Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2016 20/Jul/2016 às 11:40
3
Comentários

Celso Russomanno quer "devolver o dinheiro que não desviou"

Celso Russomanno ao STF: “Se eu te devolver o dinheiro que eu não desviei, você me absolve?”. Líder nas pesquisas para a prefeitura de São Paulo fez uma proposta inédita ao Supremo. Se condenado, o deputado pode cair na lei da Ficha Limpa e terá sua candidatura impugnada

Celso Russomanno ficha limpa dinheiro
Celso Russomanno quer ‘devolver dinheiro que não desviou’

Revista Fórum

deputado federal Celso Russomanno (PRB-SP), pré-candidato à prefeitura de São Paulo, fez uma proposta inusitada ao Supremo Tribunal Federal. Em um processo que acusa o político de desviar verba da Câmara para pagar uma funcionária fantasma, Russomanno propôs ao Supremo a devolução do dinheiro que ele diz que não ter desviado para ajudar a provar sua inocência.

A funcionária fantasma Sandra de Jesus recebeu pagamento da Câmara entre 1991 e 2007. O parlamentar foi condenado em primeira instância, mas a pena foi convertida em prestação de serviço e pagamento de 25 cestas básicas (aproximadamente R$ 11 mil).

Se Russomanno for condenado ele ficará proibido de concorrer as eleições de 2016. O deputado e apresentador do programa “Patrulha do Consumidor” na Rede Record é apontado em primeiro lugar nas pesquisas para prefeito de São Paulo.

A defesa de Russomanno diz que ele “está convicto de sua inocência” e propõe o pagamento para que não haja “dúvidas de sua lisura no agir e de dua conduta como homem público”.

“Embora esteja convicto de sua inocência e acredite que esta corte dará provimento ao recurso de apelação interposto, a fim que não se tenha dúvidas quanto a sua lisura no agir e de sua conduta como homem público, requer seja expedida guia de recolhimento, com a devida atualização monetária, do valor que, segundo a acusação teria sido indevidamente pago pela Câmara dos Deputados à senhora Sandra de Jesus, a fim de que o requerente [Russomanno] proceda ao seu pagamento.”

O jornal Folha de S.Paulo fez uma matéria em novembro do ano passado revelando que funcionários registrados no gabinete de Russomanno, em Brasília, trabalhavam na ONG do deputado em São Paulo, o Inadec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor). Na época, o candidato à prefeito disse que seu escritório político funciona no mesmo edifício que o Inadec. A legislação da Câmara permite que os servidores trabalhem nos Estados de origem dos políticos.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot enviou uma manifestação ao STF pedindo que o deputado seja condenado e que o tribunal negue o pedido de Russomanno para devolver o dinheiro.

“Há a pretensão em ver reduzida a pena imposta na sentença [de primeira instância], tendo em vista a alegada devolução de verba de gabinete e o agora sinalizado compromisso de recolhimento dos valores pagos à ex-servidora Sandra de Jesus. No entanto, essa pretensão não merece acolhida”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Phelipe Postado em 20/Jul/2016 às 13:53

    Não deve e quer pagar??? Conversa esquisita!!!!

  2. enganado Postado em 21/Jul/2016 às 22:21

    " Celso Russomanno ao STF: “Se eu te devolver o dinheiro que eu não desviei, você me absolve?”. ... "" Imagina se a moda pega! Como ficam: FHC. çERRA, TEMER, SKAFF, CÚnha, AÓPIO, ALOYSIO 3000 MIL, MORO, GILMAR, JB, ALCKMIN, ELIZEU "QUADRILHA", JANOT, FUX, SAMPAIO, CAIADO, ... e todos oa lacaios desta corja. Se já estão soltos, qtos processos de danos morais nós os 7P's teremos que pagar para estes Patifes? Mais fácil voltarmos para a ESCRAVIDÃO. Pobre ex-BRASIL, agora ___braZZZil___.

  3. SILVIO MIGUEL GOMES Postado em 23/Jul/2016 às 12:55

    Perdemos a vergonha na cara mesmo: todos nós, Justiça, grande imprensa por aceitarmos políticos canalhas como esse Celso Russomano. Me vem à lembrança o massacre sofrido por Paulo Maluf; atacado, perseguido pelo MP, pela grande imprensa (TVs o dia inteiro, principalmente Rede Globo, passavam programas contra Maluf). Depois pegaram o PT para perseguir. Fica evidente o acobertamento, a proteção dada aos TUCANOS, aliados do PMDB, DEM