (suspensão da auditoria da dívida, entrega do pré-sal, lei anti-terrorismo, etc, etc...). E quanto a isso vou dizer algo que normalmente irrita: não debato fatos. Afinal, como que pode um governo que teve Levy, Katia Abreu, Arnaldo Monteiro, Calheiros e Cunha ser "de esquerda", rapaz? Tome um prumo nessa vida. O próprio Lula nunca foi um socialista. Não obstante os avanços conseguidos - comida na mesa de gente que nas mãos de Alckmin/Serra ia morrer de fome - , Papai Brizola já falava: "O PT é uma galinha que cacareja para a esquerda, mas bota os ovos para a direita". Um dos desafios da esquerda hoje é desvencilhar-se do PT (uma obviedade), porem, como desassociar o PT da esquerda num país onde 99% da população é analfabeta politica e tira suas opiniões exclusivamente dos telejornais?

  5. JULIO CEZAR DE OLIVEIRA Postado em 09/Aug/2016 às 12:27

    se houve mesmo a propina entregue a temer e padilha e os documentos estão nas mãos da federal pra provar,então esse cara é um criminoso comprovado,como é possével qu e o supreme permita que um cara desse seja presidente do país?cadê o supremo?cadê o moro?ao invés de estar perdendo tempo em tentar conseguir uma só prova contra o lula(que será impossível,ja que será novamente eleito em 2018)porque não conduz coercetivamente o temer,o aércia,o serra,o fhc?

  6. Thiago Teixeira Postado em 05/Aug/2016 às 12:12

    Muito melhor que a americana e inglesa. Quantos médicos eles exportam?

  7. Galvão Postado em 05/Aug/2016 às 13:18

    Felipe, fala a verdade você já foi em Cuba?, passou pelo menos uns 30 dias lá?, andou por tudo, conversou com pessoas? Viu o nível cultural delas? Perguntou como elas vivem, suas insatisfações com a vida, como elas são tratadas e respeitadas? Ou você também acha que elas andam de carroça e que não tem carros novos por lá? Tem sim e muitos. Uma coisa que eu notei que lá não tinha ou muito fraca, era acesso a Internet, mas não era culpa do governo cubano e sim do governo americano, que face a proximidade com os Estados Unidos (150 Km), eles bloqueavam, porém agora no final da gestão Obama, deve ter sido liberado. Aliás, hoje o maior colônia de turista na ilha é de americano, não porque Cuba deixou, mas porque o governo americano deixou, mas ela é muito visitada e admirada por canadense, suecos, ingleses, asiáticos, etc. Lá, como os seus habitantes falam, é um paraíso. É uma pena que você só se informa com quem te passa CONTRAINFORMAÇÃO, e deturpa a tua opinião. Mas ainda da tempo, faça uma viagem até lá, eles não matam coxinhas e nem comem a bunda de vocês, com certeza você vai ser muito bem recebido e você terá outra visão, agora pelas tuas próprias experiências. E com certeza vai sair de lá maravilhado.

  8. Eduardo Ribeiro Postado em 05/Aug/2016 às 15:16

    ""Felipe, fala a verdade você já foi em Cuba?"" NÃO SABE APONTAR CUBA NO MAPA.

  9. Leonardo Postado em 05/Aug/2016 às 17:33

    Deve ser por isso q muitos americanos arriscam a vida pra ir pra lá.

  10. Carlos Postado em 16/Aug/2016 às 00:58

    Vai para Califórnia que vc realmente ficar maravilhado.

  11. enganado Postado em 06/Aug/2016 às 01:24

    Manda este babaca do FELIPE eliminar os 7P's, e depois pergunte qual FHC, çERRA, AÓPIO, .... que vão fazer o servicinho de cozinhar, por gasolina, varrer as ruas, limpar sua moradia, limpar sua privada de merda, ... para este Trouxinha idiota.

  12. Carlos Postado em 16/Aug/2016 às 00:57

    Thiago vc é um troxa mesmo, um dia na califórnia vc nunca mais volta.